RIUnB >
FE - Faculdade de Educação >
FE - Programa de Pós-graduação  >
FE - Mestrado em Educação (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10482/7335

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2010_AdrianaZiemerGallert.pdf962,48 kBAdobe PDFView/Open

Title: A produção de sentidos subjetivos dos professores no enfrentamento das adversidades da docência
Authors: Gallert, Adriana Ziemer
Advisor: Tacca, Maria Carmen Villela Rosa
Keywords: Professores - relações humanas
Professores - formação
Professores - prática de ensino
Issue Date: 7-Apr-2011
Submit Date: 6-Mar-2010
Citation: GALLERT, Adriana Ziemer. A produção de sentidos subjetivos dos professores no enfrentamento das adversidades da docência. 2010. 198 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: O presente trabalho apresenta o resultado da pesquisa sobre os sentidos subjetivos que os professores produzem no enfrentamento das adversidades da profissão. A complexidade com que se apresenta o exercício da docência e as inúmeras situações desafiadoras que acontecem no cotidiano das relações sociais na escola e na sala de aula, tem se evidenciado como uma questão inquietante na atual conjuntura. Frente a isso, buscou-se interpretar as manifestações, as emoções e os pensamentos dos professores na perspectiva da Teoria da Subjetividade de González Rey, em virtude da compreensão dinâmica, complexa e dialética que esse referencial possibilita sobre o assunto. Para tal, os procedimentos metodológicos realizados assumiram os pressupostos da Epistemologia Qualitativa, elaborada pelo mesmo autor. A pesquisa realizou-se em uma escola pública municipal de Palmas - TO, com onze professores dos anos iniciais do ensino fundamental. Para o processo de construção das informações, realizaram-se observações do cotidiano da escola, entrevistas individuais, discussões em grupo, complemento de frases e produção de texto. As informações evidenciaram as tensões, as coerências e as contradições da subjetividade social da escola e da subjetividade individual dos professores nas manifestações sobre suas expectativas, realizações e frustrações em relação à profissão. Além disso, a diversidade e divergência de opiniões e posicionamentos dos professores frente às adversidades do cotidiano destacaram a questão da complexidade da subjetividade humana. Foram realizados estudos de casos com dois professores, que mostraram maneiras distintas e antagônicas nesse processo, havendo outras possibilidades de posicionamentos, as quais se relacionam com a maneira como se constitui a subjetividade de cada pessoa. Assim, enquanto a Professora Salete valorizava as possibilidades de intervenção nas relações sociais da sala de aula, as quais estavam ao seu alcance e dependiam em grande parte da sua iniciativa e persistência para que se concretizassem, o Professor Airton esperava que outras pessoas e instâncias sociais resolvessem determinados problemas para que ele tivesse as condições necessárias para a realização do seu trabalho. Essa situação mostrou que, para um, as condições e força para superação das adversidades estava em si mesmo, e para o outro eram as circunstâncias externas que comandavam suas possibilidades de satisfações ou frustrações profissionais. Nesse sentido, visualiza-se a necessidade de repensar os cursos de formação inicial e continuada dos professores, pois precisariam considerar e valorizar também a subjetividade dos sujeitos envolvidos nesse processo. A maneira como os professores pensam, sentem e vivem a docência se constitui em um aspecto que influencia de maneira significativa as intervenções pedagógicas que realizam e as relações sociais que vivenciam na sua profissão. A perspectiva da formação em serviço se apresenta como outra possibilidade para a viabilização desse processo no cotidiano da escola. Entretanto, esse não é um processo simples, pois, para compreender as manifestações dos professores frente às situações adversas do cotidiano, é imprescindível adentrar no campo dialético, dinâmico, contraditório e complexo da subjetividade humana. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
This paper presents the results of the research about the subjective senses that teachers produce in the facing of adversities of the profession. The complexity with which they introduced the teaching profession and the many challenging situations that happen in everyday social relations of school and classroom has been evidenced as a worrying issue at this juncture. Given this, we attempted to interpret the events, emotions and thoughts of teachers in the perspective of the Theory of Subjectivity by González-Rey, by virtue of the dynamic, complex and dialectic understanding, that this reference makes on the subject. To this end, the methodological procedures adopted took out the assumptions of Qualitative Epistemology, elaborated by the same author. So, the research was realized in a municipal school of Palmas - TO, with eleven teachers from the early years of elementary school. For the process of information’s construction, we realized observations of daily school life, individual interviews, group discussions, additional sentences and text output. The information highlighted the tensions, the consistencies and contradictions of the school social subjectivity and the subjectivity of individual teachers in the demonstrations on their expectations, achievements and frustrations in relation to occupation. Moreover, the diversity and divergence of opinions and positions of teachers about the daily adversities highlighted the issue of the complexity of human subjectivity. Were conducted studie cases with two teachers, who have shown different and contradictory ways in the process, showing other possibilities for placements, which correlate with the way it is the subjectivity of each person. So, while Professor Salete valued the opportunities of intervention in social relations of class, which were open to them and depended largely on his initiative and persistence to become reality, Professor Airton hoped that other people and social organizations solve certain problems so he had the necessary conditions for the completion of their work. This situation showed that, for one, that the conditions and strength to overcome adversities was in yourself and to the other were external circumstances that commanded their chances of professional satisfactions or frustrations. In this sense, we can see the need to rethink the courses of initial and ongoing training of teachers, and therefore need to consider and also appreciate the subjectivity of the subjects involved in this process. The way teachers think, feel and live the teaching constitutes in one aspect that influences significantly the operations that carry out educational and the social relations that they experience in their profession. The perspective of in-service training would be a possibility for realizing this process in the school routine when the spaces of collective work actually happened. However, this is not a simple process, therefore, to understand the manifestations of teachers against the adversity of everyday life, it is essential to enter the dialectical field, dynamic, contradictory and complex of human subjectivity.
Additional Information: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2010.
Appears in Collections:FE - Mestrado em Educação (Dissertações)

Items in Repository are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Site Creative Commons Site Oaister Sítio IBICT Universidade de Brasília
About Repository  |  FAQ  |  Statistics |  Authorization Term
Copyright © 2008 MIT & HP. All rights reserved.