Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/7326
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_CaracterísticasSocioeconômicasAlimentares.pdf165,88 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Características socioeconômicas e alimentares como intervenientes na deficiência de vitamina A em estudantes de área rural no Distrito Federal
Outros títulos: Influence of socioeconomic and dietary factors on vitamin A deficiency among students in the rural area of the Federal District, Center-west Brazil
Autor(es): Graebner, Ivete Teresinha
Saito, Carlos Hiroo
Souza, Elizabeth Maria Talá de
Assunto: Deficiência de vitamina A
Nutrição e saúde pública
Crianças - nutrição
Data de publicação: 2009
Referência: GRAEBNER, Ivete Teresinha; SAITO, Carlos Hiroo; SOUZA, Elizabeth Maria Talá de. Características socioeconômicas e alimentares como intervenientes na deficiência de vitamina A em estudantes de área rural no Distrito Federal. Comunicação em Ciências da Saúde, v.20, n.2, p.115-122, 2009. Disponível em: <http://www.fepecs.edu.br/revista/Vol20_2art002caracalimentares.pdf>. Acesso em: 1 mar. 2011.
Resumo: Objetivo: Investigar possíveis efeitos das características socioeconômicas sobre os níveis plasmáticos de vitamina A em estudantes de uma comunidade escolar rural do Distrito Federal. Metodologia: O estudo envolveu 142 famílias rurais, cujos filhos eram estudantes da Escola Classe Osório Bacchin, localizada em Planaltina- Distrito Federal. As informações socioeconômicas foram obtidas mediante questionário aplicado aos pais ou responsáveis. As características das práticas alimentares foram obtidas pelo inquérito nutricional. A vitamina A foi dosada no plasma por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência, sendo considerada como deficiência de vitamina A, nível inferior a 20μg/dL. Resultados: Os dados mostraram condições socioeconômicas desfavoráveis na comunidade estudada. Cerca de 60% das famílias apresentaram renda mensal de um salário mínimo, e 34% dos pais ou responsável dos estudantes eram analfabetos. Quanto à análise de vitamina A, 34% dos estudantes apresentaram deficiência. Os resultados mostraram que a prevalência de deficiência de vitamina A foi maior nos estudantes cujos responsáveis possuíam algum nível de escolarização e faixa de renda entre 2-5 salários mínimos. Embora o estudo tenha demonstrado condições socioeconômicas desfavoráveis e deficiência de vitamina A elevada, não foi encontrada associação significativa entre essas variáveis. Conclusões: O presente estudo não encontrou associações entre as baixas condições socioeconômicas dos estudantes e a deficiência de vitamina A, mas salientamos que a elevada prevalência dessa deficiência entre os estudantes evidencia um problema de saúde pública, cuja extensão no Centro-Oeste brasileiro deveria ser investigada. Tais resultados apontam para a necessidade de uma maior atenção dos órgãos governamentais quanto à questão da segurança alimentar. _____________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Purpose: To examine the possible influences of socioeconomic factors on the plasma levels of vitamin A among children and teenagers in the community of a rural school in the Federal District, center-west Brazil. Methodology: This study involved 142 rural families whose children attended classes at the Escola Classe Osório Bacchin (located in Planaltina, a city about 50 km from Brasilia). The socioeconomic data were collected through a questionnaire answered by the students’ parents or guardians. The characteristics of their dietary habits were obtained through a nutritional inquiry. The vitamin A plasma level was assayed by high performance liquid chromatography, and was found lower than 20 μg/dL. Results: The collected data showed adverse socioeconomic conditions of the community participating in the study. Around 60% of the families had a monthly income of one national minimum wage, and 34% of the parents were illiterate. As for vitamin A evaluation, 34% of the students showed vitamin A deficiency. The results showed that the prevalence of vitamin A deficiency was higher among students whose parents had some formal education and monthly income between 2 to 5 times the national minimum wage. Although the study had showed adverse socioeconomic conditions and high prevalence of vitamin A deficiency, a significant link between these variables were not found. Conclusion: The present study did not find a link between adverse socioeconomic conditions and vitamin A deficiency, but stresses that the high prevalence of vitamin A deficiency among children and teenagers attending this rural school, identify a public health problem in the Center-west region of Brazil that should be investigated. These results point to the necessity of governmental action concerning food safety.
Aparece nas coleções:CDS - Artigos publicados em periódicos
CEL - Artigos publicados em periódicos
CET - Artigos publicados em periódicos
ECL - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.