Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34886
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_CamilaAparecidaLevesManeze.pdf2,61 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAraújo, Neuza de Farias-
dc.contributor.authorManeze, Camila Aparecida Leves-
dc.date.accessioned2019-06-17T21:03:31Z-
dc.date.available2019-06-17T21:03:31Z-
dc.date.issued2019-06-17-
dc.date.submitted2018-12-11-
dc.identifier.citationMANEZE, Camila Aparecida Leves. A transformação humana nas viagens: encontro de si e busca de ser. 2018. 251 f., il. Dissertação (Mestrado Profissional em Turismo)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/34886-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Excelência em Turismo, Programa de Pós-Graduação em Turismo, 2018.pt_BR
dc.description.abstractO presente trabalho aborda como tema o ato de viajar autônomo. O ato de viajar acompanha a construção da história humana, é antigo e provido de várias motivações, tais como a busca por experiências significativas para o sentido da vida. Por meio de um recorte de gênero, evidencia-se como elemento central do estudo a viajante independente, considerada “a nova filha errante da estrada”, que viaja desacompanhada ao seu próprio modo e tempo, vivencia diversas formas de acomodações e meios de transporte, mas que pode privilegiar um modal, a bicicleta, e assumir as viagens como um novo estilo de vida móvel. Deixa-se guiar pela viagem e por seus sentidos, ao acaso da aventura e do encontro. Transgride o imaginário social e a ordem social estabelecida que remetem o ato de viajar à figura masculina. Realiza uma experiência de viagem não convencional, considerada uma das expressões de viver as mobilidades turísticas contemporâneas. O fio condutor, ao tratar do ato de viajar com autonomia, é trabalhar com os seus aspectos subjetivos, por meio das experiências que se aproximam das dimensões simbólicas dos ritos de passagens. Tais experiências podem promover mais do que o encontro com o outro diferente de si, revelando-se um processo de autoconhecimento na busca ou encontro, consciente ou não, de ser e de si. Nesse percurso, no objetivo geral, analisa-se a construção da figura da viajante independente por meio de três relatos de viagens, que se amparam no método da história oral ao compor uma análise única e interpretativa. Entre os critérios estão viajar sozinha e de bicicleta, com base nas principais características: a errância, a liberdade e a aventura. De modo que, no escopo do estudo, visa-se a descrever e analisar o relato de uma experiência de viagem, além de caracterizar o perfil e verificar as motivações das viajantes independentes. Trata-se de três viajantes brasileiras, inicialmente desacompanhadas, que realizam viagens longas de bicicleta pelas Américas. Verificam-se as motivações e os desenvolvimentos das construções das viajantes, por meio de experiências singulares, que configuram um processo coletivo de desafios e amadurecimento, englobando sentimentos, aprendizados e autodescobertas. No entanto, ao tratar do subjetivo das viagens e ao perpassar pelo universo complexo da existência, as experiências de viagens promovem a transformação das viajantes e (re) significação das identidades. A pesquisa busca contribuir para novas investigações no campo do Turismo e na valorização do viajar autônomo realizado por mulheres.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleA transformação humana nas viagens : encontro de si e busca de serpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordViagens autônomaspt_BR
dc.subject.keywordBicicletas - viagens longaspt_BR
dc.subject.keywordMulheres viajantespt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1The present work approaches as the theme the act of autonomous travel. The act of traveling accompanies the construction of the history of human life, is ancient and provided with various motives, such as a search for meaningful tasks for the meaning of life. Through a return of gender, it is evidenced, as a central element of the study, the independent traveler, considered "a new wandering daughter of the road", who travel the unaccompanied in their own way and pace, who experiences various forms of places and means of transport, but who can privilege a modal, a bicycle and take travel as a new mobile lifestyle. Let yourself be guided by the journey and your senses, by chance of the adventure and encounter. It transgresses the social imaginary and the established social order social that remit the act of traveling to the male figure. It is an unconventional travel experience, one of the expressions of living as contemporary tourist mobilities. The motivation, when dealing with the mode of autonomous travel, is to work with its subjective aspects, through the experiences that approach the symbolic scales of rites of passage. Such events can promote more than the encounter with the other different from yourself, revealing a process of self-knowledge in the search or meeting, conscious or not, of being and of self. The route, in the general objective, the construction of the figure of the independent traveler is analyzed through three travel reports, which are based on the method of oral history when composing a single and interpretative analysis. Among the criteria are traveling alone and by bicycle, based on the main characteristics: wandering, freedom and adventure. So, the scope of the study, it aims to describe and analyze the course of a travel experience and characterize the profile and verify the motivations of the independent travel. They are three Brazilian travelers, initially unaccompanied, who make long bike trips through the Americas. The motivations and the constructions' developments of the travelers are verified by means of singular experiences, which configure a collective process of challenges, maturity, feelings, learning and self-discovering. However, in dealing with the subjective of travel and passing through the complex universe of existence, travel experiences promote the transformation of travelers and (re) signification of identities. This research is a contribution to new investigations in the field of Tourism and in the valorization of the autonomous travels carried out by women.pt_BR
Appears in Collections:CET - Mestrado Profissional em Turismo (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34886/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.