Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/17054
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_DaviLimaPantojaLeite.pdf57,83 MBAdobe PDFView/Open
Title: As faunas de serpentes da América do Sul e Austrália : ecologia, biogeografia e evolução
Authors: Leite, Davi Lima Pantoja
Orientador(es):: Colli, Guarino Rinaldi
Assunto:: Comunidades biológicas
Ecologia - América do Sul
Historiografia - análise
Serpentes
Issue Date: 25-Nov-2014
Citation: LEITE, Davi Lima Pantoja. As faunas de serpentes da América do Sul e Austrália: ecologia, biogeografia e evolução. 2013. viii, 250 f., il. Tese (Doutorado em Ecologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Abstract: Este trabalho avalia comparativamente os cenários físicos e ecológicos em que se formaram as comunidades biológicas da América do Sul e Austrália, e reúne os alicerces teóricos para comparações biológicas entre estes continentes: (1) fornecendo uma lista da bibliografia básica; (2) descrevendo a história geográfica e climática de ambos os continentes e seus ambientes atuais; e (3) destacando os elementos que dão suporte às comparações biológicas entre América do Sul e Austrália. A estrutura das biotas atuais é consequência de eventos histórico-biogeográficos, das relações ecológicas pretéritas, e das restrições filogenéticas de suas linhagens, que por fim, são moldadas pelas interações ecológicas atuais. Continentes com longo tempo de isolamento evoluem biotas sob significativa independência, funcionando como um experimento “natural” de longo prazo, útil para interpretar como ecologia de comunidades e biogeografia interagem no desenvolvimento das biotas atuais. América do Sul e Austrália se desmembraram de sua origem comum em Gonduana a mais de 30 milhões de anos atrás, e no presente são semelhantes em muitos aspectos, incluindo latitudes, e paisagens geral de seus ambientes. Ambos continentes são predominantemente cobertos por habitats estruturalmente abertos. Por exemplo, o Cerrado sulamericano e os desertos australianos são na sua maioria cobertos por pastagens e vegetação arbustiva, possuem períodos muito secos, solos ácidos, pobres em nutrientes, e ricos em alumínio, são frequentemente perturbados por incêndios, e possuem grande diversidade de lagartos e cupins. Além de particularidades óbvias observadas na biota atual de cada continente, similaridades entre biotas podem ser atribuídas a presença de linhagens compartilhadas e convergências. Os cenários históricos e contemporâneos da América do Sul e Austrália, incluindo um conjunto de semelhanças entre os ambientes atuais, dão suporte às comparações biológicas entre estes continentes. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
This paper evaluates in a comparative context the physical and ecological scenarios in which South America and Australia diversified and assembled their present biotas. It offers a framework for biological comparisons between these continents: (1) providing a list of basic bibliography; (2) describing the geographic and climatic history of both continents and their present environments; and (3) highlighting the supports for biological comparisons between South America and Australia. The biota assembly is consequence of historical-biogeographic events, past ecological relationships, and phylogenetic constraints, molded by present ecological interactions. The “natural” experiment offered by anciently disconnected continents is useful to interpret how community ecology and biogeography interact in developing the structure of present biotas. Both South America and Australia are similar in many ways, such as Gondwanan origin, present latitudes, general landscapes and ecosystems, among others. Most of both continents are covered by open structured habitats. For instance, South American Cerrado and Arid Australia are mostly covered by grassland and bush vegetation, very dry periods, poor, acidic, and aluminum-rich soils, frequent disturbance caused by fires, and abundant and diverse faunas of lizards and termites. Besides obvious particularities observed in the extant biota of each continent, shared lineages and convergences may account for similarities between biotas. The historical and contemporary scenarios of South American and Australia, including a set of similarities between present environments, support biological comparisons between these continents.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, 2013.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:ECL - Doutorado em Ecologia (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/17054/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.