Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/22771
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_JulianoCoelhodeOliveiraZakir.pdf2,58 MBAdobe PDFView/Open
Title: Estudo observacional e retrospectivo de macroadenomas hipofisários agressivos e sua relação com a imunoreatividade tissular para marcadores de proliferação celular
Authors: Zakir, Juliano Coelho de Oliveira
Orientador(es):: Naves, Luciana Ansaneli
Assunto:: Marcador tumoral
Imunoreatividade
Adenoma hipofisário
Issue Date: 27-Feb-2017
Citation: ZAKIR, Juliano Coelho de Oliveira. Estudo observacional e retrospectivo de macroadenomas hipofisários agressivos e sua relação com a imunoreatividade tissular para marcadores de proliferação celular. 2016. 119 f. il. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Abstract: A grande maioria dos tumores hipofisários são benignos, no entanto, alguns adenomas podem apresentar comportamento agressivo. Ainda há controvérsias sobre fatores que possam predizer o comportamento biológico desses tumores específicos. Este estudo avaliou potenciais marcadores de invasão e proliferação em comparação com os sistemas de classificação vigentes e parâmetros epidemiogeográficos. Foram incluídos no presente estudo 50 pacientes submetidos, previamente, a tratamento cirúrgico, por tumores hipofisários maiores que 30 mm, com tempo médio de seguimento pós-operatório de 15,2 ± 4,8 anos. Parâmetros anatômicos, como invasão e extensão para estruturas adjacentes, e recrescimento/recorrência tumoral foram avaliados por meio de ressonância nuclear magnética de sela túrcica. Três biomarcadores teciduais de proliferação foram analisados: p53, Ki-67, e c-erbB2. Os tumores foram classificados de acordo com uma combinação de características histológicas e radiológicas, variando de não-invasivos e não-proliferativos (grau 1A) até invasivo-proliferativos (grau 2B). Os tumores classificados como graus 2A e 2B representaram 42% e 52% da amostra, respectivamente. Ki-67 (p-valor = 0,23) e c-erbB2 (p-valor = 0,71) não mostraram relação significativa com o status de progressão tumoral. O biomarcador p53 (p-valor = 0,003), invasão para-selar (p-valor = 0,03), e a classificação clínico-patológica, grau 2B (p-valor = 0,01), estiveram associados com o desfecho clínico desfavorável. Invasão para-selar prevalece como forte fator preditivo de recorrência tumoral. Extensão supra-selar avançada deve ser considerada como parâmetro adicional de invasão e pode ter impacto no prognóstico. Não houve fatores ambientais ou agrupamentos geográficos associados ao comportamento evolutivo tumoral.
Abstract: Although some pituitary adenomas may have an aggressive behavior, the vast majority are benign. There are still controversies about predictive factors regarding the biological behavior of these particular tumors. This study evaluated potential markers of invasion and proliferation compared to current classification patterns and epidemiogeographical parameters. The study included 50 patients, operated on for tumors greater than 30 mm, with a mean postoperative follow-up of 15.2 ± 4.8 years. Pituitary magnetic resonance was used to evaluate regrowth/recurrence, invasion, and extension to adjacent tissue. Three tissue proliferation biomarkers were analyzed: p53, Ki-67, and c-erbB2. Tumors were classified according to a combination of histological and radiological features, ranging from noninvasive and nonproliferative (grade 1A) to invasive-proliferative (grade 2B). Tumors grades 2A and 2B represented 42% and 52%, respectively. Ki-67 (p-value = 0.23) and c-erbB2 (p-value = 0.71) had no significant relation to tumor progression status. The biomarker p53 (p-value = 0.003), parasellar invasion (p-value = 0.03), and clinicopathological classification, grade 2B (p-value = 0.01), were associated with worse clinical outcome. Parasellar invasion prevails as strong predictive factor of tumor recurrence. Severe suprasellar extension should be considered as additional invasion parameter and could impact prognosis. No environmental factors or geographical cluster were associated with tumor behavior.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2016.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FS - Doutorado em Ciências da Saúde (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/22771/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.