Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/14796
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_DanielBritoMachado.pdf878,72 kBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSalles, Heloísa Maria Moreira Lima de Almeida-
dc.contributor.authorMachado, Daniel de Brito-
dc.date.accessioned2013-12-10T11:28:55Z-
dc.date.available2013-12-10T11:28:55Z-
dc.date.issued2013-12-10-
dc.date.submitted2013-07-18-
dc.identifier.citationMACHADO, Daniel de Brito. Preposições introdutoras de orações infinitivas. 2013. 97 f. Dissertação (Mestrado em Linguística)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.en
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/14796-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2013.en
dc.description.abstractEsta dissertação tem como objetivo investigar as propriedades semânticas e sintáticas das preposições em ambientes de oração infinitiva em oposição aos ambientes de complementação por sintagma nominal/determinante. Já se demonstrou em estudos anteriores que a preposição introdutora de oração infinitiva é mais aberta a flutuações do que a preposição que licencia o sintagma nominal/ determinante. Desta forma, o estudo questiona o porquê de haver essa disparidade, buscando relacioná-la às hipóteses vigentes sobre as propriedades formais da preposição nesses ambientes. Sob o quadro da Teoria Gerativa, toma-se por base a divisão entre preposições gramaticais/ funcionais e preposições lexicais, tanto quanto a hipótese de que as preposições gramaticais sejam realizadoras de Caso. Partindo desse pressuposto, espera-se que as preposições gramaticais/ funcionais se comportem de maneira consistente em todos os ambientes em que aparecem nesse papel. Entretanto, essa hipótese não se confirma. Na discussão, investiga-se o estatuto categorial do infinitivo, tradicionalmente analisado como uma forma nominal do verbo. Adotando-se critério relacionado à presença da categoria sujeito na projeção dessa categoria, conclui-se que o infinitivo é uma categoria verbal, o que exclui que seja marcado por Caso (abstrato) pela preposição. Sendo assim, a preposição é analisada como um elemento funcional demarcador da fronteira oracional. A dissertação também investiga as propriedades das preposições em outras línguas, como o inglês, o espanhol, o francês, mostrando similaridades que confirmam a análise proposta. _______________________________________________________________________________ ABSTRACTen
dc.description.abstractThis dissertation investigates the semantic and the syntactic properties of prepositions introducing infinitival clauses, as opposed to contexts of noun complementation. Previous studies have shown that infinitival complementation is more open to preposition variation than the nominal one. The study thus aims to find out the reason for this disparity, trying to relate it to the hypothesis concerning the formal properties of prepositions in these contexts. Adopting the generative framework, we take into consideration the well-known distinction between lexical and grammatical/functional prepositions, as well as the hypothesis that grammatical/ functional prepositions are (abstract) Case markers. Under this assumption, it is expected that the prepositions display a uniform behavior, which is not confirmed. In the discussion we investigate the categorial properties of the infinitive, which is traditionally analyzed as a nominal form of the verb. Assuming a criterion based on the presence of the subject position in the infinitive projection, we arrive at the conclusion that the infinitive is a verbal category, which excludes that the infinitive clause is assigned Case by the preposition. The dissertation further takes into consideration the syntax of the prepositions in languages such as English, Spanish and French, showing similarities that prove to be relevant for the present analysis.en
dc.language.isoPortuguêsen
dc.rightsAcesso Abertoen
dc.titlePreposições introdutoras de orações infinitivasen
dc.typeDissertaçãoen
dc.subject.keywordLíngua portuguesa - regênciaen
dc.subject.keywordLíngua portuguesa - sintaxeen
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.en
Appears in Collections:LIP - Mestrado em Linguística (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/14796/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.