Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/16268
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_SolangeCavalcantedeMatos.pdf1,75 MBAdobe PDFView/Open
Title: A língua dos “filhos errantes da sociedade”: uma análise sociodiscursiva das gírias do sistema penitenciário do interior do Tocantins
Authors: Matos, Solange Cavalcante de
Orientador(es):: Bortone, Márcia Elizabeth
Assunto:: Sociolinguística
Língua portuguesa - gíria - dicionários
Prisões
Issue Date: 12-Sep-2014
Citation: MATOS, Solange Cavalcante de. A língua dos “filhos errantes da sociedade”: uma análise sociodiscursiva das gírias do sistema penitenciário do interior do Tocantins. 2014. 202 f. Dissertação (Mestrado em Linguística)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Abstract: A forma como um grupo humano representa sua realidade por meio da língua e da cultura é capaz de revelar um retrato da vida social desse grupo, deixando explícito o que pensam e sentem e o porquê de assumirem determinados comportamentos. Tomando a gíria como um signo de grupo, esta dissertação tem como objetivo o estudo da linguagem do Sistema Penitenciário do interior do Estado do Tocantins, mais especificamente da Casa de Prisão Provisória de Gurupi e do Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã de Cariri. Para nortear nossa pesquisa, optamos pelo modelo teórico-metodológico da Sociolinguística Interacional (GUMPERZ, 1988), numa abordagem qualitativa, sendo que, para a geração dos dados, utilizamos a observação participante e a entrevista semiestruturada (aplicada a um grupo de reeducandos1 e policiais), dando à pesquisa de campo uma perspectiva etnográfica. No decorrer da pesquisa, identificamos e analisamos aspectos linguísticos, discursivos, sociais e interativos das gírias utilizadas no sistema penitenciário. As análises, feitas com base principalmente em Bagno (2001), Chauí (1998), Thompson (2009), Gnerre (2009), Preti (2004), Gumperz (1988), Goffman (2012), Lakoff (1985), Lakoff & Johnson (2002) e Remenche (2003), revelaram que o contexto de exclusão social e violência dos apenados contribui para a criação de uma linguagem peculiar, metafórica e restrita, a gíria de grupo, reveladora da visão de mundo do grupo marginal e carregada de marcas ideológicas e identitárias. Com esta pesquisa, esperamos contribuir para os estudos linguísticos, especialmente para a vertente interacional da Sociolinguística, posto que procuramos revelar a força da linguagem como instrumento de poder e como reflexo da cultura e modo de pensar e agir de seus falantes, o que concorrerá para a construção do senso crítico da sociedade a respeito de escolhas linguísticas mais adequadas a cada contexto de comunicação. Ademais, esperamos contribuir para a reflexão a respeito da atual situação das casas de detenções brasileiras, apontando para a necessidade de se repensar o processo de ressocialização e educação nos presídios brasileiros. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
The way a human group represents your reality through language and culture can reveal a portrait of group‟s social life, making explicit what they think and feel and why assume certain behaviors. Taking slang as a sign of the group, this dissertation aims to study the language of the Penitentiary System in the state of Tocantins, more specifically the Provisory Prison of Gurupi and the Center for Social Rehabilitation “Light of Tomorrow” from Cariri. To guide our research, we chose the theoretical and methodological framework of Interactional Sociolinguistics (Gumperz, 1988), a qualitative approach, and for generating data, we used participant observation and semi-structured interview (applied to a group of reeducation and police) to give an ethnographic perspective to field research. During the research, we identify and analyze linguistic, discursive, social and interactive aspects of slang used in the prison system. The analyzes, made based primarily on Bagno (2001) Chauí (1998), Thompson (2009) Gnerre (2009), Preti (2004), Gumperz (1988) Goffman (2012), Lakoff (1985), Lakoff & Johnson (2002) and Remenche (2003), revealed that the context of social exclusion and violence by inmates contributes to the creation of a peculiar metaphorical and restricted language, slang group, revealing the worldview of the marginal group and charged ideological and identity marks. With this research, we hope to contribute to linguistic studies, especially for the interactional aspect of Sociolinguistics, because we sought to reveal the power of language as an instrument of power and reflecting the culture and way of thinking and acting of its speakers, which compete for building the critical thinking of society regarding the most appropriate linguistic choices for each communication context. Furthermore, we hope to contribute to the discussion about the current situation of Brazilian arrests homes, pointing to the need to rethink the process of rehabilitation and education in Brazilian prisons.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2014.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PGLA - Mestrado em Linguística Aplicada (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/16268/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.