Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/35251
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_GilliardCastilhodeAlmeida.pdf2,48 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorNascimento, Paulo Gustavo Barboni Dantas-
dc.contributor.authorAlmeida, Gilliard Castilho de-
dc.date.accessioned2019-08-07T20:11:57Z-
dc.date.available2019-08-07T20:11:57Z-
dc.date.issued2019-08-07-
dc.date.submitted2019-02-26-
dc.identifier.citationALMEIDA, Gilliard Castilho de. Relatório técnico da metodologia SENAI para valoração e negociação de propriedade intelectual. 2019. 84 f., il. Dissertação (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/35251-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Rede Nacional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação, Universidade de Brasília, Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação, 2019.pt_BR
dc.description.abstractNa metodologia clássica, a valoração da tecnologia é um produto proveniente da transferência de tecnologia, ou seja, o detentor da patente só se preocupa com a valoração no momento da sua comercialização. Nesses casos, a valoração é feita no estágio final do desenvolvimento do produto tecnológico – seja em fase protótipo (TRL6), seja pronto para entrar no mercado (TRL9) – uma vez que a valoração da tecnologia é, usualmente, um produto resultante da difusão tecnológica. Isso se torna um agravante ainda maior para o tomador de decisã por não ter a certeza de que o projeto conseguirá alcançar o estágio de protótipo, ou se de fato irá para o mercado e se o mesmo terá lucro sobre o investimento realizado. O presente estudo, por sua vez, inova por aplicar os conceitos de valoração de tecnologia não na etapa de transferência de tecnologia dos projetos desenvolvidos nos Institutos de Inovação do SENAI e, sim, na valoração na etapa de prospecção tecnológica. Pois é na fase de negociação (etapa que antecede o contrato jurídico firmado entre a ICT e a empresa) de alguns projetos que possuem recursos externos envolvidos, a exemplo da Embrapii, que se faz mister já prever em contrato os seguintes pontos: patenteabilidade, cotitutlaridade, royalties e estabelecimento de será o tipo de transferência ao final do desenvolvimento tecnológico (cessão ou Licenciamento). Para responder ao questionamento de como criar uma metodologia simplificada e padronizada para o SENAI valorar a propriedade intelectual de projetos de PD&I ainda na etapa de negociação, o trabalho foi estruturado em seis passos: Passo 1: Mapeamento dos indicadores de PD&I na fase de negociação; Passo 2: Construção do mapa de literatura para adensamento teórico; Passo 3: Questionário norteador para diagnóstico da metodologia; Passo 4: Criação da árvore de possibilidades; Passo 5: Transposição da metodologia para a Ferramenta em Excel; Passo 5: Resultado dos métodos de valoração viáveis; Passo 6: Resumo dos métodos de valoração de Propriedade Intelectualpt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleRelatório técnico da metodologia SENAI para valoração e negociação de propriedade intelectualpt_BR
dc.title.alternativeTechnical report of the SENAI methodology for intellectual property valuation and negotiationpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordTecnologia - valoraçãopt_BR
dc.subject.keywordPatentespt_BR
dc.subject.keywordProduto tecnológicopt_BR
dc.subject.keywordServiço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI)pt_BR
dc.contributor.advisorcoSantos, Daniel Teixeira Eloi dos-
dc.description.abstract1In classical methodology, the valuation of technology is result from the tech-transfer phase, in other words, the patent owner will just worry about the patent´s value on its commercialization. In such cases, valuation is done in the final stage of the development of the technological product - either in the prototyping phase (TRL6) or ready to enter the market (TRL9) - since the valuation of the technology is usually a product resulting from the technological diffusion. The present study, in turn, innovates by applying the concepts of technology valuation not in the stage of technology transfer of the projects developed in the Institutes of Innovation of SENAI, but in the technological prospection stage. For it is in the negotiation phase (stage before the legal agreement signed between ICT and the company) of some projects that have external resources involved, such as Embrapii, the requirement must be foreseen in contract: patentability, co-responsibility , royalties and establishment os rules of transference in the end of technological development (Licensing or cession). To answer the questioning of how create an easy and padronized methodology for SENAI valuate the intellectual property of its R&D projects when they are still in still in the negotiation phase, the report was structured in six steps: Step 1: Mapping the R&D indicators in the negotiation phase; Step 2: Literature Map for theoretical research; Step 3: Questionnaire to diagnose the methodology; Step 4: Creating the possibilities tree; Step 5: Transposition of the methodology to a tool in Excel; Step 5: Result of the feasible valuation methods; Step 6: Summary of valuation methods of intellectual propertypt_BR
Appears in Collections:CDT - Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/35251/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.