Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/7561
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_MetropolizaçãoImagemAmbiental (2).pdf183,26 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Metropolização, imagem ambiental e identidade de cidade no Distrito Federal
Outros títulos: Metropolitan expansion, environmental image and city identity in the Federal District of Brazil
Autor(es): Cidade, Lúcia Cony Faria
Moraes, Luciana Batista de
Assunto: Brasília (DF) - imaginário
Brasília (DF) - identidade
Data de publicação: Jan-2004
Referência: CIDADE, Lúcia Cony Faria; MORAES, Luciana Batista de. Metropolização, imagem ambiental e identidade de cidade no Distrito Federal. Geografia, Rio Claro, v.29, n.1, p.21-37, 2004. Disponível em: <http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/ageteo/article/viewArticle/833>. Acesso em: 3 mar. 2011.
Resumo: Brasília nasceu para tornar-se a capital do Brasil. No entanto, na definição do que é Brasília e do que é a capital brasileira, há ambigüidades. Em um contexto em que o imaginário pode não estar de acordo com determinações institucionais e legais nem sempre claras, a capital acaba refém de uma identidade contraditória. A análise utiliza como subsídio resultados de pesquisa de campo que trata da identidade como dimensão da imagem da cidade. Os resultados sugerem uma nítida divisão nas percepções. Por um lado, não há dúvidas sobre o fato do Plano Piloto constituir a capital. Por outro lado, enquanto para alguns, as cidades-satélites situadas no Distrito Federal integram a capital do país, para outros, não. A imagem das cidades-satélites como não integrantes da capital brasileira, que se situaria no Plano Piloto, faz parte das representações sociais de boa parte da população. Uma forma de dominação, a ampla desigualdade entre o Plano Piloto e as cidades-satélites sustentaria um discurso governamental ambíguo. A população parece perceber essa imagem e expressá-la em um discurso popular dual. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Brasilia was born to become the Brazilian capital city. There is, however, ambiguity as to what is Brasilia and what is the Brazilian capital. In a context in which the imaginary may not agree with sometimes unclear institutional and legal determinations, the capital ends up hostage of a contradictory identity. The analysis draws from a field research which deals with identity as a dimension of city image. The results suggest a clear division among perceptions. On the one hand, there are no doubts about the fact that what is called the Pilot Plan constitutes the capital. On the other hand, while for some the satellite towns located in the Federal District are a part of the capital, for others they are not. The image of the satellite towns as not a part of the Brazilian capital, which would be located in the Pilot Plan, integrates the social representations of a significant part of the population. A form of domination, inequality between the Pilot Plan and the satellite towns would support an ambiguous governmental discourse. The population seems to perceive this image and to express it in a dual popular discourse.
Aparece nas coleções:CDS - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons