Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/35205
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_AndrésBurgosDelgado.pdf5,87 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMertens, Frédéric Adelin Georges-
dc.contributor.authorDelgado, Andrés Burgos-
dc.date.accessioned2019-07-31T21:14:30Z-
dc.date.available2019-07-31T21:14:30Z-
dc.date.issued2019-07-31-
dc.date.submitted2019-03-28-
dc.identifier.citationDELGADO, Andrés Burgos. Conectividade e ajustes em sistemas socioecológicos: o papel das redes de colaboração na conservação da biodiversidade. 2019. 235 f., il. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/35205-
dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, 2019.pt_BR
dc.description.abstractA conservação da biodiversidade é uma questão global com enormes implicações para o bem-estar humano e constantemente confrontada com novos desafios. Considerando que a conservação da biodiversidade envolve também uma dimensão social de gestão e que, em geral, as áreas protegidas (APs) concebidas como “ilhas” isoladas de preservação são ineficazes para a proteção da natureza, é necessário um esforço de pesquisa orientado a promover a gestão territorial. Igualmente, uma prioridade de pesquisa na conservação é entender de que maneira as pessoas interagem entre si e com os ecossistemas para produzir resultados socialmente justos e ecologicamente sustentáveis. Esta tese teve como objetivo compreender quais são as formas de governança colaborativa compatíveis com a gestão territorial que garantem os processos ecológicos na escala da paisagem, para além dos limites das APs. A pesquisa se concentra nas inter-relações entre as caraterísticas da governança colaborativa e as caraterísticas dos ecossistemas que são objeto de atenção nas iniciativas de conservação em larga escala. Um total de 230 entrevistas foram conduzidas junto a atores públicos, privados e da sociedade civil em um estudo de caso de um mosaico de APs, localizado na Serra do Espinhaço (Brasil), a fim de analisar a estrutura e a função da rede de colaboração para entender melhor seu papel na governança, enquanto processo que influencia os resultados de conservação. A perspectiva de redes foi utilizada como marco teórico-conceitual principal para examinar quatro desafios de governança associados à conservação em larga escala e que podem fornecer uma melhor compreensão das complexas interações entre sistemas sociais e ecológicos: 1) a descentralização e inclusão dos atores no processo colaborativo, 2) a robustez da rede de governança, 3) as interações multinível e, 4) o problema do ajuste socioecológico. A análise de redes sociais (ARS) foi combinada com a análise qualitativa para apoiar a interpretação dos dados da rede e avaliar como os padrões relacionais influenciam a governança do mosaico de APs. A tese consta de quatro manuscritos principais que abordam cada um desses desafios. O Manuscrito 1 mapeia a rede de colaboração dos atores envolvidos na gestão territorial do estudo de caso e analisa em que medida essa colaboração está sendo refletida em padrões relacionais descentralizados e inclusivos que apontam para a “boa governança”. As descobertas deste manuscrito sugeriram que os padrões de conexões podem fortalecer estratégias de conservação da natureza em âmbito regional, bem como auxiliar na identificação de barreiras à gestão territorial. O Manuscrito 2 avalia a robustez da rede de colaboração para sustentar a gestão dos recursos naturais mesmo que uma fração significativa dos membros da rede e atores relevantes para a gestão deixem de estar envolvidos nas parcerias. Os resultados destacaram a resistência da rede, favorecendo assim o desenvolvimento de ações conjuntas e duradouras essenciais para garantir a sustentabilidade do processo de governança e, portanto, a preservação a longo prazo dos ecossistemas e seus processos. O Manuscrito 3 explora a complexidade das interações multinível e o papel da “função ponte” na coesão dos processos colaborativos entre atores que estão diretamente envolvidos na gestão territorial e que operam em diferentes níveis espaciais aninhados. As descobertas realçaram o valor e a necessidade de que o desenho de estratégias colaborativas para a conservação em larga escala considere as dinâmicas ecológicas no hábitat local e em nível de paisagem, assim como as interdependências entre processos de gestão e ecológicos. O Manuscrito 4 sintetiza os temas e ideias que surgiram nos capítulos empíricos prévios para analisar as conexões, interdependências e possíveis (des)ajustes entre a rede social de governança e a rede de conectividade ecológica, de modo a avaliar seus impactos para os resultados da conservação. A análise combinada de dados sociais e ecológicos mostrou que a iniciativa de conservação em larga escala estudada foi globalmente caracterizada por um ajuste de escala apropriado. Contudo, foram identificadas algumas falhas de governança susceptíveis de comprometer os objetivos de conservação da iniciativa e que precisam ser corrigidas com prioridade. Coletivamente, os resultados da tese fornecem algumas luzes sobre como análises estruturais podem ser usadas para avaliar o desempenho dos arranjos de governança no sentido de enfrentar adequadamente os problemas da gestão territorial e de ações específicas de conservação em larga escala. Além disso, desenvolvem e ilustram conceitual e empiricamente aspectos que contribuem a desvendar a trama socioecológica inerente à conservação da biodiversidade, explorando como diversas partes interessadas com responsabilidade de uso e gestão dos recursos naturais influenciam e são influenciadas por diferentes elementos do ambiente natural e por suas próprias interações. O estudo empírico serve, ainda, para testar o ajuste entre os processos de governança colaborativa e as características dos ecossistemas sob gestão nos sistemas socioecológicos (SSE). Embora as descobertas aqui apresentadas sejam baseadas em pesquisas no Brasil, elas são pertinentes para a concepção e implementação de iniciativas de conservação em larga escala futuras e em curso em uma ampla gama de contextos, dada a expansão global dessas iniciativas e os desafios socioecológicos que elas enfrentam e partilham. De modo geral, minha tese facilita a transição do conhecimento para o planejamento da conservação visando criar estratégias eficientes, integrais e operacionalmente viáveis, dedicadas a prevenir, diminuir e reverter os efeitos negativos na natureza.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleConectividade e ajustes em sistemas socioecológicos : o papel das redes de colaboração na conservação da biodiversidadept_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.keywordConservação da biodiversidadept_BR
