Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/32047
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_SimonedeBritoBarreto.pdf1,3 MBAdobe PDFView/Open
Title: Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF) : reconhecimento social da agricultura familiar brasileira
Authors: Barreto, Simone de Brito
Orientador(es):: Del Grossi, Mauro Eduardo
Assunto:: Agricultura familiar
Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF)
Reconhecimento social
Mercado
Issue Date: 5-Jun-2018
Citation: BARRETO, Simone de Brito. Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF): reconhecimento social da agricultura familiar brasileira. 2018. 100 f., il. Dissertação (Mestrado em Agronegócios)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Este trabalho aborda o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF), a partir da ótica dos permissionários (pessoas físicas e jurídicas), diretores de sindicatos e agentes de Assistência Técnica e Extensão rural - ATER, sobre os significados do Selo, a fim de verificar: (i)se o SIPAF implica um diferencial competitivo para os produtos da agricultura familiar; (ii) as expectativas e dificuldades em relação à obtenção e uso do Selo. O estudo está referenciado na atualidade da agricultura familiar no Brasil, assim como nas mudanças no meio rural, onde a globalização tem modificado desde a forma de distribuição dos alimentos até os modos de produção. Esses modos de produção sempre padronizados exercem influência negativa, acarretando a perda das culturas e dos modos de fazer agricultura, o que reflete diretamente na alimentação da população. O trabalho reflete sobre as mudanças dos sistemas produtivos de alimentos, aliadas às alterações no comportamento dos consumidores, que buscam cada vez mais alimentos que atendam também as questões sociais e ambientais. Essas mudanças favorecem a criação de mercados para os produtos da agricultura familiar, que, por sua vez, são reforçados por selos, entre eles o SIPAF. O trabalho de campo analisa relatos de permissionários diretores de sindicatos e agentes de ATER, dos estados do Rio Grande do Sul e da Bahia, e aponta um conjunto de percepções sobre o Selo, que envolve tanto o significado do SIPAF para os permissionários e sua produção, quanto diferencial competitivo para os produtos da agricultura familiar. Verificam-se, ainda, as expectativas quanto aos potenciais que o Selo pode vir a ter e a contribuição desse para o fortalecimento e reconhecimento dos(as) agricultores(as) familiares. Os(as) agricultores(as) veem no selo uma possibilidade de diferenciação da sua produção – artesanal e caseira, da produção agroindustrializada e, com isso, ganho de espaço no mercado. Além da questão mercadológica o Selo é visto como um elemento de reconhecimento social da agricultura familiar, possibilitando a identificação e a valorização da produção de base familiar, o que favorece também a afirmação da identidade do(a) agricultor(a) familiar frente a um mundo cada dia mais global. Como contraponto, esse mundo globalizado vive uma busca constante por identidades locais/regionais, como forma de diferenciação frente ao modelo de massificação vivenciado na atualidade, incluídos aí os modos de produção de alimentos. O trabalho discute ainda benefícios almejados pelos permissionários do SIPAF e a difusão de uso de selos no MERCOSUL.
Abstract: This paper introduce and analyze the Seal of Identification of the Participation of Family Agriculture (SIPAF), from the perspective of the Seal permission holders (individuals and companies), union directors and extension educators of ATER, regarding the what the Seal mean to them, in order to verify the following statements: (I) whether the SIPAF implies a competitive differential for the family farm products; (ii) the expectations and challeges regarding the attainment and use of the Seal. The study is currently referenced in family farm in Brazil, as well as changes in the rural context, where globalization has changed from the distribution of food to the modes of production. These ever-standardized modes of production exert a negative influence, leading to loss of crops and the ways of farming, which directly reflects the population's diet. The paper reflects on changes in food production systems, coupled with changes in consumer behavior, which are increasingly seeking food that also addresses social and environmental justice. These changes favor the creation of markets for the family farm products, which, in turn, are reinforced by stamps, among them the SIPAF. The fieldwork analyzes the reports of permission holders of trade unions and extension educators of ATER, from the Rio Grande do Sul State and Bahia State, and it points out a set of perceived values about the seal, which involves both the meaning of the SIPAF for the permit holders and their production, as a competitive differential for the family farm products. The farmers expressed their expectations regarding the potential that the Seal, and the impact of Seal to the empowerement and recognition of family farmers. Farmers see on the label a possibility of distinguishing their production - homemade and crafty, from thea groindustrialized production and, with this, advance and promote their product in the market. In addition to the marketing perspective, the Seal is seen as an element of social recognition of family farming, allowing the identification and appreciation of family-based production, which also favors the affirmation of the identity of the family farmer in front of a world and globalization. As a counterpoint, this globalized world lives a constant search for local / regional identities, as a form of differentiation against the model of industrialization experienced today, including the ways of food production. This paper also investigates the impact and benefit achieved by the SIPAF permission holders, and the application of the SIPAF experience in the MERCOSUL.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Programa de Pós-Graduação em Agronegócios, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FAV - Mestrado em Agronegócios (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/32047/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.