Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31163
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_VanjaGrujić.pdf3,7 MBAdobe PDFView/Open
Title: Jürgen Habermas and Carl Schmitt in the paradigm of modernity : for a critique of the modern law
Authors: Grujić, Vanja
Orientador(es):: Milovic, Miroslav
Coorientador(es):: Neves, Marcelo da Costa Pinto
Assunto:: Modernidade
Direito moderno
Crítica
Jugoslávia
Hegel, Georg Wilhelm Friedrich, 1770-1831 - crítica e interpretação
Issue Date: 6-Feb-2018
Citation: GRUJIĆ, Vanja. Jürgen Habermas and Carl Schmitt in the paradigm of modernity: for a critique of the modern law. 2017. 267 f., il. Tese (Doutorado em Direito)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Abstract: No centro deste trabalho é a possibilidade de pensar e criticar a modernidade e o direito moderno. Em seu fundo está a História da República Federativa Socialista da Jugoslávia, onde a violência e a exclusão nos permitem compreender claramente a perda de uma racionalidade particular. Com o trabalho de Hegel, o moderno é colocado em foco, enquanto a obra de Jürgen Habermas traz outro objetivo e outra possibilidade para o mundo moderno - a intersubjetividade. Seguindo os argumentos de Habermas chegamos até o mundo, que é social. Porém, a pergunta que surge é se esse mundo moderno pode compreender a natureza intersubjetiva de nossas sociedades. Eu escolhi enquadrar a crítica do projeto de Habermas em torno do conceito de lei moderna usando a teoria de Carl Schmitt, que desafia os conceitos de democracia liberal, legitimidade e legalidade, deixando a possibilidade de pensar uma alternativa às democracias de massa, como o modelo agonista de Chantal Mouffe.
Abstract: In the centre of this work is the possibility to think and criticize modernity and modern law. In its background stands the history of The Socialist Federal Republic of Yugoslavia, where the violence and exclusion allow us to grasp clearly the loss of particular reason. With the work of Hegel the word modern is put in the focus, while oeuvre of Jürgen Habermas brings another goal and possibility for the modern world – the intersubjectivity. This work follows Habermas’s arguments and it is on the ground of their shortcoming where the critique of modernity arises. The world is social, but can the modern world grasp the intersubjective nature of our societies? I chose to frame the critique of Habermas’s project around the concept of modern law using the theory of Carl Schmitt, who challenges the concepts of liberal democracy, legitimacy, and legality, leaving the possibility to think an alternative to the mass democracies, like the agonistic model of Chantal Mouffe.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Direito, Programa de Pós-Graduação em Direito, 2017.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FD - Doutorado em Direito (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/31163/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.