dc.subject.keywordGovernança corporativapt_BR
dc.subject.keywordGestão territorialpt_BR
dc.subject.keywordGestão ambientalpt_BR
dc.subject.keywordÁreas protegidaspt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.contributor.advisorcoAntunes, Maria Paula Baptista da Costa-
dc.description.abstract1Biodiversity conservation is a global issue with enormous implications for future human welfare and its maintenance is constantly challenged. Considering that the biodiversity conservation involves also a social dimension of management and that, in general, protected areas (PAs) conceived as isolated "islands" of preservation are inefficient in the protection of nature, a research effort is required to promote the territorial management. It is equally important that conservation research understand how people interact with each other and with ecosystems to produce socially just and ecologically sustainable results. This thesis aimed to understand which forms of collaborative governance are compatible with territorial management that guarantee the ecological processes at the scale of the landscape, beyond the boundaries of the PAs. Research focuses on the interrelations between the collaborative governance characteristics and the ecosystems characteristics that are the object of attention in large-scale conservation initiatives. A total of 230 interviews were conducted with public, private, and civil society actors in a case study of a PAs mosaic, located in the Espinhaço Range (Brazil), in order to analyze the structure and function of the collaborative network to better understand their role in governance, as a process that influences conservation results. The network perspective was used as main theoretical-conceptual framework to examine four governance challenges associated with large-scale conservation and that can provide a better understanding of the complex interactions between social and ecological systems: 1) the decentralization and inclusion of actors in the collaborative process, 2) the robustness of the governance network, 3) the multi-level interactions, and 4) the problem of fit. The social network analysis (SNA) was combined with qualitative analysis to support the interpretation of network data and to evaluate how relational patterns influence governance of the PAs mosaic. The thesis consists of four main manuscripts that address each of these challenges. Manuscript 1 maps the collaborative network of actors involved in the territorial management of the study case and examines to what extent this collaboration is being reflected in decentralized and inclusive relational patterns that points to "good governance." The findings of this manuscript suggest that the patterns of connections can strengthen nature conservation strategies at the regional level, as well as assist in identifying barriers to territorial management. Manuscript 2 evaluates the robustness of the collaborative network to sustain the management of natural resources even if a significant fraction of network members and relevant stakeholders for management are no longer involved in partnerships. The results highlighted the network's resistance, thereby enabling the development of joint and lasting actions to ensure the sustainability of the governance process and, therefore, the long-term preservation of ecosystems and their processes. Manuscript 3 explores the complexity of multilevel interactions and the role of the “bridging function” in the cohesion of collaborative processes among actors who are directly involved in territorial management and who operate at different nested spatial levels. The findings stressed the value and need for the design of collaborative strategies for large-scale conservation consider the ecological dynamics in local habitat and landscape level, as well as the interdependencies between management and ecological processes. Manuscript 4 summarizes the themes and ideas that emerged in previous empirical chapters to analyze the connections, interdependencies, and possible (mis)fits between the governance network and the ecological connectivity network, in order to assess their impacts on conservation outcomes. The combined analysis of social and ecological data showed that the large-scale conservation initiative studied was globally characterized by appropriate scale fit. However, some governance gaps have been identified that could jeopardize the conservation objectives of the initiative and that need to be remedied with priority. Overall, the thesis results provide some insights on how structural analysis can be used to assess the performance of governance arrangements in the sense of addressing adequately the problems of territorial management and particular large-scale conservation actions. In addition, research findings help to develop and illustrate conceptual and empirical aspects that contribute to clarify the social-ecological tangle inherent in biodiversity conservation, exploring how different stakeholders with responsibility for the use and management of natural resources influence and are influenced by different elements of the natural environment and their own interactions. The empirical study also serves to test the fit between the collaborative governance processes and the characteristics of the ecosystems under management in social-ecological systems (SES). Although the findings presented here are based on research in Brazil, they are relevant to the design and implementation of large-scale conservation initiatives current and future in a wide range of contexts, given the global expansion of these initiatives and the social-ecological challenges they face and share. In general, my thesis facilitates the transition from knowledge to conservation planning to create efficient, integral and operationally viable strategies dedicated to preventing, reducing and reversing negative effects on nature.pt_BR
Appears in Collections:CDS - Doutorado em Desenvolvimento Sustentável (Teses)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/35205/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.