Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/8188
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_LuizHenriqueMachadoAguiar.pdf985,91 kBAdobe PDFView/Open
Title: Gênero e masculinidades : follow-up de uma intervenção com homens autores de violência conjugal
Authors: Aguiar, Luiz Henrique Machado de
Orientador(es):: Diniz, Gláucia Ribeiro Starling
Assunto:: Violência conjugal
Violência contra as mulheres
Masculinidade
Issue Date: 3-Jun-2011
Citation: AGUIAR, Luiz Henrique Machado de. Gênero e masculinidades: follow-up de uma intervenção com homens autores de violência conjugal. 2009. 175 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Abstract: As intervenções psicológicas com homens autores de violência conjugal são fruto da evolução dos estudos e idéias feministas que, ao promoverem uma ampliação do significado do conceito gênero, passaram a evidenciar a construção relacional e a organização social das diferenças entre os sexos. Dessa forma, o contexto político e acadêmico criado a partir da expansão das ações do movimento feminista abriu espaço para as denúncias das violências domésticas contra as mulheres e culminou na percepção da necessidade de incluir os homens nas ações de combate a essas violências. Os trabalhos desenvolvidos com homens autores de violências conjugais são muito recentes e ainda não são bem conhecidos. Estudos sobre os agressores, bem como estudos sobre as intervenções psicológicas realizadas com eles correspondem a uma das maiores lacunas entre as reflexões que ainda não foram desenvolvidas no processo de prevenção e atenção à violência doméstica. O presente estudo busca prestar uma contribuição para a compreensão do fenômeno e assume um caráter inovador e pertinente ao promover uma pesquisa de follow-up com sete homens que participaram de uma experiência de intervenção psicológica em grupo com homens autores de violência conjugal. Procuramos conhecer como esses homens perceberam e avaliaram os resultados da intervenção grupal em suas vidas nos níveis pessoal, relacional e na maneira de resolver conflitos domésticos. Além disso, buscamos compreender quais as suas concepções sobre os papéis sociais de gênero, a compreensão sobre os significados da violência doméstica e como eles avaliaram a experiência de participar de um grupo de homens autores de violência conjugal. A pesquisa qualitativa foi escolhida como estratégia investigativa por se adequar aos objetivos propostos e aos pressupostos teóricos deste estudo. A coleta dos dados foi feita em dois encontros grupais de follow-up, onde os participantes foram ouvidos individualmente e em uma discussão segundo o modelo de grupo focal. A transcrição dos relatos foi analisada segundo o método da Análise de Conteúdo, proposto por Bardin. A experiência de passar pela intervenção grupal foi percebida como benéfica, pois eles se sentiram ouvidos e puderam discutir aspectos relacionados à violência conjugal em um ambiente seguro, o que trouxe a sensação de bem-estar. Os participantes dos grupos de follow-up consideraram que grupos com homens autores de violência conjugal devem oferecer um espaço para o trabalho da melhoria da convivência familiar, devem abordar as dificuldades dos homens no relacionamento com a mulher e filhos, o respeito entre o homem e a mulher e a igualdade na relação. Eles enfatizam a necessidade de incluir as suas famílias no acompanhamento psicológico. Os grupos devem ser estendidos às comunidades e abertos a homens que queiram participar espontaneamente. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Psychological interventions with male perpetrators of domestic violence are the result of the development of feminist studies and ideas that, by promoting an expansion of the concept of gender, began to emphasize the relational construction and social organization of gender differences. Thus, the political and academic context created by the expansion of the feminist movement actions paved the way for reports of domestic violence against women and led to the perception of the need to include men in actions to combat this violence. Studies carried out with male perpetrators of conjugal violence are very recent and still not well known. Studies with the perpetrators, and studies of psychological interventions carried out with them correspond to one of the biggest gaps among the thoughts that have not been developed yet in the process of prevention and attention to domestic violence. The aim of this study is to provide contribution to the understanding of the phenomenon. It has an innovative and pertinent character by promoting a relevant follow-up research with seven men who participated in an experience of psychological intervention in male perpetrators of domestic violence group. We seek to understand how these men perceived and evaluated the results of group intervention in their personal and relational lives, and in the ways of resolving domestic conflicts. In addition, we intend to understand these men‟s conceptions of gender roles, their comprehension of domestic violence meanings, and how they evaluated the experience of participating in a group for men who have committed domestic violence. Qualitative research was chosen as the investigation strategy for it suits to the intended purposes and theoretical assumptions of the study. Data collection was conducted during two meetings of the follow-up group, where participants were heard individually and in a focus group discussion. The transcription of the reports was analyzed according to Content Analysis as proposed by Bardin. The experience of going through the group intervention was perceived as beneficial since they felt listened to and were able to discuss issues related to domestic violence in a safe environment, which brought a sense of well-being. The follow-up group participants considered that intervention groups for men who commit domestic violence should: provide work for improving family life, deal with men‟s difficulties in relationships with women and children, address respect between man and women and equality in the relationship. They emphasize the need to include their families in psychological counseling. The groups should be extended to communities and open to men who want to participate spontaneously.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2009.
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/8188/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.