Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/13656
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_AlineMarquesdosSantos.pdf3,64 MBAdobe PDFView/Open
Title: Papel da imuno-histoquímica na distinção entre hiperplasia pseudoepiteliomatosa e o carcinoma escamoso de pele
Authors: Santos, Aline Marques dos
Orientador(es):: Carneiro, Fabiana Pirani
Assunto:: Pele - doenças
Hiperplasia
Carcinoma de células escamosas
Imuno-histoquímica
Issue Date: 23-Jul-2013
Citation: SANTOS, Aline Marques dos. Papel da imuno-histoquímica na distinção entre hiperplasia pseudoepiteliomatosa e o carcinoma escamoso de pele. 2013. 78 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Abstract: A hiperplasia pseudoepiteliomatosa (HPE) possui características histopatológicas que podem ser confundidas com o carcinoma de células escamosas (CCE). Nem sempre as diferenças morfológicas entre essas lesões são claras nos exames de rotina anatomopatológicos. O objetivo desse estudo foi a análise da expressão da laminina-5 (L5), proteína 16 (p16) e E-caderina (E-cad) na distinção entre a HPE e o CCE de pele. A amostra foi selecionada a partir de blocos de parafina arquivados no Centro de Anatomia Patológica do Hospital Universitário de Brasília (HUB), com diagnósticos de HPE (em casos de leishmaniose tegumentar e cromoblastomicose), ceratose actínica (CA)/Carcinoma in situ (Cis) e CCE de pele. Todos os casos apresentaram áreas representativas da lesão e da pele adjacente. Os dados clínicos foram obtidos de dados do prontuário do arquivo médico do HUB. O estudo imuno-histoquímico de L5, p16 e E-cad foi realizado em todos os casos. O teste de Fisher foi aplicado na análise estatística (p < 0,05). Foram analisadas 62 amostras, representadas por 18 casos de HPE; 16 casos de CA/Cis; e 28 casos de CCE (8 eram CCE microinvasores). A L5 foi positiva em 84,21% das amostras de HPE e teve sua expressão concentrada na periferia dos cones interpapilares alongados, em ninhos de células escamosas isolados na derme, em áreas de ulceração e em células isoladas migratórias na derme. Nas amostras de CA/Cis, 37,5% dos casos foram positivos para L5. Todos os casos de CCE foram positivos para a L5. Nas amostras de CCE francamente invasores, a L5 teve expressão fortemente positiva nas células da periferia dos blocos invasivos de tumor, em áreas bem diferenciadas, e positividade difusa, em áreas menos diferenciadas. Nos CCE microinvasores, a L5 apresentou forte concentração nas células da fronte de invasão. Não houve diferença estatística entre a expressão de L5 nas amostras de CEC invasivo e HPE (p=0,1478). Nas amostras de HPE, CA/Cis e CCE, houve positividade para p16 em 11,11%, 75% e 57,14% dos casos, respectivamente. A expressão de p16 foi mais frequente nas amostras de CEC invasivo do que nas de HPE (p=0,021), mas mostrou-se pouco sensível. Nas amostras de HPE, CA/Cis e CCE, houve perda parcial da expressão da E-cad em 77,77%, 93,75% e 100% dos casos, respectivamente. A perda parcial da expressão de E-cad foi mais frequente nas amostras de CEC invasivo do que nas de HPE (p=0,0188), mas mostrou-se pouco específica. Concluindo, os achados do presente estudo demonstraram que a frequência e o padrão de marcação da L5 são semelhantes na HPE, CCE microinvasor e CCE bem diferenciado, sugerindo que esta proteína não seria útil na distinção destas lesões. Com relação à expressão de p16 e à perda parcial da expressão de E-cad, apesar de terem sido significativamente mais frequentes nas amostras de CCE, os resultados sugerem, respectivamente, sensibilidade e especificidade baixas para a detecção das lesões malignas. Logo, estes marcadores não deveriam ser considerados marcadores ideais na diferenciação entre a HPE e o CCE de pele, na rotina diagnóstica. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Pseudoepitheliomatous hyperplasia (PEH) is an epidermal hyperplasia of which the histopathological features may simulate squamous cell carcinoma (SCC). The morphological differences between them are not always clearly on routine pathological examination. The purpose of this study was the analysis of the laminin-5 (L5), protein 16 (p16) and E- cadherin expression in distinction between PEH and cutaneous SCC. The sample was select from paraffin-embedded skin biopsy from the files of the Pathologic anatomy center of the University Hospital of Brasília (UHB), with the diagnosis of PEH (in samples of tegumentar leishmaniasis and chromoblastomycosis), actinic keratosis (AK)/carcinoma in situ (Cis) and cutaneous SCC. All cases showed representative areas of the lesions and of the contiguous skin. Clinical data were obtained from medical files of UHB. The L5, p16 and E-cad immunohistochemical study was done in all cases. The Fisher‘s test was used in statistical analysis (p < 0.05). A total of 62 samples were analysed, represented by 18 cases of PEH; 16 cases of AK/Cis; and 28 cases of SCC (8 were microinvasive carcinoma). L5 was positive in 84.21% of PEH samples and its expression was concentrated in peripheral cells of elongated rete pegs, in isolated nests of cells in dermis, in adjacent areas to ulceration and in migrating isolated cells in dermis. In KA/Cis samples, 37.5% of the cases were positives for L5. In SCC samples, all cases were positives for L5. In frankly invasive SCC samples, L5 was positive in peripheral cells tumor nests, in well-differentiated areas, and it was diffusely positive in less differentiated areas. In microinvasive SCC samples, L5 was concentrated in the invasion front of the neoplasia. There wasn’t statistical difference between the L5 expression in invasive SCC and PEH samples (p=0.1478). In PEH, AK/Cis and SCC samples, p16 was positive in 11.11%, 75% and 57.14% of the cases, respectively. The p16 expression was more frequently in invasive SCC samples than in PEH samples (p=0.021), but it was poorly sensitive. In PEH, AK/Cis and SCC samples, there was partial loss of E-cad in 77.77%, 93.75% and 100% of the cases, respectively. The partial loss of the E-cad expression was more frequently in invasive SCC samples than in PEH samples (p=0.0188), but it was poorly specific. In conclusion, the findings of that present study showed that the frequency and the L5 expression pattern are similar in PEH, microinvasive SCC and well-differentiated SCC of the skin, suggesting that L5 wouldn’t be a useful marker in the distinction of these two lesions. In relation to p16 expression and to E-cad partial lost, despite they were significantly more frequently in SCC samples, the results suggest, respectively, low sensitivity and low specificity in the detection of malignant lesions. Thus, these markers shouldn’t be considered ideal in distinction between PEH and cutaneous SCC, at diagnostic routine.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/13656/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.