Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/33196
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_GiselleLopesMoreira.pdf11,31 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCavalcanti, Taciana Barbosa-
dc.contributor.authorMoreira, Giselle Lopes-
dc.date.accessioned2018-12-12T19:40:01Z-
dc.date.available2018-12-12T19:40:01Z-
dc.date.issued2018-12-12-
dc.date.submitted2018-03-23-
dc.identifier.citationMOREIRA, Giselle Lopes. Contribuições ao conhecimento do gênero Verbesina L. (Heliantheae-Asteraceae) no Brasil: taxonomia e filogenia . 2018. v, 152 f., il. Tese (Doutorado em Botânica)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/33196-
dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Programa de Pós-Graduação em Botânica, 2018.pt_BR
dc.description.abstractVerbesina L. (Tribo Heliantheae, subtribo Verbesininae) é um gênero subarbustivo a arbustivo, às vezes arbóreo, raro herbáceo, de filotaxia alterna a oposta e lâminas foliares inteiras, pinatifidas a pinatipartidas. A capitulescência é do tipo corimboide, os capítulos podem ser discoides ou radiados e as cipselas possuem de 2 (-3) alas e 2 (-3) aristas. O número cromossômico básico para o gênero é x=16, 17, 18, sendo para as espécies brasileiras o número encontrado foi x=17. Verbesina contêm cerca de 300 espécies com distribuição nas Américas sendo México e Andes locais de maior diversidade. Para o Brasil são registradas nove espécies de ocorrência nas regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Caracteres micromorfológicos das cipselas apresentaram-se como uma valiosa ferramenta em auxílio à taxonomia, também relacionados a grupos filogenéticos associados ainda a caracteres foliares e cor da corola. Os grãos-de-pólen de Verbesina são homogêneos, porém atributos como espessura da exina, distância entre espinhos e lado do apocolpo podem ser usados na caracterização das espécies. A monofilia de Verbesina foi corroborada assim como uma origem norte-americana com várias introduções independentes na América do Sul, principalmente na região andina. As seções taxonômicas descritas para Verbesina apresentaram-se de forma geral artificiais. Uma data média de 9,04 Ma é estimada para a origem de Verbesina, com as introduções na América do Sul iniciadas por volta de 3,38 Ma, por eventos de dispersão da América do Norte e Central via o Istmo do Panamá. As introduções no Brasil ocorreram entre 2,05-1,61 Ma, por dispersão, a partir de espécies andinas.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF).pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.relation.isbasedonhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/36322-
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleContribuições ao conhecimento do gênero Verbesina L. (Heliantheae-Asteraceae) no Brasil : taxonomia e filogeniapt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.keywordTaxonomia vegetalpt_BR
dc.subject.keywordFilogenia - análisept_BR
dc.subject.keywordEcologia vegetalpt_BR
dc.subject.keywordBiogeografiapt_BR
dc.subject.keywordVerbesinapt_BR
dc.subject.keywordBotânica - classificaçãopt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1Verbesina L. (tribe Heliantheae, subtribe Verbesininae) is a genus of shrubs and subshrubs, sometimes trees and rare herbs trees, with phyllotaxia alternating to the opposite with alternate to opposite phyllotaxy and entire, lobed or deeply incised. The capitulescences are of the corimboid to paniculoid type, the capitulae can be discoid or radiated and the cypselas with 2 (-3) wings and 2 (-3) arista. The basic chromosome number for the genus is x = 16, 17, 18, and for the Brazilian species the number found was x = 17. Verbesina contains about 300 species with distribution in the Americas and Mexico and Andes concentrates the greatest diversity. For Brazil, nine species are reported to the Northeast, Central-West, Southeast and South regions. Micromorphological characters of the cypselae are presented as a valuable tool in taxonomy, also associated with leaf characters and color of the corolla and related to phylogenetic groups. The pollen grains in Verbesina are homogeneous, with few attributes such as exine thickness, distance between spines and apocolpo side, that can be used in the species characterization. Monophyly of Verbesina is corroborated as well as a North American origin with several independent introductions in South America, mainly in the Andean region. The taxonomic sections described for Verbesina are in general artificial. A date of 9.04 Ma is estimated for the origin of Verbesina, with the introductions in South America beginning around 3.38 Ma, through North American and Central American dispersion events via the Isthmus of Panama. The introductions in Brazil occurred between 2.05-1.61 Ma, by dispersion, from Andean species.pt_BR
Appears in Collections:BOT - Doutorado em Botânica (Teses)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/33196/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.