Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/2124
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2006_Paulo Mauricio de Oliveira.pdf972,23 kBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação de sintomas depressivos em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico
Authors: Oliveira, Paulo Maurício de
Orientador(es):: Silva, Nilzio Antônio da
Assunto:: Depressão mental
Lúpus eritematoso
Pele - doenças
Issue Date: 20-Jun-2006
Citation: OLIVEIRA, Paulo Maurício de. Avaliação de sintomas depressivos em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico. 2006. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)-Convênio Rede Centro-Oeste, UnB/UFG/UFMS, Goiânia, 2006.
Abstract: A comorbidade entre depressão e outras condições clínicas tem sido objeto de estudo em diversos centros de pesquisa. OBJETIVO: investigar a presença e intensidade de sintomas depressivos em pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES). METODOLOGIA: O estudo foi realizado no Ambulatório de Reumatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia – GO, Brasil. A amostra foi constituída por 50 pacientes com diagnóstico de LES (amostra clínica) e 50 indivíduos saudáveis (amostra não-clínica). O instrumento usado para a coleta de dados foi o Inventário de Depressão de Beck (BDI), usando ponto de corte de 14 para a amostra clínica e de 18 para a nãoclínica. RESULTADOS: Na amostra clínica, os pacientes foram predominantemente do sexo feminino (94%), com parceiro fixo (58%), idade média de 33,42 ± 8,84 anos e o escore final do BDI de 29 (58%) pacientes foi maior ou igual a 15, sugerindo a presença de sintomas depressivos; dentre estes, 8 (27,6%) tinham escore entre 15 e 20, indicativo de disforia, e 21 (72,4%) totalizaram escore maior que 20, sugestivo da presença de transtorno depressivo. Na amostra não-clínica, 92% dos sujeitos eram do sexo feminino, com idade média de 33,73 ± 8,98 anos, 56% não tinham parceiro fixo e escores finais no BDI indicativos de possível transtorno depressivo (maior ou igual a 19) foram obtidos em 12% dos casos. CONCLUSÃO: A alta prevalência de escores indicando a presença de sintomas depressivos em pacientes com LES confirma a necessidade de maior atenção, por parte do médico clínico, para a possibilidade de comorbidade entre as duas patologias. Recomenda-se o fortalecimento do trabalho integrado dos profissionais das várias especialidades médicas e dos diferentes profissionais de saúde em benefício da clientela. _________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Comorbidity between depression and other clinical conditions has been studied in several research centers. OBJECTIVE: investigate the presence and intensity of depressive symptoms in patients with Systemic Lupus Erythematosus (SLE). METHODOLOGY: This study was carried out in the Rheumatology Outpatient Service of the Clinical Hospital of the Federal University of Goiás, in Goiânia-GO, Brazil. The sample comprised 50 patients with a diagnosis of SLE (clinical sample) and 50 healthy individuals (non-clinical sample). The instrument used to collect data was the Beck Depression Inventory (BDI), using cut-off point of 14 for the clinical sample and 18 for the non-clinical one. RESULTS: In the clinical sample, the patients were predominantly females (94%), with a steady partner (58%), mean age of 33.42 ± 8.84 years, and BDI final score for 29 (58%) patients was higher than or equal to 15, suggesting the presence of depressive symptoms; among these patients, 8 (27.6%) presented score between 15 and 20, indicative of dysphoria, and 21 (72.4%) showed score higher than 20, which suggests the presence of depressive disorder. In the non-clinical sample, 92% of the subjects were females, mean age of 33.73 ± 8.98 years, 56% did not have a steady partner, and BDI final scores indicating possible depressive disorder (higher than or equal to 19) were found in 12% of the cases. CONCLUSION: The high prevalence of scores indicating the presence of depressive symptoms in patients with SLE confirms that the general practitioner must pay closer attention to the possibility of comorbidity between these two pathologies. The strengthening of the integrated work of the various medical expertises and the different health professionals is recommended aiming to benefit their clients.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2006.
Appears in Collections:FS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/2124/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.