Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/29312
Files in This Item:
File SizeFormat 
ARTIGO_RelacoesFamiliaresPerspectiva.pdf214,43 kBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSilva, Simone Cerqueira dapt_BR
dc.contributor.authorDessen, Maria Auxiliadora da Silva Campospt_BR
dc.date.accessioned2017-12-07T05:07:35Z-
dc.date.available2017-12-07T05:07:35Z-
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.citationSILVA, Simone Cerqueira da; DESSEN, Maria Auxiliadora. Relações familiares na perspectiva de pais, irmãos e crianças com deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 20, n. 3, p. 421-434, set. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382014000300008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382014000300008&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 26 jun. 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/29312-
dc.description.abstractO desenvolvimento das crianças com deficiência é influenciado pelas relações familiares, sobretudo pelo modo como os pais lidam com a criança e a deficiência. No entanto, apesar de sua importância, pouco é conhecido sobre o funcionamento global dessas famílias. Assim, este estudo teve como objetivo investigar as características das relações familiares de crianças com deficiência (auditiva, intelectual, física, múltipla e visual) na perspectiva das mães (n=16), dos pais (n=12), dos irmãos (n=10) e das próprias crianças com deficiência (n=16), priorizando as relações nos subsistemas parental, conjugal e fraterno. Foi realizada uma entrevista semiestruturada com cada um dos participantes, individualmente, em suas respectivas residências, e foi aplicado um questionário de caracterização do sistema familiar com um dos genitores. Os resultados mostram que as práticas parentais são percebidas como coercitivas, mesmo havendo harmonia, diálogo e compartilhamento nos cuidados com os filhos. As relações conjugais são vistas como predominantemente satisfatórias, embora existam conflitos. Já sobre as relações fraternas, foram frequentes os relatos sobre conflito, harmonia, cuidado/proteção e coesão/união entre os irmãos. A percepção das relações familiares varia em função do tipo de deficiência da criança no que tange às práticas educativas parentais, aos valores/crenças presentes na educação dos filhos e aos conflitos conjugais e entre irmãos. Os resultados indicam a necessidade urgente de investigar os padrões de comunicação em famílias com crianças com diferentes tipos de deficiência, visando à elaboração de propostas de educação e reeducação voltadas ao funcionamento típico de cada tipologia de família.pt_BR
dc.language.isoptpt_BR
dc.publisherAssociação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEEpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleRelações familiares na perspectiva de pais, irmãos e crianças com deficiênciapt_BR
dc.title.alternativeFamily relationships : a perspective of parents, siblings and children with deficiency-
dc.typeArtigopt_BR
dc.subject.keywordRelações familiarespt_BR
dc.subject.keywordDeficiênciapt_BR
dc.subject.keywordFamíliapt_BR
dc.rights.licenseRevista Brasileira de Educação Especial - (CC BY NC) - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identicado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons. Fonte: http://www.scielo.br/scielo.phpc script=sci_arttexttpid=S1413-65382014000300008tlng=ptttlng=pt . Acesso em: 26 jun. 2019.-
dc.identifier.doihttps://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382014000300008pt_BR
dc.description.abstract1The development of disabled children is influenced by family relationships, especially by the way parents deal with the child and the disability. Nonetheless, despite its importance, little is known about the overall functioning of these families. Thus, this study aimed to investigate the characteristics of family relationships of children with disabilities (hearing, intellectual, physical, multiple, and visual) from the perspective of mothers (n=16), parents (n=12), siblings (n=10) and the children with disabilities themselves (n=16), focusing mainly on the relationships in the parental, conjugal and fraternal subsystems. A semi-structured interview was carried out with each participant individually in their homes, and one parent replied a questionnaire to characterize the family system. The results show that parenting practices are perceived as coercive, even if there is harmony, dialogue and sharing the care of children. Conjugal relations are seen as predominantly satisfactory, although there are conflicts. In the sibling relations, there were frequent reports about conflict, harmony, care/protection and cohesion/unity among siblings. The perception of family relationships vary in function of the type of disability of the child in relation to parenting educational practices, values​​/beliefs present in the children's education, marital conflicts and conflicts among siblings. The results indicate an urgent need to investigate the communication patterns in families with children with different disabilities, aiming at the elaboration of proposals for education and re-education related to the typical functioning of each type of family.-
Appears in Collections:PED - Artigos publicados em periódicos

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/29312/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.