Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/35221
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_MelissaSousadeAssis.pdf1,92 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira, Vania Maria Moraes-
dc.contributor.authorAssis, Melissa Sousa de-
dc.date.accessioned2019-08-02T21:25:00Z-
dc.date.available2019-08-02T21:25:00Z-
dc.date.issued2019-08-02-
dc.date.submitted2019-01-30-
dc.identifier.citationASSIS, Melissa Sousa de. Interferências de substâncias moduladoras do sistema nervoso central na privação de sono. 2019. 101 f., il. Tese (Doutorado em Ciências Médicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/35221-
dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2019.pt_BR
dc.description.abstractO sono é essencial para a homeostasia do organismo. As bebidas energéticas, destacam-se pelo fato de serem consumidas para manter o consumidor mais tempo em alerta e reduzir a fadiga física e mental. Além disso, elas também são usadas para minimizar os déficits comportamentais e cognitivos decorrentes do consumo de álcool. No entanto, muitos são os resultados contraditórios a respeito dessa interação, cabendo aqui interesse nesta investigação. Com isso, o objetivo desta pesquisa foi avaliar a interferência de substâncias moduladoras do sistema nervoso central (SNC) nas respostas psicomportamentais e cognitivas de ratos decorrentes da privação de sono (PS). Para tal, utilizou-se 16 grupos de ratos Wistar, fêmeas, avaliados comportamentalmente nos testes do campo aberto (locomoção), labirinto em cruz elevado - LCE (ansiedade) e esquiva inibitória (memória). Para os protocolos de PS foram utilizado um aparato de plataforma múltipla, onde para esta etapa dos experimentos, considerou-se a avaliação de manuseio e sinais neurológicos dos ratos. Para as investigações experimentais usou-se as bebidas energizantes – BE: Burn (3,54 mg/dL) e Red Bull® (3,57 mg/mL); a cafeína – CAF (6 e 32 mg/mL); taurina -TAU (25,36 e 400 mg/dL) e etanol – EtOH (1,2 g/Kg), cujas administrações foram feitas por gavagem. Considerando os resultados obtidos, observou-se que mediante uma análise comparativa entre os dois energéticos, o Red Bull® apresentou melhores respostas comportamentais e cognitivas do que o Burn. Em relação aos seus princípios ativos, é provável que o maior efeito observado no Burn se deveu à CAF e TAU, enquanto que para o Red Bull®, o efeito parece ser atribuído muito mais à CAF. Ao contrário de muitos relatos encontrados na literatura, o Red Bull® não interferiu nos efeitos do EtOH em ratos não PS. Por meio de uma curva tempo resposta notou-se que ratos PS em intervalos de tempos que variaram de 24, 48 e 96 horas apresentaram vários comportamentos sugestivos de alterações nas atividades espontâneas, respostas ao manuseio e déficits neurológicos, onde as alterações prejudiciais mais nítidas foram observadas com aqueles privados por 96h de sono. Os ratos privados por 48h foram os que tiveram melhores respostas para a proposta apresentada. No esquema de PS de 48h, o Red Bull® e/ou EtOH apresentaram um comportamento sugestivo de efeito ansiolítico, uma vez que aumentaram o percentual de frequência nos braços abertos do LCE, sem interferir nos aspectos cognitivos decorrentes do consumo energético e/ou alcoólico. Em um contexto geral, considerando os resultados obtidos, é importante investigar os aspectos celulares e moleculares envolvidos com essas respostas comportamentais e cognitivas apresentadas pela BE, CAF e TAU e suas interações com o EtOH, que possam também justificar os efeitos em humanos, visto que as alterações positivas ou negativas relatadas por alguns usuários dessas substâncias podem estar relacionadas à dose e ao tempo de consumo.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleInterferências de substâncias moduladoras do sistema nervoso central na privação de sonopt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.keywordBebidas energéticaspt_BR
dc.subject.keywordSono - privaçãopt_BR
dc.subject.keywordAlterações comportamentaispt_BR
dc.subject.keywordAlteração cognitivapt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1Sleep is essential for the body's homeostasis. The energy drinks, stand out because they are consumed to keep the consumer more alert and reduce physical and mental fatigue. In addition, they are also used to minimize behavioral and cognitive deficits resulting from the alcohol consumption. However, many are the contradictory results regarding this interaction, and this research is of interest here. Therefore, the aim of this research was to evaluate the interference of central nervous system (CNS) modulating substances in the psychobehavioral and cognitive responses of rats due to sleep deprivation (SD). For this, 16 groups of female Wistar rats were evaluated behaviorally in the open field (locomotor activity), Elevated plus-maze (EPM) and inhibitory avoidance (memory) tests. For SD protocols a multiple platform apparatus was used, where for this step of the experiments, the evaluation of the handling and neurological signs of the rats was considered. For the experimental investigations the Burn (3.54 mg/dL) and Red Bull® (3.57 mg/mL) energy drinks - ED; caffeine - CAF (6 and 32 mg/mL); taurine - TAU (25.36 and 400 mg/dL) and ethanol-EtOH (1.2 g/kg) were used, whose administrations were made by gavage. Considering the results obtained, it was observed that through a comparative analysis between the two energetics, Red Bull® presented better behavioral and cognitive responses than Burn. Regarding its active principles, it is likely that the greatest effect observed in Burn was due to CAF and TAU, whereas for Red Bull®, the effect seems to be attributed much more to the CAF. Contrary to many reports found in the literature, Red Bull® did not interfere with the effects of EtOH in non-SD rats. Through a curve-time response noted that SD rats in time intervals ranging from 24, 48 and 96 hours showed several behaviors suggestive of changes in spontaneous activities, responses to handling and neurological deficits, where the sharpest harmful changes were observed with those deprived for 96 hours of sleep. The SD rats for 48 hours were the ones that had the best answers to the presented proposal. Red Bull® and/or EtOH showed a behavior suggestive of an anxiolytic effect in the SD 48h scheme, since they increased the percentage of frequency in the open arms of the EPM, without interfering in the cognitive aspects resulting from energy and/or alcohol consumption. In a general context, considering the results obtained, it is important to investigate the cellular and molecular aspects involved with these behavioral and cognitive responses presented by ED, CAF and TAU and their interactions with EtOH, which may also justify the effects in humans, since the positive or negative changes reported by some users of these substances may be related to the dose and the time of consumption.pt_BR
Appears in Collections:FMD - Doutorado em Ciências Médicas (Teses)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/35221/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.