Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/17788
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_MercedesCeciliaSalamano.pdf1,06 MBAdobe PDFView/Open
Title: Bioética emancipadora em um enfoque tridimensional : técnica-saúde-justiça
Authors: Salamano, Mercedes Cecilia
Orientador(es):: Cabrera Alvarez, Julio Ramón
Assunto:: Bioética
Bioética da saúde
Issue Date: 12-Mar-2015
Citation: SALAMANO, Mercedes Cecilia. Bioética emancipadora em um enfoque tridimensional: técnica-saúde-justiça. 2014. 213 f. Tese (Doutorado em Bioética)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Abstract: O presente trabalho constitui uma construção teórica que se propõe fornecer algumas contribuições epistemológicas na hora de discutir a própria noção do humano, tal como ocorre frequentemente na Bioética como área transdisciplinar de estudo. A ideia é enfrentar-nos com a urgente necessidade de analisar a brecha entre o sujeito de escolhas e o substrato biológico, a fim de chegar a uma Bioética que não incorra no erro de centrar seu interesse em um ser humano concebido ainda em termos metafísicos. Além desta dimensão existencial, a Bioética aqui visada apresenta também uma motivação emancipadora. A metodologia proposta consiste em colocar a investigação dentro de um modelo de análise triangular que utiliza categorias interpretativas na interface de seus três componentes. Os três vértices deste modelo estão representados pela técnica, como elemento material, a saúde como elemento estritamente existencial, e a justiça como elemento social. O Capítulo I vai tratar da questão da técnica, as críticas em relação à sua aplicação e a emergência de um novo paradigma em Bioética. Apresenta-se a problemática do domínio técnico do mundo como critério único de progresso, cujo campo de exercício termina invadindo todo tipo de recursos e apropriando-se do próprio sujeito de decisões. O segundo capítulo pretende estabelecer uma vinculação específica com a questão da saúde, primeiro conceitual e mais tarde em relação ao modo como a mesma é afetada por aquela tecnologia, mostrando que as decisões em matéria de saúde são parte de projetos existenciais dirigidos, manipulados e inautênticos, responsáveis de todo tipo de normatividades ilegítimas (imposição da medicalização, injustiças com os corpos, excessos). O terceiro capítulo vai tentar enfrentar as problemáticas que foram colocadas, através de um esforço intelectual que possa encontrar na Bioética uma ferramenta que transponha os estancos legados da racionalidade moderna, tratando de reconciliar o homem com a natureza e incorporar o reconhecimento de um sujeito portador de outro saber (não exclusivamente orientando pelo critério técnico e científico) como membro de uma comunidade de interlocutores que reclama voz própria. Esta empreitada aproveita alguns elementos da filosofia da libertação de Enrique Dussel. Algumas das principais conclusões do presente trabalho referem a potencial capacidade do método triangular como ferramenta metodológica para a Bioética; a questão da Bioética existencial nas dimensões da técnica, da saúde e da justiça, onde a filosofia de Heidegger sobre o humano parece relevante; o papel da Universidade nesse triângulo; os Direitos Humanos, que nunca poderiam ser entendidos como objetivos no registro existencial heideggeriano; e finalmente a proposta de uma ética aplicada que forneça uma volta à perspectiva de Potter da Bioética como novo campo de saber, mas agora com a incorporação de uma consideração das dimensões existencial e emancipadora do humano.
Abstract: The present work is a theoretical construct that aims to provide epistemological contributions when discuss some notion of human being, as often occurs in bioethics as transdisciplinary field of research. The idea is to face the urgent need to analyze the gap between the subject of choices and its biological substratum, in order to formulate a Bioethics which does not commit the mistake of focusing on a human being still metaphysically conceived. Together with this existential dimension, Bioethics shall be here conceived also as following an emancipatory motivation. The methodology suggested consists on placing the investigation within a triangular model of analysis, able to create categories of interpretation in the interfaces of the three vertices of the model, which are Technique, as the material element, Health, as a strictly existential component, and Justice as a social element. Chapter I will discuss the issue of Technique, the criticism regarding its application and the emergence of a new paradigm in Bioethics. We present the problem of technical dominion of the world as the only criterion for progress, whose field of application invades every sort of resources and also the human being presumed as the subject of decisions. Chapter II will attempt to establish a specific relation with the issue of Health, first conceptually and then by studying the ways it is affected by technology, showing decisions about Health as part of manipulated existential projects with no authenticity and responsible for all kind of illegitimate regulations (e.g. imposed medicalization, acts of injustice against the body, different kinds of excess). Finally, chapter III will try to face the crucial questions put at the preceding chapters, trying to conceive Bioethics as a tool capable of surpassing the stalled legacy of modern rationality, attempting to reconcile man and nature and to incorporate acknowledgement of a human subject bearer of some kind of different knowledge, not exclusively guided by scientific and technical criteria, as a member of a community of interlocutors demanding his or her own voice. This enterprise is articulated by assuming some elements furnished by Enrique Dussel’s Philosophy of Liberation. Some of the main conclusions of the present study refer to the potential capacity of the triangular method to provide a methodological tool for Bioethics; the issue of existential dimensions of Bioethics, in which Heidegger’s philosophy of human being seems relevant to the three vertices: Technique, Health and Justice; the role of the University in this triangle; Human Rights, which can never be considered as objective items from Heidegger’s existential perspective and finally the proposal for an Applied Bioethics, which will encourage a return to Potter’s perspective of Bioethics as a new field of knowledge, but now with the incorporation of existential and emancipatory elements.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Bioética, 2014.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2014.12.T.17788
Appears in Collections:DSC - Doutorado em Bioética (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/17788/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.