Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/7356
Título: AMC : afecção mediada por computador em coletivos performáticos desterritorializados
Autor(es): Barbosa, Larissa Ferreira Regis
Orientador(es): Medeiros, Maria Beatriz de
Assunto: Performance (Arte)
Telepresença
Computadores e civilização
Data de publicação: 9-Abr-2011
Data de defesa: 1-Fev-2010
Citação: BARBOSA, Larissa Ferreira Regis. AMC : afecção mediada por computador em coletivos performáticos desterritorializados. 2010. xvi, 162 f., il. Dissertação (Mestrado em Artes)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Resumo: O presente trabalho aborda a constituição dos coletivos performáticos na performação em telepresença. Estes agrupamentos se encontram na simultaneidade dos tempos e forjam um espaço de afecção telemática. Na efemeridade dos gestos mediados, corpos de muitos se integram como grupo, o qual chamamos de coletivos performáticos desterritorializados. Estes são experienciados em iniciativas brasileiras que foram mapeadas nesta pesquisa: Açúcar Invertido, Antonieta Chegou Hoje, Corpos Informáticos, Grupo ERRO, Performídia, Perforum, Phila 7, Poética Tecnológica na Dança, Quik Corpo Aberto. A partir da análise desta cartografia itinerante, contrastamos a AMC (Afecção Mediada por Computador) com a CMC (Comunicação Mediada por Computador) a fim de distinguir os coletivos desterritorializados e as comunidades virtuais. Enfatizamos a AMC em sua urgência em fazer compartilhar, poeticamente e politicamente em intervenções que deflagram os espaços de poder na rede. As impressões resultam neste documento-inventivo que segue por planos de composição estética ao criar os seguintes conceitos: performação, ato-ação, corpo em obra, perfornomadismo, telepresença em circuito fechado e aberto, olhar incorporado, espaço em corpo. Agrupamos-nos, sobretudo, com Spinoza, Deleuze, Negri, Guattari, Certeau, Baudrillard. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The presente research discursses accost the formation of collectives in the action of performance in telepresence. These groups find in the simultaneity of the time and found an affection telematics space. In ephemeral gestures mediated, bodies join as a group, which we call collective perfomartic deterritorialized. These are experienced in Brazilian initiatives that have been mapped in this research: Açúcar Invertido, Antonieta Chegou Hoje, Corpos Informáticos, Grupo ERRO, Performídia, Perforum, Phila 7, Poética Tecnológica na Dança, Quik Corpo Aberto. Based on the analysis of this map itinerant, constrasted AMC (Affection Mediated by Computer) with the CMC (Communication Computer mediated) in order to distinguish the collective deterritorialized and virtual communities. We emphasize the AMC in his urge to share, poetically and politically interverntions that trigger the spaces of power in the net. We made some impressions that result in this document-inventive about the performação, act-action, body in art, perfornomadismo, telepresence in closed circuit and open circuit, corporate eyes, space in body. We join with Spinoza, Deleuze, Negri, Guattari, Certeau, Baudrillard.
Descrição: Dissertação (mestrado)–Universidade de Brasília, Instituto de Artes, 2010.
Aparece nas coleções:IdA - Mestrado em Artes (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_LarissaFerreiraRegisBarbosa.pdf18,23 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.