Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/8005
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_DiegoPereiraLindoso.pdf4,02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: "Pegada climática" do uso da terra : um diagnóstico do dilema entre o modelo de desenvolvimento agropecuário mato-grossense e mudanças climátics no período 2001 - 2007
Outros títulos: Pegada climática do uso da terra : um diagnóstico do dilema entre o modelo de desenvolvimento agropecuário mato-grossense e mudanças climáticas no período 2001 -2007
Autor(es): Lindoso, Diego Pereira
Orientador(es): Pereira Filho, Saulo Rodrigues
Assunto: Desenvolvimento sustentável
Desmatamento
Solos - uso
Data de publicação: 24-Mai-2011
Referência: LINDOSO, Diego Pereira. "Pegada climática" do uso da terra: um diagnóstico do dilema entre o modelo de desenvolvimento agropecuário mato-grossense e mudanças climáticas no período 2001 - 2007. 2009. 219 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável)-Universidade de Brasília, 2009.
Resumo: Este trabalho tem por objetivo realizar uma avaliação préliminar dos trade-offs entre o atual modelo de desenvolvimento socioeconômico do centro-norte do MT, pautado na grande empresa agropecuária, e a manutenção dos serviços ecossistêmicos climáticos fornecidos pelas florestas e cerrados do estado, assim como estimar as contribuições de GEE da sojicultura, pecuária bovina extensiva e suinocultura. Para tal, elaborou-se a "pegada climática", índice composto por dois indicadores: desmatamento acumulado e emissões de GEE por setor de uso da terra. Foram selecionados três municípios: Alta Floresta, Sorriso e Feliz Natal, cada um representando um estágio diferente de consolidação da fronteira agrícola, sendo o período analisado compreendido entre 2001 e 2007. Os indicadores foram construídos a partir de dados secundários, tanto oficiais, disponibilizados pelo INPE, IBGE, SEPLAN-MT, IBAMA, IPEA, MCT, quanto por aqueles fornecidos por ONGs (ICV e Imazon) e publicados na literatura especializada. O documento base, no que tange às emissões, foi o Primeiro Inventário Nacional de Emissões antrópicas de GEE, publicado em 2004 pelo MCT. Os resultados sugerem que os municípios em estágios iniciais de consolidação da fronteira agrícola são grandes emissores de GEE, devido ao desmatamento, enquanto aqueles de fronteira mais antiga, nos quais a agropecuária já se estabeleceu, as emissões são menos volumosas e associadas a setores de uso da terra. Contudo, apesar destes últimos geralmente apresentarem economias de baixo carbono, a devastação da maior parte da vegetação original em virtude de sistemas agropastoris resultaram em perdas significativas da capacidade das florestas e cerrados municipais manterem o fornecimento de serviços ambientais essenciais a mitigação das mudanças climáticas. Assim, apesar de não ter sido possível quantificar tais perdas, os resultados encontrados neste trabalho apontam para um modelo de desenvolvimento econômico potencialmente insustentável sob a perspectiva climática, demandando uma nova lógica de apropriação da natureza frente aos riscos que a questão climática representa para o equilíbrio dos sistemas naturais e construídos. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work aims at performing a preliminary assessment of the trade-offs between the current agriculture development pattern in north of Mato Grosso and the climate dynamics. In order to fulfill this objective, the impacts of crops and cattle herds growth in ecosystem services provided by state´s tropical forests and savannas (cerrados), as so the greenhouse-gas emissions from agriculture activities and deforestation were measured in three municipalities of north Mato Grosso between 2001-2007: Alta Floresta, Sorriso and Feliz Natal. A Climate Footprint was elaborated. This index was compounded by two indicators: total deforestation area and GHG emissions land use and land use change (deforestation) sectors. Each municipality represents a different stage of agricultural frontier consolidation. All data were secondary, provided by official agencies and ministries, as INPE, IBGE, SEPLAN-MT, IBAMA, IPEA, MCT, and also by those provided by important NGOs in the region (ICV and Imazon). Academic literature was also used, especially those which has adapted GHG’s emissions measurement methodology to Brazilian reality and those which explains ecological aspects related to climate dynamics of cerrados and tropical forests. The first national inventory of anthropogenic emissions of greenhouse gases was used as a base document in what regards to GHE emissions. The results found suggest that municipalities in the early stages of agricultural consolidation are mostly emitters of greenhouse gases due to deforestation, while those of older border, where farming is already consolidated, the emissions are smaller and associated with land use activities. However, although the latter usually show a low carbon intensity economy, the devastation of most of the original vegetation associated with agriculture systems resulted in significant loss of municipal’s forests and savannas, essential in maintaining the provision of ecosystem services responsible for addressing climate change. Thus, although it was not possible to quantify such losses, the results point to an economic development pattern potentially unsustainable climate perspective, requiring a new logic of appropriation of nature against the risks represented by climate change.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2009.
Aparece nas coleções:CDS - Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.