Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/22942
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_RepresentacoesSociaisTrabalhadoresindígena.pdf517,26 kBAdobe PDFView/Open
ARTIGO_RepresentacionesSocialesAtencio.pdf556,57 kBAdobe PDFView/Open
ARTIGO_SocialRepresentationsHealth.pdf523,71 kBAdobe PDFView/Open
Title: As representações sociais dos trabalhadores sobre o cuidado à saúde da população indígena Mbyá-Guarani
Authors: Falkenberg, Mirian Benites
Shimizu, Helena Eri
Díaz Bermúdez, Ximena Pamela
Assunto:: Saúde indígena
Assistência à saúde
Medicina
Issue Date: 6-Feb-2017
Publisher: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Citation: FALKENBERG, Mirian Benites; SHIMIZU, Helena Eri; DÍAZ BERMUDEZ, Ximena Pamela. As representações sociais dos trabalhadores sobre o cuidado à saúde da população indígena Mbyá-Guarani. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 25, e2846, 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692017000100308&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 16 mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.1505.2846.
Abstract: Objetivo: analisar as representações do cuidado em saúde entre trabalhadores que atuam em equipes multidisciplinares no Distrito Sanitário Especial Indígena Litoral Sul do Rio Grande do Sul, junto à etnia Mbyá-Guarani. Método: utilizou-se método qualitativo, fundamentado na teoria das Representações . Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com 20 trabalhadores e da observação participante. As entrevistas analisadas com o software ALCESTE, o qual realiza a análise lexical de conteúdo por meio de técnicas quantitativas de tratamento de dados textuais. Resultados: verificou-se que existe tensão entre as concepções e práticas de cuidado da medicina tradicional e da biomedicina, mas observam-se alguns avanços na perspectiva da intermedicalidade. Fronteiras étnicas estabelecidas entre os trabalhadores e os indígenas, baseadas em suas representações de cultura e família, da mesma maneira que a falta de infraestrutura e os modos de organização do trabalho em saúde são percebidos como fatores que dificultam o cuidado em contextos de interculturalidade. Conclusão: é preciso estabelecer novas bases para o processo de cuidar em saúde indígena, a partir da compreensão das necessidades representadas, negociadas entre sujeitos individuais e coletivos e os profissionais nas instituições de saúde em um diálogo intercultural de múltiplas vozes.
Licença:: Revista Latino-Americana de Enfermagem - This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License(Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692017000100308&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 16 mar. 2017.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.1505.2846
Appears in Collections:DSC - Artigos publicados em periódicos e preprints

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/22942/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.