Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/28530
Files in This Item:
File SizeFormat 
a24v17n9.pdf124,24 kBAdobe PDFView/Open
Title: Deficiência, políticas públicas e bioética: percepção de gestores públicos e conselheiros de direitos
Disability, public policies and bioethics: the perception of public administrators and legal counselors
Authors: Bernardes, Liliane Cristina Gonçalves
Araújo, Tereza Cristina Cavalcanti Ferreira de
Assunto:: Pessoas com deficiência
Bioética
Política pública
Conselheiros de direitos
Gestores públicos
Issue Date: 2012
Publisher: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Citation: Ciênc. saúde coletiva,v.17,n.9,p.2435-2445,2012
Abstract: Tomando como base reflexões bioéticas sobre direitos humanos, realizou-se um estudo descritivo e exploratório sobre a percepção de conselheiros e gestores públicos acerca da deficiência. Para tanto, foi conduzido um survey com 50 participantes, distribuídos em dois grupos: 29 conselheiros de direitos da pessoa com deficiência e 21 especialistas em políticas públicas e gestão governamental. Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística descritiva. De modo geral, os resultados apontaram que, para os conselheiros, a deficiência é uma questão social que deve ser compartilhada em sociedade; ao passo que, para os gestores, trata-se sobretudo de uma tragédia pessoal circunscrita à esfera individual e familiar. Hipotetiza-se que tal visão diferenciada decorre de perspectivas diferentes em relação à alocação dos recursos públicos. Destaca-se, também, a importância da vivência da deficiência, ou a convivência com pessoas com deficiência, para fundamentar a avaliação da qualidade e a satisfação com a vida experimentada pelas pessoas com deficiência e contribuir para a elaboração de políticas públicas. Recomendam-se estudos semelhantes com amostras mais abrangentes e diversificadas, assim como a adoção de metodologias qualitativas e participativas.
A descriptive study of the perception of public administrators and counselors regarding disability was conducted on the basis of bioethical reflections on human rights. The survey involved 50 participants, divided into two groups: 29 counselors on the rights of disabled people and 21 specialists in public policies and government administration. The data obtained was submitted to descriptive statistical analysis. In general, the results showed that for counselors disability is a social issue and should be shared by society, whereas for public administrators it is predominantly a personal tragedy limited to the individual and family sphere. It is considered that this differentiated view arises from different perspectives regarding the allocation of public resources. It is also necessary to stress the importance of living with a disability, or living with people with disabilities, to base the assessment of quality and satisfaction with life experienced by people with disabilities and contribute to the elaboration of public policies. Similar studies with more comprehensive and diversified samples are recommended, as well as the adoption of participative and qualitative methodologies.
DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000900024
Appears in Collections:Uso interno - em processamento

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/28530/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.