Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/9533
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Doutorado_Everaldo_Costa_USP.pdf13,72 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Totalidade urbana e totalidade mundo : as cidades coloniais face à patrimonialização global
Outros títulos: Urban totality and totality-world : the baroque colonial towns in face of global heritagisation
Autor(es): Costa, Everaldo Batista da
Orientador(es): Scarlato, Francisco Capuano
Assunto: Patrimonialização global
Cidades coloniais
Planejamento urbano
Geografia e turismo
Data de publicação: 27-Out-2011
Referência: COSTA, Everaldo Batista da. Totalidade urbana e totalidade mundo: as cidades coloniais face à patrimonialização global. 2011. 445 f. Tese (Doutorado em Geografia)—Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.
Resumo: Ouro Preto e Diamantina – cidades barroco-rococó mineiras do Brasil Setecentista – são tratadas, neste doutorado, como totalidades urbanas inseridas no processo que conceitualizamos como patrimonialização global. Essa abordagem exigiu-nos uma periodização para o entendimento da ressignificação simbólica dessas cidades, cujos momentos imbricados desse processo são: 1. as cidades coloniais como particularidade de um devenir universal – gênese e incipiência do movimento histórico do patrimônio no Brasil; 2. as cidades coloniais como territórios de identidade nacional; 3. as cidades coloniais como territórios de identidade do capital; 4. as cidades coloniais emergentes enquanto cidades-patrimônio-mercadoria, na fase mais notória da patrimonialização global, que reinventa o barroco e estimula a “recolonização” dos centros históricos brasileiros; e 5. as cidades coloniais barrocas como possibilidade de vir a ser, de empoderamento dos bens materiais-simbólicos por parte da população. Tal periodização – pensada na perspectiva dialética do espaço geográfico – favorece a análise do ordenamento socioterritorial de Ouro Preto e Diamantina para além dos limites do tombamento federal, de maneira que a relação políticas urbanas e políticas de patrimônio é apontada como a condição primeira ao empoderamento deste Patrimônio Mundial mineiro, por parte de sua população local.
Abstract: Ouro Preto and Diamantina – baroque-rococo Minas Gerais towns of 18th century Brazil – are considered, in this thesis, urban totalities inserted in the process here conceptualized as global heritagisation. This approach demanded a periodisation in order to understand the symbolic ressignification of those cities whose embedded moments in the process are: 1. colonial towns as a perculiarity of a universal devenir – genesis and the incipient stage of the heritage movement in Brazil; 2. colonial towns as „national identity‟ territories; 3. colonial towns as „capital identity‟ territories; 4. emergent colonial towns as heritage-goods-cities in the most noted phase of global heritagisation, which reinvents the baroque and stimulates the recolonisation of Brazilian historical centres; and 5. the baroque colonial cities as a possibility of coming to be, of the population being empowered by the symbolic-goods. Such a periodisation – thought from a dialectic perspective on the geographic space – allows for the analysis of the socio-territorial ordering of Ouro Preto and Diamantina far beyond the limits of federal conservation so that the relation between urban policies and heritage policies is considered to be the first condition for the local population to be empowered by this Minas Gerais World Heritage.
Aparece nas coleções:GEA - Teses e dissertações dos docentes

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.