Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/12152
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_PonteParaUrbanidade.pdf293,9 kBAdobe PDFView/Open
Title: Uma ponte para a urbanidade
Authors: Holanda, Frederico Rosa Borges de
Assunto:: Brasília (DF) - segregação - aspectos sociais
Sociologia urbana - Brasília (DF)
Planejamento urbano - Brasília (DF)
Issue Date: 2005
Publisher: Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (ANPUR)
Citation: HOLANDA, Frederico Rosa Borges de. Uma ponte para a urbanidade. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro, v. 5, p.59-76, maio 2005. Disponível em: <http://www.anpur.org.br/revista/rbeur/index.php/rbeur/article/view/65>. Acesso em: 21 fev. 2013.
Abstract: Este trabalho explora procedimentos analíticos quantitativos para caracterizar três tipos de atributos morfológicos da capital brasileira. Primeiro, o Plano Piloto não é central em face do sistema urbano maior ao qual de fato pertence e, contrariando os pressupostos colocados por Lúcio Costa no memorial do projeto de Brasília, ele já nasceu excêntrico. Segundo, trata-se de um sistema extremamente disperso, o que é caracterizado aqui por meio de duas medidas alternativas de compacidade. Terceiro, há uma fortíssima segregação socioespacial, caracterizada pelas fracas correlações obtidas entre localização de empregos, localização de habitações, e acessibilidade física: não apenas a grande maioria dos empregos também é excêntrica (pois mais de 70% deles estão no Plano Piloto), como a grande maioria dos moradores concentra-se nas partes mais segregadas da cidade. Ao final do trabalho, especula-se medidas que implicam maior urbanidade para a Capital Federal". ______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This paper explores quantitative analytic procedures in order to characterise three types of morphological attributes of the Brazilian Capital. First, the Pilot Plan is not central concerning the larger urban system in which it is situated and, contradicting principles put forward by Lúcio Costa in his Pilot Plan Report, it has never been central. Second, the system is extremely dispersed, and this is characterised here by means of two alternative measures of compactness. Third, there is a strong sociospatial segregation, characterised by the weak correlations which obtain among localization of jobs, localization of homes, and physical accessibility: not only the great majority of jobs is also eccentric (for more than 70% locate in the Pilot Plan), but also the great majority of inhabitants live in the most segregated bits of the city. At the end of the paper we discuss measures that imply a greater urbanity for the Federal Capital.
Licença:: Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais - Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons (Attribution 3.0 Unported (CC BY 3.0)). Fonte: http://www.anpur.org.br/revista/rbeur/index.php/rbeur/about/submissions#copyrightNotice. Acesso em: 21 fev. 2013.
Appears in Collections:THAU - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/12152/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.