Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/35283
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_KarindePecsieFusaro.pdf1,94 MBAdobe PDFView/Open
Title: Infância refugiada : mediação e agência de crianças sírias no Distrito Federal
Other Titles: Refugee childhood : agency and mediation of Syrian children in the Federal District
Infancia refugiada : mediación y agencia de niñas y niños sirios en el Distrito Federal
Authors: Fusaro, Karin de Pecsi e
Orientador(es):: Silva, Leonardo Cavalcanti da
Assunto:: Migrações internacionais
Refugiados
Crianças
Síria
Issue Date: 15-Aug-2019
Citation: FUSARO, Karin de Pecsi e. Infância refugiada: mediação e agência de crianças sírias no Distrito Federal. 2019. 116 f. il. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: O tema deste trabalho é “infância e refúgio”, a partir de uma perspectiva Sul-Sul das migrações internacionais, especificamente do fluxo de refugiados da Síria para o Brasil. Parto da premissa de que as crianças desempenham um papel central no projeto migratório familiar. Ainda que não tenham espaço para escolhas no país de origem (onde ir, quando, etc), meninos e meninas são atores-chave na inserção sociocultural da família ao país de acolhida. A facilidade de alguns em aprender o português parece ser uma possibilidade fundamental de agência, o que os torna mediadores entre seu núcleo familiar e a nova sociedade. Com viés etnográfico, esta pesquisa foi feita com as crianças, e não a partir delas, reconhecendo sua capacidade de falar por si. No Brasil, a produção de conhecimento científico neste tema ainda é muito incipiente, em contraste com os materiais de campo elaborados por organizações não governamentais (ONGs) e agências humanitárias. Portanto, esta pesquisa é uma contribuição à reflexão das categorias que envolvem esta criança obrigada a se deslocar. Primeiro, apresento o debate sobre uma nova configuração de família industrial moderna e infância no Ocidente, além de reflexões sobre a infância nas sociedades árabes, na América Latina e no Brasil. Depois, contextualizo a imigração histórica de sírios para o Brasil e o fluxo de refugiados do conflito iniciado em 2011. Ao descrever os resultados de campo, reflito sobre os quatro principais espaços sociais onde a agência das crianças sírias se faz notar. A escola é onde elas têm o contato mais forte com o idioma, refazem laços e vinculam-se à nova comunidade. A instituição também as insere nos debates políticos e sociais atuais, incentivando-as a refletirem sobre seus direitos. A família é espaço de proteção e também conflitos, associados mais à situação de refúgio do que às diferenças entre gerações. Também foi possível perceber a preocupação dos adultos em deixar a Síria para proteger a infância dos filhos. O domínio do idioma pela criança é estratégico na integração de toda a família. Porém, este protagonismo é vivenciado de modo ambivalente. Se, por um lado, a criança conquista uma posição de destaque, por outro, sente este papel como um “peso”, uma “grande responsabilidade”, como algumas relataram. Por fim, as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) permitem a conexão em tempo real com o país de origem, o que faz a criança refugiada reconfigurar sua identidade continuamente.
Abstract: The theme of this work is "childhood and refuge", from a South-South perspective of international migration, specifically the flow of refugees from Syria to Brazil. I start from the premise that children play a central role in the family migration project. Although they do not have room for choices in the country of origin (where to go, when, etc.), boys and girls are key actors in the sociocultural insertion of the family into the host country. The ability that many of them demonstrate in learning the new language seems to be a fundamental agency, which prompts them to act as mediators between their family and the new society. This is an ethnographic research, which was done with children, not from or about them, recognizing their ability to speak for themselves. In Brazil, the scientific knowledge in this area is still very incipient, in contrast to field materials produced by non-governmental organizations (NGOs) and humanitarian agencies. Therefore, this research is a contribution to the reflection of the categories that involve this child forced to flee. Firstly, I present the debate about a new configuration of modern industrial family and childhood in the West, as well as discussions on childhood in Arab societies, Latin America and Brazil. Then, I contextualize the historical immigration of Syrians to Brazil and the flow of refugees from the conflict started in 2011. In describing the field results, I reflect on the four main social spaces where the Syrian children's agency is noted. The school is where they have the strongest contact with the language, where they remake ties and are linked to the new community. The institution also inserts them in current political and social debates, encouraging them to reflect on their rights. The family is a space of protection but also conflicts, which are attributed more as a result of the refuge situation than differences between generations. It was also possible to note the concern of adults to leave Syria to protect their kids´ childhood. Language mastery by the child is strategic in the integration of the whole family. However, this protagonist role is experienced in an ambivalent way by the children. Despite they conquer a prominent position in the family, they feel it as a "burden" or a "great responsibility", as some have reported. Finally, Information and Communication Technologies (ICTs) allow real-time connection with the country of origin, which makes the refugee child reconfigure his identity continuously.
Resumen: Con el tema "infancia y refugio", este trabajo se hace desde una perspectiva Sur-Sur de las migraciones internacionales, específicamente del flujo de refugiados de Siria hacia Brasil. Parto de la premisa de que niñas y niños juegan un papel central en el proyecto migratorio familiar. Aunque no tienen espacio para elecciones en el país de origen (donde ir, cuando, etc.), son actores clave en la inserción sociocultural de la familia al país de acogida. La facilidad de algunos para aprender el portugués es una posibilidad fundamental de agencia, que les impulsa a actuar como mediadores entre su núcleo familiar y la nueva sociedad. Desde la etnografía, esta investigación fue hecha con los niños, y no a partir de ellos, reconociendo su capacidad de hablar por sí. En Brasil, la producción de conocimiento científico en este tema sigue siendo muy incipiente, en contraste con los materiales de campo elaborados por organizaciones no gubernamentales (ONGs) y agencias humanitarias. Por lo tanto, esta investigación es una contribución a la reflexión de las categorías que involucran a la niñez refugiada. En primer lugar, presento el debate sobre una nueva configuración de familia industrial moderna e infancia en Occidente, además de reflexiones acerca de la infancia en las sociedades árabes, en América Latina y Brasil. Después, contextualizo la inmigración histórica de sirios hacia Brasil y el flujo de refugiados del conflicto iniciado en 2011. Sigo con los resultados de campo, reflexionando sobre los cuatro principales espacios sociales donde se percibe la agencia de los niños. La escuela, donde tienen el contacto más fuerte con el idioma, rehacen lazos y se vinculan a la nueva comunidad. La escuela también les inserta en los debates políticos y sociales actuales, incentivándoles a reflexionar sobre sus derechos. La familia es espacio de protección y conflictos, que se atribuyen más a la situación de refugio que diferencias entre generaciones. También fue posible percibir la preocupación de los adultos en dejar a Siria para proteger la infancia de los hijos. El dominio del idioma por los niños y niñas es estratégico en la integración de toda la familia. Sin embargo, este protagonismo es vivido de modo ambivalente. Si, por un lado, se conquista una posición destacada en la familia, por otro, eso les trae un "peso", una "gran responsabilidad", como algunos relataron. Por último, las Tecnologías de la Información y la Comunicación (TICs) permiten la conexión en tiempo real con Siria, haciendo los niños reconfigurar su identidad continuamente.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Estudos Latino-Americanos, Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados Sobre as Américas, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF).
Appears in Collections:ELA - Mestrado Acadêmico em Estudos Comparados sobre as Américas (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/35283/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.