Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31578
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_StevamLopesAlvesAfonso.pdf922,37 kBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSouza, Wânia Cristina de-
dc.contributor.authorAfonso, Stevam Lopes Alves-
dc.date.accessioned2018-04-09T20:30:47Z-
dc.date.available2018-04-09T20:30:47Z-
dc.date.issued2018-04-09-
dc.date.submitted2017-12-07-
dc.identifier.citationAFONSO, Stevam Lopes Alves. Diferenças no reconhecimento de expressões faciais de emoção em ocupações laborais distintas. 2017. viii, 64 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências do Comportamento)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/31578-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Processos Psicológicos Básicos, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Comportamento, 2017.pt_BR
dc.description.abstractA presente pesquisa propôs investigar se a quantidade de interação interpessoal pode influenciar na habilidade de reconhecimento de expressões faciais de emoção. O estudo foi composto por uma amostra de 44 adultos, pertencentes a quatro instituições diferentes: Professores de ensino médio, Conciliadores da Justiça Federal, Técnicos de call center e Servidores públicos do Tesouro Nacional. A hipótese inicial sugeriu que os profissionais cuja atividade exige interação direta com outras pessoas tenham um desempenho melhor que profissionais cuja atividade não seja dependente de interações diretas em uma tarefa de reconhecimento de expressões faciais de emoção a partir de fotos com expressões estáticas. Os resultados apresentaram diferenças significativas apenas para a idade dos participantes, porém foi possível observar que a ocupação laboral dos participantes exerceu um efeito grande sobre seu desempenho na tarefa de reconhecimento de expressões faciais de emoção. Este dado mostra que atividade desempenhada pelos participantes pode influenciar sua habilidade de reconhecimento de expressões faciais, auxiliando a gerar novas hipóteses para pesquisas futuras.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleDiferenças no reconhecimento de expressões faciais de emoção em ocupações laborais distintaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordEmoçõespt_BR
dc.subject.keywordExpressão facialpt_BR
dc.subject.keywordTrabalho - aspectos sociaispt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1The present research proposed to investigate whether the amount of interpersonal interaction can influence the ability to recognize facial expressions of emotion. The study consisted of a sample of 44 adults belonging to four different institutions: High School teachers, Federal court conciliators, Call center technicians and Public servers of the National treasury. The initial hypothesis suggested that professionals whose activity requires direct interaction with other people, would perform better than professionals whose activity is not dependent on direct interactions in a facial emotion expression recognition task using photos with static expressions. The results showed significant differences only for the age of the participants, but it was possible to observe that the occupation of the participants exerted a great effect on their performance in the task of recognition of facial expressions of emotion. This data shows that the activity performed by the participants may influence their ability to recognize facial expressions, helping to generate new hypotheses for future research.pt_BR
Appears in Collections:PPB - Mestrado em Ciências do Comportamento (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/31578/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.