Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/32554
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_RaquelPintoCaldeiraAlmeida.pdf3,09 MBAdobe PDFView/Open
Title: Efeito da administração de bebida energizante no comportamento de ratos privados de sono
Authors: Almeida, Raquel Pinto Caldeira
Orientador(es):: Santos, Carlos Eduardo Ventura Gaio dos
Coorientador(es):: Ferreira, Vania Moraes
Assunto:: Ratos
Sono - privação
Bebidas energéticas
Sono
Alterações fisiológicas
Issue Date: 28-Aug-2018
Citation: ALMEIDA, Raquel Pinto Caldeira. Efeito da administração de bebida energizante no comportamento de ratos privados de sono. 2018. 71 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Introdução: O sono é uma necessidade básica para a sobrevivência humana e animal. A dificuldade em dormir, decorrente de diferentes causas, altera o bem-estar físico e mental, interferindo na qualidade de vida. Atualmente, alguns estimulantes são consumidos como uma maneira de reduzir a sonolência decorrente da privação do sono e, como consequência, reduzir os níveis de ansiedade e os déficits na aprendizagem e memória. No entanto, muitos são os resultados contraditórios a respeito dessa interação, cabendo nosso interesse nesta investigação. Objetivo: Investigar as alterações comportamentais e cognitivas provocadas pela privação de sono em ratos, sob efeito de energético. Metodologia: Foram utilizados 42 ratos Wistar, com 2 meses de idade, pesando em torno de 225 g, privados de sono por 24 h, em um modelo de plataforma múltipla. Os ratos foram divididos aleatoriamente em 6 grupos (n=7 cada): Controle (C), Privação de sono (PS), Bebida energética consumida 24h antes dos testes experimentais (BE24h), Bebida energética consumida imediatamente antes de iniciar as 24h de privação de sono (BE24h+PS), Bebida energética consumida 1h antes dos testes (BE1h), Bebida energética consumida 1h antes dos testes em animais que estavam 24 horas em privação do sono (PS+BE1h). A bebida energética (Red Bul®) foi administrada por gavagem (1,8 ml/kg). Os modelos experimentais utilizados foram campo aberto (atividade locomotora), labirinto em cruz elevado (LCE - ansiedade) e esquiva inibitória do tipo “step down” (aprendizagem/memória). Resultados: Observou-se que os animais privados de sono, reduziram as ambulações quando avaliados no teste do campo aberto e aumentaram nos braços fechados do LCE. No labirinto, observou-se que o grupo PS+BE1h foi capaz de aumentar a porcentagem de entradas e do tempo de permanência nos seus braços abertos, sem qualquer interferência na locomoção. Ao contrário, o grupo BE24h+PS aumentou, de forma significativa, a frequência de entradas nos braços fechados do labirinto. Ambos os regimes de tratamentos com BE foram capazes de aumentar a latência na plataforma da esquiva inibitória, sem qualquer interferência mnemônica intergrupos. A privação de sono interferiu na aprendizagem do animal mesmo quando usado bebida energética. Conclusões: As interferências decorrentes da privação do sono podem culminar com alterações nas ambulações dos animais, de tal forma a aumentar ou reduzir suas explorações de uma maneira dependente do teste experimental, sem sofrer interferência mediante o consumo de BE, pelo menos na dose aqui administrada. Entretanto, a mesma dose pode induzir efeito ansiolítico quando administrada 1h antes das avaliações comportamentais em ratos privados de sono, enquanto que quando administrado com 24h, induz efeito excitatório. Não foi observado qualquer alteração na aprendizagem/memória que possa justificar o efeito mnemônico da BE per se, no teste da esquiva inibitória, e o uso de BE não foi capaz de reverter as respostas de aprendizagem/memoria na PS.
Abstract: Introduction: Sleep is a basic need for human and animal survival. The difficulty in sleeping, due to different causes, alters the physical and mental well-being, interfering in the quality of life. Currently, some stimulants are consumed to reduce drowsiness due to sleep deprivation and, therefore, reduce anxiety levels and learning and memory deficits. However, there are many contradictory results regarding this interaction, fitting our interest in this investigation. Aim of this study: To investigate behavioral and cognitive deficits caused by sleep deprivation in rats under energetic effects. Methods: It was used 42 Wistar rats, 2 months old, weighing around 225 g, deprived of sleep for 24 h, evaluated in a multiple platform model. The rats were randomly divided into 6 groups (n=7): Control (C), Sleep deprivation (SD), Energy drink consumed 24 hours before experimental tests (ED24h), Energy drink consumed immediately before starting the 24 hours deprivation of sleep (ED24h + SD), Energy drink consumed 1h before the tests (ED1h), Energy drink consumed 1h before the tests in animals that were 24 hours in sleep deprivation (SD + ED1h). The energy drink (Red Bul®) was administered by gavage (1.8 ml/kg). The experimental models used were open field (locomotor activity), elevated plus maze (EPM - anxiety) and inhibitory avoidance (learning/memory). Results: It was observed that sleep-deprived animals reduced the locomotion when evaluated in the open-field test and increased in the closed arms of the EPM. In this apparatus, it was observed that the SD + ED1h group was able to increase the percentage of entries and the time spent in their open arms without any interference in locomotion. In contrast, the ED24h + SD group significantly increased the frequency of entries in the closed arms of the EPM. Both regimens of ED treatments were able to increase latency on the platform of inhibitory avoidance without any intergroups mnemonic interference. Sleep deprivation interferes with animal learning even when using energy drinks. Conclusions: Interference due to sleep deprivation can lead to changes in the locomotion of the animals, in such a way as to increase or reduce their explorations in a manner dependent on the experimental test, without interference by the consumption of ED, at least in the dose here administered. However, the same dose may induce anxiolytic effect when administered 1h before the behavioral evaluations in sleepdeprived rats, whereas when administered with 24h induces excitatory effect. No change in learning/memory was observad to justify the mnemonic effect of ED per se, in the inhibitory avoidance test, and the use of ED was not able to revert learning/memory responses in SD.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2018.02.D.32554
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Ciências Médicas (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/32554/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.