Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/8326
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_MarinaCamposDessen.pdf1,41 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Indicadores de bem-estar pessoal nas organizações : o impacto da percepção da cultura, do perfil pessoal e de ações de qualidade de vida no trabalho e de qualidade de vida do trabalhador
Outros títulos: Indicators of personal wellbeing at the workplace : the impact of the perceptions of culture, the personal profile and the actions of quality of working life and workers’ quality of life
Autor(es): Dessen, Marina Campos
Orientador(es): Paz, Maria das Graças Torres da
Assunto: Qualidade de vida no trabalho
Trabalho - aspectos psicológicos
Data de publicação: 10-Jun-2011
Referência: DESSEN, Marina Campos. Indicadores de bem-estar pessoal nas organizações: o impacto da percepção da cultura, do perfil pessoal e de ações de qualidade de vida no trabalho e de qualidade de vida do trabalhador. 2010. vii, 233 f., il. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Resumo: A literatura empírica e histórica vem demonstrando um crescente interesse pelo tema que envolve o bem-estar dos indivíduos no ambiente de trabalho. Neste estudo, bem-estar é entendido como a satisfação de necessidades e a realização de desejos dos indivíduos ao desempenhar seu papel na organização. Partindo-se do pressuposto de que esta é uma variável que sofre influência tanto do indivíduo quanto do ambiente, foi avaliado o impacto da percepção dos estilos de funcionamento organizacional, do perfil pessoal nas organizações, de ações de qualidade de vida no trabalho (QVT) e de qualidade de vida (QV) do trabalhador nos indicadores de bem-estar pessoal nas organizações. Participaram da pesquisa 302 trabalhadores de um batalhão da polícia militar da região de Belo Horizonte. Eles preencheram um questionário contendo os dados demográficos pessoais e funcionais, questões sobre a percepção da existência e a participação em ações de QVT e de QV do trabalhador e três escalas: indicadores de bem-estar pessoal nas organizações, estilos de funcionamento organizacional e perfil pessoal nas organizações. Os dados foram analisados por meio de estatísticas descritivas e inferenciais e são apresentadas: as médias, desvios padrão, coeficientes de variação e frequências; a comparação entre as médias destas variáveis de acordo com os grupos investigados (dados demográficos pessoais e funcionais); as análises de regressão entre estilos de funcionamento, perfil pessoal, QVT e QV do trabalhador (variáveis antecedentes) e cada um dos indicadores de bem-estar (variáveis critério); e as análises de mediação do perfil pessoal na relação entre estilos de funcionamento e indicadores. Os resultados indicam relações positivas e negativas entre estilos, perfis, QVT e QV do trabalhador, sendo que algumas delas foram mediadas pelos perfis pessoais. Estes resultados são discutidos à luz das teorias e visam suscitar reflexões a respeito de fatores que podem impactar no bem-estar dos trabalhadores nas organizações e estimular intervenções e pesquisas futuras nesta área. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The empirical and historical literature has been demonstrating an increasing interest for the theme involving individual wellbeing at the workplace. In the present study, wellbeing is considered the satisfaction of needs and the fulfillment of desires in the job performance at the organization. Since the literature points out the influence from both organizational and individual characteristics in workers’ wellbeing, this study analyzed the impact from the perception of organizational functioning styles, personal profile at the organization, actions of quality of working life (QWL) and actions of workers’ quality of life (QL). The participants were 302 workers from the military police of the region of Belo Horizonte (Brazil). They have filled in a questionnaire with their demographic and functional data, their perception about the existence and their participation in the actions of QWL and of workers’ quality of life, and three instruments: indicators of personal wellbeing at the workplace, organizational functioning styles and personal profile at the organization. The data have been later analyzed through descriptive and inferential statistics and this study presents: means, deviations, coefficients of variation and frequencies of all variables; mean comparisons according to the different groups investigated (demographic and functional data); regression analysis between the styles, personal profile, QWL and workers’ QL and each of the indicators of wellbeing; and mediation analysis of the personal profile in the relation between the styles and the indicators. The results show positive and negative relations between the variables, and some of them were mediated by the personal profile. They are discussed based on the theories, aiming to arouse reflections about the factors that can have an impact on individual wellbeing at the workplace, and to stimulate interventions and future research in this area.
Informações adicionais: Tese (doutorado)-Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2010.
Aparece nas coleções:PSTO - Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.