Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/8102
Título: Dano muscular induzido pelo treinamento de força : diferenças entre gêneros
Título(s) alternativo(s): Muscle damage after strength training : gender differences
Autor(es): Fonseca, Débora Flores da
Orientador(es): Marques, Martim Francisco Bottaro
Assunto: Treinamento com peso
Músculos - ferimentos e lesões
Exercícios físicos
Data de publicação: 30-Mai-2011
Data de defesa: 2010
Citação: FONSECA, Débora Flores da. Dano muscular induzido pelo treinamento de força: diferenças entre gêneros. 2010. 49 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Resumo: OBJETIVO: Investigar a influência do treinamento de força no dano muscular em mulheres e homens jovens. MÉTODO: 16 homens (22,69 ± 0,49 anos; 82,01 ± 2,50 kg; 1,78 ± 0,17m) e 14 mulheres (22,21 ± 0,71 anos; 56,4 ±1,83kg; 1,65 ± 0,12m) destreinados a pelo menos 6 meses, realizaram 8 séries com carga de 10 repetições máximas de flexão de cotovelo unilateral. O intervalo de recuperação entre as séries foi de 2 min e a velocidade de contração de 1 seg para a fase concêntrica e 3 seg para a excêntrica. Os indicadores de dano muscular analisados foram: 1) força isocinética, 2) inchaço muscular e 3) dor muscular tardia. Esses indicadores foram mensurados em repouso (TR), logo após a sessão de treino (T0) e nos quatro dias seguintes (T1, T2, T3, T4). RESULTADOS: Não houve diferença significativa (p>0,05) entre gêneros na resposta de Pico de Torque (PT) em todo o período estudado. Além disso, não houve uma recuperação total do PT relativo dos indivíduos, independente do sexo. Da mesma forma, não houve diferença significativa (p>0,05) entre gêneros na espessura muscular relativa e na resposta de dor muscular tardia em todos os tempos avaliados. Entretanto, os homens apresentaram uma dor muscular tardia mais prolongada e as mulheres um inchaço muscular mais duradouro. CONCLUSÃO: Quando considerada a magnitude dos indicadores avaliados no estudo, homens e mulheres tiveram uma resposta similar de dano muscular. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT
PURPOSE: To investigate the influence of strength training on muscle damage in young women and men. METHOD: 16 men (22,69 ± 0,49 yrs; 82,01 ± 2,50 kg; 1,78 ± 0,17m) and 14 women (22,21 ± 0,71 yrs; 56,4 ± 1,83kg; 1,65 ± 0,12m) without training for at least 6 months, performed 8 sets with the load of 10 maximum repetitions of unilateral elbow flexor. The rest interval between sets was of 2 minutes, and the speed of contraction of 1 second for the concentric phase and 3 seconds for the eccentric. The indicators of damage strength loss, muscle swell and soreness were measured before (TR), just after the training section (T0) and on the following four days (T1,T2,T3,T4). RESULTS: There was not significant difference (p > 0,05) between genders in the answer of peak torque during all the studied period. Moreover, there was not a complete recovery of the relative PT of the individuals, regardless of sex. In the same way, there was not a significant difference (p > 0,05) between genders in the relative muscle thickness and in the reply of the delayed onset muscle pain in all the evaluated times. However, men presented a delayed muscle pain more drawn out and women a more lasting muscular swell. CONCLUSION: Taking the magnitude of the evaluated pointers in the study in consideration, men and women had a similar answer of muscle damage.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Educação Física, 2010.
Aparece nas coleções:FEF - Mestrado em Educação Física (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_DeboraFloresdaFonseca.pdf1,28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.