Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/4892
Título: Limites na racionalidade das análises de risco soberano : testes econométricos, erros, finanças comportamentais e noise rater risk
Autor(es): Carneiro, Pedro Erik Arruda
Orientador(es): Viola, Eduardo José
Assunto: Organizações internacionais
Risco (Economia)
Mercado financeiro
Produto interno bruto (PIB)
Data de publicação: Mar-2006
Data de defesa: Mar-2006
Citação: CARNEIRO, Pedro Erik Arruda. Limites na racionalidade das análises de risco soberano: testes econométricos, erros, finanças comportamentais e noise rater risk. 2006. 266 f., il. Tese (Doutorado em Relações Internacionais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Resumo: Em termos amplos, o objetivo geral dessa tese é analisar as agências de rating por meio da abordagem da racionalidade restrita. Iniciamos discutindo as três abordagens econômicas tratadas por Keohane (1984): teoria dos jogos, lógica da ação coletiva e racionalidade restrita. No segundo capítulo, discutimos as finanças internacionais, apresentamos as crises financeiras recentes, além do debate sobre as instituições do mercado financeiro internacional. No terceiro capítulo, alcançamos a análise das agências de rating. Elaboramos diversos testes econométricos para determinar os fatores macroeconômicos relevantes para os ratings soberanos, e para definir os países desenvolvidos e os países subdesenvolvidos que são grau de investimento. Usamos uma amostra de 91 países, 11 fatores e duas dummies (uma para países da América Latina e outra para asiáticos). Encontramos, recorrentemente, significância para dívida bruta sobre PIB, dívida externa sobre receitas da conta corrente, PIB per capita, abertura econômica, investimento bruto e dummy da América Latina na determinação dos ratings. Vimos que nem todos os fatores macroeconômicos são relevantes e que a análise geográfica (geopolítica) tem importância, o que reforça a necessidade de uma abordagem das relações internacionais. Para os testes em Probit, o crescimento real do PIB foi significante para determinar tanto os países desenvolvidos (com sinal negativo) como os subdesenvolvidos com grau de investimento (com sinal positivo). Ainda no terceiro capítulo, elaboramos medidas para os erros cometidos pelas agências de rating na análise dos países emergentes. Identificamos uma grande quantidade de erros, especialmente nas crises financeiras. No quarto capitulo, ressaltamos os argumentos das finanças comportamentais. Apresentamos o modelo de noise trader risk e introduzimos o conceito de noise rater risk para os erros e ruídos praticados pelas agências de rating. Defendemos que o noise rater risk amplia as chances de que os noise traders obtenham maiores retornos financeiros que arbitradores. Defendemos, com a abordagem da racionalidade restrita, uma análise mais criteriosa do poder informativo das agências de rating. Elas, como todos os investidores, estão sujeitas às limitações cognitivas, crenças equivocadas e ao custo para se adquirir e absorver as informações. _________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The broad goal of this thesis is to analyze rating agencies using bounded rationality approach. We began following Keohane (1984), presenting three economic approaches: game theory, logic of collective action and bounded rationality. After this, we discussed international finance, besides of presenting financial crises and the institutional debate for international financial market. In the third chapter, we reached the analysis of rating agencies. We elaborated various econometric tests to clarify the significant macroeconomic factors to determine sovereign risk, and to identify developed and investment grade underdeveloped countries. We considered a sample of 91 countries, 11 factors and 2 dummies (one for Latin America countries and other for Asian countries). To determine ratings, we found consistent significance to general government debt over GDP, external debt over current account receipts, GDP per capita, trade balance, gross investment and Latin America dummy. Many other factors are not significant, but geography (geopolitics) matters, highlighting the need to international relations approach. In probit tests, real growth was strong to identify developed (with negative signal) and investment grade underdeveloped countries (with positive signal). Still, in the third chapter, we elaborated measures to the errors undertook by rating agencies when analyzing emerging countries. We found a great quantity of errors, especially during financial crises. In the fourth chapter, we used behavioral finance approach. We presented noise trader risk model and introduced the concept of nois e rater risk for rating agencies’ errors and noises. The noise rater risk amplifies the chances to noise traders obtain higher returns than arbitrators. We defend, through bounded rationality, a discerning analysis to rating agency’s informative power. The agencies, as any investor, are subjected to cognitive limitations, erroneous beliefs and to the cost of acquiring and using information.
Descrição: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Departamento de Relações Internacionais, 2006.
Aparece nas coleções:IREL - Doutorado em Relações Internacionais (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_Pedro Erik Arruda Carneiro.pdf742,15 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.