Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/5166
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_AndreaAquinodeAndradeVeiga.pdf643,82 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O meu chapéu tem três pontas : educação infantil, o cantar e a psicanálise : um estudo de caso
Autor(es): Veiga, Andréa Aquino de Andrade
Orientador(es): Almeida, Inês Maria Marques Zanforlin Pires de
Assunto: Educação de crianças
Pedagogia - aspectos psicológicos
Psicanálise infantil
Canto - educação de crianças
Data de publicação: 1-Jul-2010
Data de defesa: 2009
Referência: VEIGA, Andréa Aquino de Andrade. O meu chapéu tem três pontas: educação infantil, o cantar e a psicanálise: um estudo de caso. 2009. 174 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Resumo: Estudiosos do eixo educação e psicanálise consideram que, cabe a esta última, a função de oferecer uma pequena iluminação no campo da educação. A partir do referencial teórico de autores deste eixo e também, de autores da psicanálise, aqui se apresenta a intenção deste estudo. “O Meu Chapéu Tem Três Pontas” é uma pesquisa qualitativa com estudo de caso de uma pré-escola, e tem como objeto, o sujeito do inconsciente que enlaça a educação infantil, o cantar e a psicanálise. Através da pergunta “por que se canta na pré-escola?”, pretende-se alcançar o objetivo de clarear esse sujeito que atravessa a educação, em especial a infantil, curvando-se para escutar o sujeito em constituição que canta e fala no aluno pré-escolar de uma instituição de educação infantil numa cidade do Distrito Federal, sem desconsiderar o adulto, comprometido com a educação destas crianças. A escuta se faz a partir da observação do contexto escolar como o grande Outro que acolhe e de uma turma pré-escolar desta instituição, também, através de entrevista semi-estruturada com diferentes grupos que compõem a comunidade escolar – alunos, equipe pedagógica, equipe de assistência à educação e responsáveis –, além da análise do projeto da escola. A hipótese que se formula é de que se canta porque, apesar do pedagógico e de toda a força consciente que ele exerce na educação, o sujeito do inconsciente está se constituindo e insiste em falar. Assim, o cantar e as canções assumem o lugar de linguagem, e não de um acessório que fala de um tempo lógico, de uma ciência que define etapas a seguir no desenvolvimento infantil. Os resultados do estudo mostram que o cantar e as canções remetem os personagens da pré-escola para uma fantasia de sedução necessária neste momento, mas que, também existe algo que vai mais além. O cantar e as canções alcançam o mundo do trauma e possibilitam efeitos curativos. Mais do que uma atividade, o cantar é o fio condutor que remete os personagens ao jogo simbólico, assume o lugar de linguagem e que, ainda assim, encontra resistências que dificultam sua presença e permanência na pré-escola. A partir desses resultados o presente estudo considera que é preciso repensar esta etapa da educação e a formação de seus profissionais, apontando para as contribuições que a psicanálise pode oferecer. Ouvir e refletir sobre um fazer da pré-escola foi um momento de descoberta de um sujeito que se pensa esconder, mas que não se pode controlar e que se mostra ao cantar. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Scholars axle education and psychoanalysis consider that it is the latter, the function of providing a small light in the field of education. From the theoretical author of this route and also author of psychoanalysis presented here is the intention of this study. "My Hat Has Three Tips" is a qualitative research case study of one preschool, and its object, the subject of the unconscious that links early childhood education, the singing and psychoanalysis. By asking "why do you sing in preschool?" Is intended to achieve the goal of clearing this guy going through education, especially children, bowing to listen to the subject in the constitution that speaks and sings in the student pre-school an educational institution in a city's Federal District, without disregarding the adult, committed to the education of these children. The listening is done from the observation of the school context as the big Other which hosts and a preschool class of this institution, too, through semi-structured interviews with different groups that make up the school community - students, team teaching, team assistance to education and responsible - in addition to the analysis of the school project. The hypothesis formulated is that it sings because, despite the educational and awareness throughout the force he exerts on education, the subject of the unconscious is forming and keeps on talking. Thus, the singing and the songs take the place of language, not an accessory that speaks of a logical time, a science that defines the following steps in child development. The study results show that the singing and the songs refer to characters from pre-school to a fantasy of seduction needed right now, but there is also something that goes further. The singing and the songs reach the world of trauma and possible curative effects. More than one activity, the singing is the thread that refers to the characters symbolic play, takes the place of language and still finds resistance that hinder their presence and stay in preschool. From these results the present study finds it necessary to rethink this stage of education and training of its professionals, highlighting the contributions that psychoanalysis can offer. Listen and think about making a pre-school was a time of discovery of a man believed to hide, but you can not control and that it is to sing.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2009.
Aparece nas coleções:FE - Mestrado em Educação (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.