Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/5681
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006-Joana de Moura Lucyk.pdf551,65 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Perfil antropométrico, consumo alimentar e concentração de hemoglobina de gestantes assistidas no Hospital Universitário de Brasília - H.U.B.
Autor(es): Lucyk, Joana de Moura
Orientador(es): Furumoto, Rosemeire Aparecida Victoria
Assunto: Mulheres grávidas
Nutrição
Anemia
Gravidez
Distrito Federal (Brasil)
Data de publicação: 15-Out-2010
Referência: LUCYK, Joana de Moura. Perfil antropométrico, consumo alimentar e concentração de hemoglobina de gestantes assistidas no Hospital Universitário de Brasília - H.U.B. 2006. 110 f., il. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana)—Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Resumo: Objetivos: Traçar o perfil antropométrico de gestantes utilizando os Métodos de Atalah e Nomograma de Rosso e verificar a prevalência de anemia e os fatores de risco associados a esta carência nutricional específica Metodologia: Foi realizado um estudo transversal com 170 mulheres que realizaram o pré-natal no HUB, de agosto a dezembro de 2005. As gestantes responderam ao questionário com informações socioeconômicas, uso de suplementos de ferro e hábitos alimentares. A dosagem de hemoglobina foi realizada no aparelho HemoCue. Para diagnóstico de anemia foi utilizado o ponto de corte de 11 g/dL, preconizado pela OMS. O peso das gestantes foi aferido por meio de balança Filizola portátil com capacidade de 150kg e divisão de 100g. A estatura foi verificada pelo uso de estadiômetro infravermelho. Os dados foram analisados no Programa Epiinfo 6.04 e SAS V8. Resultados: A idade média das gestantes foi de 27,3+5,9 anos, renda familiar de 3,7+3,0 salários mínimos. Em relação ao estado nutricional, apenas 27,6% estavam eutróficas pelo Nomograma de Rosso e, pelo Método de Atalah, 51,8%. As gestantes apresentaram 2,2 vezes mais chances de serem classificadas como eutróficas pelo Método de Atalah. O baixo peso por Atalah representou 9,4% da amostra e por Rosso, 19,4%. A prevalência de anemia foi de 19% sendo que a escolaridade e o estado nutricional constituíram fatores de risco para a sua ocorrência. Conclusões: Verificou-se que há uma discrepância considerável na prevalência de baixo peso e eutrofia quando se compara os dois métodos utilizados. Portanto, faz-se necessária a implementação imediata do Método de Atalah nas Unidades Básicas de Saúde a fim de se melhorar o acompanhamento pré-natal. A alta prevalência de anemia encontrada aponta para a necessidade de intervenções preventivas como, por exemplo, o controle eficaz da suplementação medicamentosa durante este estágio fisiológico.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, Programa de Pós-Graduação em Nutrição Humana, 2006.
Aparece nas coleções:NUT - Mestrado em Nutrição Humana (Dissertações)
UnB - Brasília 50 anos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.