Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/9848
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2011_IcaroCamargoBatista.pdf1,45 MBAdobe PDFView/Open
Title: Estudo da possível associação entre a doença celíaca e as desordens do espectro autista
Authors: Batista, Icaro Camargo
Orientador(es):: Campos Júnior, Dioclécio
Assunto:: Doença celíaca
Autismo - nutrição
Issue Date: 16-Jan-2012
Citation: BATISTA, Icaro Camargo. Estudo da possível associação entre a doença celíaca e as desordens do espectro autista. 2011. x, 109 f., il. Tese(Doutorado em Ciências da Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Abstract: Introdução. Um aumento da presença de distúrbios gastrintestinais em pacientes com desordem do espectro autista – (DEA) é um tema recorrente, tanto na literatura médica quanto entre os pais e cuidadores de crianças autistas. Vários estudos têm relatado que as dietas sem glúten e livres de caseína melhoraram os sintomas do autismo, apesar de provas suficientes de que essa associação realmente existe, e uma completa concordância entre os autores sobre este tema ainda está faltando. Buie 2010, Erickson 2005, Molloy 2003 e Ibrahim 2009 Da mesma forma, a existência de possíveis ligações entre doença celíaca – (DC) e DEA (Barcia 2008) e entre DC ou sensibilidade ao glúten – (SG) e transtornos psiquiátricos tem sido sugerido por vários autores durante a última década (2006 e Kalaydijian Cascella 2011), mas contrariada em outros artigos.Pavone 1997 Objetivos. Avaliar a possível associação entre doença celíaca e ou sensibilidade ao glúten e desordem do espectro autista. Métodos: A ocorrência de doença celíaca foi determinada em um grupo de crianças e adolescentes afetados pela desordem do espectro autista e a ocorrência desta foi avaliada em um grupo de pacientes com DC comprovada por biópsia. Para detectar a possível existência de SG, níveis de anticorpos antigliadina foram determinados em pacientes com DEA e comparados à grupo de crianças não-celíacas. Resultados: A prevalência de DC ou SG não estava aumentada no grupo de pacientes com desordem do espectro autista quando comparada a grupos de indivíduos originários da mesma região geográfica e similarmente, a prevalência de DEA não foi maior ao ser comparada a grupo de pacientes com DC. Conclusões. Não houve associação estatisticamente demonstrável entre DC ou SG e DEA. Consequentemente exames de rotina para a detecção de DC ou SG em todos pacientes com desordem do espectro autista não são presentemente justificáveis. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Introduction: An increased presence of gastrointestinal disturbances in ASD patients is a recurring theme, both in the medical literature and among the parents and caregivers of autistic children. Several studies have reported that gluten-free and casein-free diets ameliorated autistic symptoms, although sound evidence that this association really exists and a complete agreement among authors regarding this topic is still lacking. Buie 2010, Erickson 2005,\Molloy 2003 e Ibrahim 2009 Similarly, the existence of possible links between CD and ASDs (Barcia 2008)and between CD or gluten sensitivity and psychiatric disorders has been suggested by several authors during the last decade (Kalaydijian 2006 e Cascella 2011) but contradicted by other reports.Pavone 1997.Objectives: To evaluate the possible association between celiac disease (CD) and/or gluten sensitivity and Autism Spectrum Disorder (ASD). Methods: Occurrence of CD was determined in a group of children and adolescents affected by ASD and conversely, the occurrence of ASD was assessed in a group of biopsy-proven celiac patients. To detect the possible existence of gluten sensitivity (GS), levels of antigliadin antibodies were assessed in ASD patients and compared with a group of non-celiac children. Results: The prevalence of CD or GS in ASD patients was not increased when compared to groups originating from the same geographical area and similarly, the prevalence of ASD was not increased when compared to a group of biopsy proven CD patients. Conclusions: no statistically demonstrable association was found between CD or GS and ASD and, routine screening for CD or GS in all patients with ASD is, at this moment, neither justified nor cost effective.
Description: Tese (doutorado)-Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Curso de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2011.
Appears in Collections:FS - Doutorado em Ciências da Saúde (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/9848/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.