Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/22016
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_MichelSantosSilva.pdf3,1 MBAdobe PDFView/Open
Title: Efeitos de diferentes intervalos de recuperação entre as séries do treinamento resistido nas respostas neuromusculares em idosos com Doença de Parkinson
Authors: Silva, Michel Santos
Orientador(es):: Oliveira, Ricardo Jacó de
Assunto:: Parkinson, Doença de
Fadiga muscular
Eletromiografia de superfície
Intervalo de recuperação
Issue Date: 21-Dec-2016
Citation: SILVA, Michel Santos. Efeitos de diferentes intervalos de recuperação entre as séries do treinamento resistido nas respostas neuromusculares em idosos com Doença de Parkinson. 2015. 82 f., il. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde)— Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Abstract: A Doença de Parkinson (DP) é uma doença idiopática, crônica e progressiva, associada a perda ou degeneração do sistema dopaminérgico da substância nigra (SNpc), localizada no mesencéfalo. Aspectos motores mais incapacitantes estão relacionados a dificuldades no desempenho das atividades da vida diária (AVDS) e maior nível de dependência. A prática de exercícios resistidos vem sendo apontada como importante abordagem complementar ao tratamento medicamentoso, porém o controle inapropriado de suas variáveis de treinamento, como o intervalo de recuperação (IR), contribui para inconsistências nos resultados dos estudos com treinamento resistido na DP. O idoso com DP apresenta uma degeneração acelerada quando comparado ao idoso aparentemente saudável, desta forma, o tempo ideal do IR entre séries de exercícios em indivíduos com DP pode não ser o mesmo que em outras populações. O objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos de diferentes IRs entre as séries de treinamento resistido isoinercial na ativação muscular e níveis de fadiga em idosos com DP e indivíduos aparentemente saudáveis. Foram avaliados 26 indivíduos, divididos em Grupo Parkinson (GP=15) e Grupo Controle (GC=11). Inicialmente os voluntários foram submetidos a um teste de 10RM. Nas visitas subsequentes, separadas por um mínimo de 48h, foram realizadas 3 séries de 15 repetições isoinerciais de extensão bilateral de joelhos a 85% de 10RM. Em cada visita foi aplicado um IR entre séries (30, 60 e 120 seg), definido de forma randomizada. A ativação muscular e os níveis de fadiga foram avaliados por meio da Eletromiografia de Superfície (EMG). As análises estatísticas foram realizadas por meio do programa SPSS (Statistical Package for Social Sciences) versão 20.0. A estatística descritiva foi apresentada por média e desvio-padrão e a normalidade dos dados foi analisada pelo teste Shapiro-Wilk. Foi utilizada uma Análise de Variância (ANOVA) de modelos mistos ([Grupo (Parkinson e Controle) x intervalos de recuperação (30,60 e 120 seg) x séries (1ª, 2ª e 3ª séries)]). Como teste post-hoc foi utilizado o método LSD. O nível de significância adotado foi de 5% (p<0,05). Não foram encontradas interações significativas entre grupos vs. intervalo de recuperação vs. séries de exercício para o desempenho muscular (p=0,818) na extensão dos joelhos. O percentual de desempenho muscular no GP foi maior em sua 3a série quando comparado a 1a série (p=0,002) no IR de 30seg. O IR de 60 seg também apresentou um maior desempenho muscular quando comparado a 2a com a 1a série (p=0,013). Não foram encontradas interações significativas entre grupos em relação aos índices de fadiga nos IRs 30,60 e 120seg. Tanto o GP quanto o GC mostraram que os IRs (30, 60seg) exercem maiores efeitos nos índices de fadiga entre as séries, enquanto os resultados obtidos no GP em 120seg demonstraram que os níveis de fadiga não foram influenciados ao longo das séries, mantendo-se praticamente inalterada durante toda a execução da série. Conclui-se que indivíduos com DP necessitem de intervalos superiores a 120 segundos para que ocorra uma melhor recuperação entre as séries no exercício isoinercial, mantendo níveis constantes de ativação muscular e possibilitando menores índices de fadiga durante 3 séries de 15 repetições de extensão de joelhos.
Abstract: Parkinson's disease (PD) is an idiopathic, chronic, progressive disease, associated with loss or degeneration of substantia nigra (SNpc) of dopaminergic system, located in midbrain. PD is characterized by motor and no-motor symptoms, and fatigue, decreased muscle activation and the loss of ability to generate power have been characterized as common and consistent problems in the disease. The practice of resistance exercises has been indicated as an important complementary approach to drug treatment, but inappropriate control of training variables, as the rest interval (RI) contributes to inconsistencies in the studies results with resistance training and PD. The elderly with PD shows an accelerated degeneration when compared to apparently healthy elderly, thus the optimal RI time between exercise`s series in patients with PD may not be the same of other populations. Therefore, the purpose of this study was to evaluate the effects of different RIs between isoinertial resistance training series in muscle performance and fatigue levels, through muscle electrical activity in elderly patients with Parkinson's disease and apparently healthy individuals. Were evaluated 26 individuals, divided into Parkinson Group (PG = 15) and control group (CG = 11). Initially the volunteers were subjected to a 10RM test. In subsequent visits, separated by at least 48 hours, were performed 3 sets of 15 isoinertial repetitions of bilateral knee extension at 85% of 10MR. At each visit were applied an interval between sets (30, 60 and 120 sec), defined randomly. The muscular performance and fatigue levels were assessed by surface electromyography (EMG). Statistical analyzes were performed using SPSS (Statistical Package for Social Sciences) version 20.0. Descriptive statistics were presented as mean and standard deviation and normality of the data was analyzed by the Shapiro-Wilk test. Confirmed the normality of the data, an analysis of variance (ANOVA) mixed model was used ([Group (Parkinson and Control) x rest intervals (30, 60 and 120 sec) x series (1st, 2nd and 3rd series)]). As post-hoc test was used LSD. The significance level was 5% (p <0.05). No significant interactions were found between groups vs. recovery interval vs. exercise series for muscle performance (p = 0.818) in knee extension. The percentage of muscle performance in PG was higher in its third series when compared to the first series (p = 0.002) in the RI 30sec. The RI 60 sec also showed an increased muscle performance compared with the first to the second series (p = 0.013). No significant interactions were found between groups in relation to fatigue index in intervals 30, 60 and 120sec. Both the PG as CG showed that RIs (30, 60 sec) exert effects on fatigue index between the series, while the results obtained for 120 sec in PG showed that the fatigue levels were not influenced over the series, with maintaining unchanged for the entire execution of the series. Accordingly, it is concluded that individuals with PD require intervals greater than 120 seconds for occurs better recovery between the series of isoinertial exercise while minimizing the decrease in muscle performance and allowing lower levels of fatigue for 3 sets of 15 repetitions of knees extension.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2015.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2015.08.T.22016
Appears in Collections:PPGCS - Doutorado em Ciências da Saúde (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/22016/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.