Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34918
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_GuilhermeOtávioGodinhodeCarvalho.pdf1,19 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorVaz, Alcides Costa-
dc.contributor.authorCarvalho, Guilherme Otávio Godinho de-
dc.date.accessioned2019-06-18T17:56:21Z-
dc.date.available2019-06-18T17:56:21Z-
dc.date.issued2019-06-18-
dc.date.submitted2018-12-12-
dc.identifier.citationCARVALHO, Guilherme Otávio Godinho de. A cooperação internacional em defesa no entorno estratégico brasileiro no governo Lula da Silva: uma eficiente ferramenta para a política externa?. 2018. 134 f., il. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/34918-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, 2018.pt_BR
dc.description.abstractA presente dissertação tem como tema a cooperação internacional na área de defesa desenvolvida pelo Brasil no seu entorno estratégico. A pesquisa se propõe a analisar, de forma crítica, as diversificadas ações governamentais naquele segmento da cooperação internacional, buscando conclusões que estabeleçam paralelos com os interesses do País, especialmente quanto àqueles estabelecidos na Constituição Federal de 1988 (CF/88), na Política Nacional de Defesa (PND), na Estratégia Nacional de Defesa (END) e no Livro Branco de Defesa Nacional (LBDN). O recorte temporal abrange o período dos dois mandatos presidenciais de Luís Inácio Lula da Silva (2003-2010). A escolha se justifica pela necessidade de se avaliar um período no qual o Estado brasileiro adotou um discurso em que o conceito de “grande estratégia” se fazia presente de forma recorrente nos discursos de algumas das mais altas autoridades governamentais, abrangendo temas como a Defesa e a Diplomacia como vetores de destaque nessa empreitada. Esse tema, como um todo, insere-se no contexto da emergência do Brasil no cenário internacional, quando o País despertava a atenção de boa parte do mundo como uma nação em franca ascensão. A imagem transmitida à comunidade internacional era a de um Brasil economicamente fortalecido e, ao mesmo tempo, prestigiado pela manutenção de um discurso político voltado para a paz e para o desenvolvimento, a serem alcançados por intermédio da redução das diferenças entre as nações mais ricas e as mais pobres, da promoção do respeito à igualdade entre os povos e da democratização efetiva do sistema internacional. O objetivo primeiro foi examinar, empiricamente, como se encaminhou a temática da cooperação em defesa ao longo do período considerado e, assim, verificar a hipótese de que essa atividade, como um instrumento da política externa brasileira (PEB), contribuiu para a projeção internacional do Brasil, coerentemente com a estatura do País e alinhada com o discurso diplomático oficial. Na ocasião, o Brasil divulgava ao mundo, por intermédio de sua política de defesa, sua vocação para o diálogo e para a cooperação, na busca de uma inserção afirmativa no plano internacional. Considera-se, neste trabalho, que no período dos governos de Lula da Silva houve avanços na valorização da articulação entre a sua diplomacia e a vertente militar do Estado, consideradas ferramentas primordiais para a sua inserção internacional.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleA cooperação internacional em defesa no entorno estratégico brasileiro no governo Lula da Silva : uma eficiente ferramenta para a política externa?pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordCooperação internacionalpt_BR
dc.subject.keywordPolítica externa - Brasilpt_BR
dc.subject.keywordBrasil - política e governo - 2003-2010pt_BR
dc.subject.keywordDefesa nacionalpt_BR
dc.subject.keywordGoverno Lulapt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1The present dissertation focuses on international cooperation in the area of defense developed by Brazil in its strategic environment. The research proposes to critically analyze the diverse governmental actions in that segment of international cooperation, seeking conclusions that establish parallels with the country's interests, especially those established in the Federal Constitution of 1988, National Defense Policy, National Defense Strategy and the National Defense White Paper. The temporal cut of the research covers the period of the two presidential mandates of Luís Inácio Lula da Silva (2003-2010). The temporal choice is justified by the need to evaluate a period in which the Brazilian State adopted a discourse in which the concept of "grand strategy" was recurrently present in the speeches of some of the highest governmental authorities, covering topics such as Defense and Diplomacy as leading figures in this endeavor. This theme, as a whole, fits into the context of Brazil's emergence on the international stage, when the country awakened the attention of much of the world as a nation on the rise. The image transmitted to the international community was that of a Brazil economically strengthened and, at the same time, honored by the maintenance of a political discourse aimed at peace and development, to be achieved by reducing the differences between the richer nations and the poorest, the promotion of respect for equality among peoples and the effective democratization of the international system. The first objective was to examine, empirically, how the issue of defense cooperation was addressed during the period considered, and thus to verify the hypothesis that this activity, as an instrument of Brazilian foreign policy, contributed to the international projection of the Brazil, consistent with the country's stature and in line with official diplomatic discourse. At the time, Brazil disseminated to the world, through its defense policy, its vocation for dialogue and cooperation, in the search for an affirmative insertion at the international level. It is considered, in this work, that in the period of the governments of Lula da Silva there were advances in the valorization of the articulation between its diplomacy and the military aspect of the State, considered primordial tools for its international insertion.pt_BR
Appears in Collections:IREL - Mestrado em Relações Internacionais (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34918/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.