Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/3188
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Marina Magalhaes.pdf1,43 MBAdobe PDFView/Open
Title: Sobre a morfologia e a sintaxe da língua Guajá (FamíliaTupí-Guaraní)
Authors: Magalhães, Marina Maria Silva
Orientador(es):: Rodrigues, Aryon Dall'Igna
Assunto:: Língua tupi-guarani
Índios - línguas
Gramática comparada e geral
Issue Date: 13-Jan-2010
Citation: MAGALHÃES, Marina Maria Silva. Sobre a morfologia e a sintaxe da língua Guajá (FamíliaTupí-Guaraní). 2007. 315 f., il. Tese (Doutorado)-Departamento de Lingüística, Português e Línguas Clássicas, Instituto de Letras, Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: Esta tese apresenta uma análise sobre aspectos da morfologia e da sintaxe da língua Guajá (família Tupí-Guaraní) descrevendo suas classes de palavras, a morfologia flexional e derivacional que as caracteriza, além da estrutura de suas orações independentes e dependentes. No capítulo 1 são apresentadas as classes de palavras lexicais do Guajá, nomes, verbos, adjetivos, advérbios e numerais, e uma discussão sobre a classificação do léxico em categorias, com ênfase na proposta de existência de uma classe de adjetivos que difere semântica, morfológica e sintaticamente da classe dos nomes e dos verbos. O capítulo 2 trata das classes menores de palavras não-lexicais: pronomes, posposições, partículas e interjeições. O capítulo 3 é dedicado apenas à descrição da flexão relacional da língua Guajá por tratar-se de um fenômeno morfossintático essencial para a compreensão dos capítulos subseqüentes. No capítulo 4 são apresentados primeiramente os fenômenos morfológicos e sintáticos relacionados à classe dos nomes, entre os quais a morfologia flexional que a caracteriza, as três subclasses em que se divide e as características morfossintáticas decorrentes dessa subdivisão, além dos processos derivacionais próprios dos nomes e a composição nominal. Ainda no capítulo 4 é descrita a morfologia flexional dos adjetivos, ressaltando as diferenças morfossintáticas entre essa classe e a dos nomes, apesar da aparente semelhança morfológica. O final deste capítulo trata da flexão com o sufixo de caso translativo, comum às duas classes de palavras. No capítulo 5 são abordados os fenômenos morfológicos e sintáticos relacionados especificamente aos verbos, onde será apresentada a morfologia flexional própria dessa classe, as subclasses em que eles se dividem e a hierarquia referencial sintático-semântica que condiciona a escolha dos prefixos marcadores de pessoa nos verbos transitivos. Ao final, o processo de incorporação nominal na língua é detalhado. O capítulo 6, por sua vez, trata de fenômenos morfológicos e sintáticos que são comuns a diferentes classes de palavras, como os processos de derivação com sufixos de intensidade e atenuação, formação de verbos por meio da causativização, formação de nomes por meio de diferentes tipos de nominalizações, reduplicação e um fenômeno lexical que classifico como um tipo especial de incorporação de temas de distintas classes. No capítulo 7 são apresentados os tipos de predicados da língua Guajá: os eventivos, os estativos, os existenciais e os equativos, cada um com características morfológicas e sintáticas próprias que justificam tratá-los como tipos diferentes de predicados. O capítulo 8 apresenta a estrutura das orações independentes descrevendo os modos em que elas podem ocorrer (indicativo I, indicativo II, imperativo e exortativo) e os diferentes afixos e partículas clíticas que distinguem tais modos. O capítulo 9, além de tratar da coordenação na língua Guajá, descreve também os diferentes tipos de relação de subordinação entre as orações, apresentando não somente a subordinação no nível sintático, mas também a subordinação semântica, onde não há a presença de um morfema subordinador. Finalmente, o último capítulo descreve a negação em Guajá. Nesse décimo capítulo são apresentados os quatro morfemas negativos, sua ocorrência de acordo com diferentes critérios e, ainda, uma palavra independente que significa ‘não’. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This dissertation presents an analysis of morphological and syntactic aspects of the Guajá language (Tupí-Guaraní family), focusing on word classes, their inflectional and derivational morphology, as well as on the structure of independent and dependent clauses. Chapter 1 deals with lexical word classes – nouns, verbs, adjectives, adverbs and numerals – and discusses lexical classification in categories, proposing a class of adjectives semantically, morphologically and syntactically different from the classes of nouns and verbs. Chapter 2 deals with minor classes of non-lexical words: pronouns, postpositions, particles and interjections. Chapter 3 focuses on the description of relational inflection for this is an essential morphosyntactic phenomenon to understand the following chapters. Chapter 4 presents morphological and syntactic phenomena related to the class of nouns, focusing on its inflectional morphology, its three subclasses and their morphosyntactic characteristics, as well as nominal derivational processes and composition. This chapter also deals with the inflectional morphology of adjectives, emphasizing the morphosyntactic differences between this class and that of nouns in spite of their apparent morphological resemblance, and describes the inflection with translative suffix, common to both word classes. Chapter 5 deals with morphological and syntactic phenomena related to verbs, presenting the inflectional morphology of this class, its subclasses, and the syntacticsemantic referential hierarchy which determines the person-marking prefix of transitive verbs, as well as the nominal incorporation process. Chapter 6 deals with morphological and syntactic phenomena common to the various word classes, such as derivational processes with intensity and attenuation suffixes, verb formation by means of causativization, noun formation by means of nominalization, reduplication and a lexical process considered here as a special kind of incorporation of stems of several classes. Chapter 7 presents the different types of predicates of the Guajá language: eventive, stative, existential and equative, each of which with their own morphological and syntactic characteristics. Chapter 8 describes the structure of independent clauses, focusing on mood (indicative I, indicative II, imperative and exortative) and the various affixes and clitic particles that characterize each of them. Chapter 9 deals with coordination and describes the diverse types of subordination between clauses, presenting both syntactic and semantic subordination, which is characterized by the absence of a subordinating morpheme. Finally, the last chapter focuses on negation in Guajá, describing the four negative morphemes and their occurrence, as well as the independent word meaning ‘no’.
Description: Tese(doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Classicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2007.
Appears in Collections:LIP - Doutorado em Linguística (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3188/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.