Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/9201
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_IntroducaoCriticaRazao.pdf77,83 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Introdução à crítica da razão desestatizante
Outros títulos: Introdución a la crítica da la razón desestatizante
Introduction to the critique of the denationalising reasoning
Autor(es): Bursztyn, Marcel
Assunto: Estado
Crise
Neoliberalismo
Data de publicação: Jan-1998
Referência: BURSZTYN, Marcel. Introdução à crítica da razão desestatizante. Revista do Servidor Público, Brasília, v. 1, n. 1, p. 141-145, jan./mar.1998. Disponível:<http://www.enap.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_view&gid=2892>. Acesso em: 31 ago 2011.
Resumo: O artigo compreende uma visão crítica sobre os processos de reestruturação do Estado baseados na lógica neoliberal, que caracterizam as reformas minimalistas da década de 80. O tema da reforma do Estado é visto como um dos grandes desafios intelectuais e políticos deste fim de século, devendo necessariamente ser contextualizado historicamente, uma vez que não existe uma única crise do Estado, mas várias crises dos Estados específicas e particulares, cujas soluções não são únicas nem universais, mas dependentes do diagnóstico de cada caso. Entende-se que a razão desestatizante apresenta limitações, reconhecidas até mesmo pelas instituições financeiras internacionais que antes a defendiam. O cenário de um novo modo de atuação estatal é apresentado como mais provável, sendo o conceito de reestatização mais adequado para as mudanças que se fazem necessárias. __________________________________________________________________________________ RESUMEN
El artículo contiene una visión crítica sobre los procesos de restructuración del Estado basados en la lógica neoliberal, que caracterizan las reformas minimalistas de los 80. El tema de la reforma del Estado es visto como uno de los grandes desafios intelectuales y políticos de este fin de siglo, que debe, necesariamente, ser contextualizado históricamente, una vez que no existe una única crisis del Estado, mas varias crisis de los Estados, específicas y particulares, cuyas soluciones no son ni únicas ni universales, mas dependientes del diagnóstico de cada caso. Se comprende que la razón desestatizante presenta limitaciones, reconocidas hasta aún por las instituciones financieras internacionales que anteriormente la defendían. El escenario de un nuevo modo de actualización estatal es presentado como lo más probable y el concepto de restatizaciones presentado como lo más adecuado para los cambios que se hacen necesarios. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The paper covers a critical view of the State restructuring processes based on neoliberal logics, which characterised the minimalist reforms of the eighties. The theme of State reform is seen as one of the great intellectual and political challenges of the end of the century and it should necessarily be historically contextualized, since there is not one single State crisis, but several State crises, specific and private, for which solutions are not unique or universal, but depend on the diagnosis for each case. It is understood that the denationalising reasoning presents shortcomings, recognised even by the international financial institutions that once defended it. The scenery for a new way of state performance is presented as being most likely, the concept of renationalising being the most adequate for the changes that are needed.
Aparece nas coleções:CDS - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.