Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/8601
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_PabloSilvaCesário.pdf9,89 MBAdobe PDFView/Open
Title: Os determinantes políticos do investimento estrangeiro direto : um estudo quantitativo
Authors: Cesário, Pablo Silva
Orientador(es):: Costa Filho, Carlos Roberto Pio da
Assunto:: Investimentos estrangeiros - aspectos políticos
Investimentos - análise
Issue Date: 22-Jun-2011
Citation: CESÁRIO, Pablo Silva. Os determinantes políticos do investimento estrangeiro direto: um estudo quantitativo. 2010, 395 f. Tese (Doutorado em Política Internacional e Comparada)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: A partir da constatação do crescimento dos fluxos internacionais de investimento estrangeiro direto (IED) na década de 1990 em diante e de sua concentração em um pequeno número de países, a investigação buscou avaliar a importância de fatores políticos na alocação do investimento estrangeiro entre os países. Para isso, foi elaborado um modelo para explicar a distribuição do IED no mundo tendo como base também econômicos, geográficos e culturais. O modelo propõe que a interação estratégica entre empresas e governos cria um mercado concorrencial de oportunidades de investimento. A hipótese testada é que os principais determinantes do IED são as instituições políticas, políticas públicas e regras que permitem a emergência de relações típicas de mercado. Essas ideias foram cristalizadas no conceito de infraestrutura política de mercados e na hipótese de sua predominância na alocação do IED ao redor do mundo. Por ele, as empresas que investem em locais com melhor infraestrutura de mercado tendem a ser mais bem sucedidas porque encontram um ambiente de negócios mais favorável. Por outro lado, as localidades devem buscar construir as condições mais adequadas por meio de reformas e políticas públicas específicas. A construção do fator político foi orientada pelas recomendações da OCDE, que visam operacionalizar o Consenso de Monterrey, e por uma ampla revisão bibliográfica. Tendo como ponto de partida um conjunto de 102 variáveis e 132 países, foram criados subfatores e fatores, que ao fim foram resumidos em apenas duas medidas, a infraestrutura política de mercado tradicional e a contemporânea. O fator político foi testado em 6 (seis) cenários que confirmaram a hipótese de predominância da infraestrutura política de mercado em sua versão mais severa, segundo a qual a influência do fator político sobre o IED é maior que a soma da influência dos fatores econômicos, geográficos e culturais. A discussão das implicações técnicas e teóricas dos resultados aponta a incompletude das teorias neoclássicas e de competitividade e a necessidade de revisão das recomendações de políticas públicas voltadas para países em desenvolvimento. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Taking into account the growth in foreign direct investment (FDI) flows since the 1990’s and its concentration in a handful of countries, this investigation aimed at weightning the importante of political factors in the international allocation of FDI relative to economical, geographical and cultural factors. The model assumes that the strategic interaction between governments and companies creates a concorrencial market for foreign direct investiment opportunities. The basic hipothesys is that the main determinants of FDI are political institutions, public policies, rules and physical infrastructure that allow a market to flowrish. These ideas were consolidated in the concept of political infrastructure of markets and the hipothesys of its predominance in FDI allocation around the world. According to this model, companies which invest in places where a better political infrastructure is available tend to be more successful because they face more adequate environment for their businesses. Furthermore, governments should improve local market political infrastructure through reforms and specific public policies to attract foreign investment and to foster local investidors. Several OCDE recommendations dedicated to implement Monterrey Consensus and a broad bibliographic review oriented the political factor measurement. From a database with 102 variables and 132 countries, a structure of subfactors and factors was derived and indicated that political variables can be validly summarized in just two summary factors, the contemporary and the traditional political infrastructure of markets. The two political factors were tested in six different model specifications and several subsets of countries. The results confirm that the political factors, on average, are more important determinants than economic, cultural and geographical factors taken together as a group to global allocation of FDI. Theoretical and technical implications of that finding were discussed. They poined to i) the inadequacy of the neoclassical and competitiveness theories to explain the global allocation of FDI and ii) the need to review current OECD recommendations to developing countries trying to attract foreign direct investment.
Description: Tese(Doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Programa de pós-graduação em Relações Internacionais, 2010.
Appears in Collections:IREL - Doutorado em Relações Internacionais (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/8601/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.