Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/6984
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_AnáliseMorfométricaTransição.pdf97,61 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Análise morfométrica da transição esôfago-gástrica de eqüinos submetidos a diferentes manejos alimentares e atividade física
Outros títulos: Morphometric analysis of the esophagus-gastric transition in horse submitted to different feeding management and physical activities
Autor(es): Moraes, Priscilla Teixeira de Barros
Silva, Luís Cláudio Lopes Correia da
Bombonato, Pedro Primo
Hernandez Blazquez, Francisco Javier
Lima, Eduardo Maurício Mendes de
Assunto: Transição esôfago-gástrica
Alimentação dos animais
Equino - morfologia
Equino - exercícios físicos
Equino
Data de publicação: Ago-2008
Referência: MORAES, Priscilla Teixeira de Barros et al. Análise morfométrica da transição esôfago-gástrica de eqüinos submetidos a diferentes manejos alimentares e atividade física. Ciência rural, Santa Maria, v. 38, n. 5, p. 1325-1328, ago. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cr/v38n5/a19v38n5.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2011. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782008000500019.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi identificar se diferentes tipos de manejo físico e alimentar determinaram mudanças adaptativas na morfometria da região de transição esôfago-gástrica (TEG) em eqüinos. Foram utilizados 15 conjuntos de animais adultos com raça, sexo e idade não identificados, divididos em três grupos de acordo com a dieta e a atividade física: grupo I - composto por cinco conjuntos da TEG de eqüinos em treinamento intensivo e alimentados principalmente à base de concentrado; grupo II - com cinco conjuntos da TEG de eqüinos que não desempenhavam atividade física intensa e eram alimentados principalmente à base de concentrado, e o grupo III - composto por cinco conjuntos da TEG de eqüinos mantidos a pasto e que não desempenhavam atividade física intensa. A região de transição esôfago-gástrica teve a estrutura do seu epitélio avaliada morfometricamente, onde foram feitas mensurações para identificar a espessura do epitélio estratificado pavimentoso queratinizado. A espessura do grupo I teve como média 122,3µm, do grupo II foi de 173,4µm e do grupo III foi de 281,7µm. Os resultados encontrados para a espessura do epitélio estratificado pavimentoso queratinizado dos eqüinos mostraram a existência de diferenças estatisticamente significativas dos eqüinos do grupo I, quando comparados aos eqüinos do grupo III.
Abstract: The objective of this research was to identify if different kind of physical and alimentary management determine adaptative changes in morphometry of the esophagus-gastric transition epithelium. 15 sets comprehending the esophagus-gastric transition region (TEG) was used in adult horses considering undefined breed, gender and age divided in three groups according to diet and physical activity: group I – Five sets (TEG) of horses in intensive training fed with commercial ration; group II – Five sets (TEG) of horses which did not develop any intensive physical activity and fed by commercial ration; group III – Five sets (TEG) of horses kept in the grass without any extra feeding which did not develop any intensive physical activity. The esophagus-gastric transition region had its epithelium structure evaluated morphometrically where measurements were done to identify the thickness of the stratified squamous keratinized epithelium. The thickness of the grup I had as average 122.3µm, grup II 173.4µm of grup III 281.7µm. Results of stratified squamous keratinized epithelium thickness have shown the existence of statistically significant differences of group I when compared to group III.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782008000500019
Aparece nas coleções:FAV - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons