Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34855
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_MarianaMirandaBorges.pdf1,91 MBAdobe PDFView/Open
Title: Adolescência e ofensa sexual : [in]visibilidade dos vínculos familiares
Authors: Borges, Mariana Miranda
Orientador(es):: Costa, Liana Fortunato
Assunto:: Violência sexual
Família - relações interpessoais
Adolescência
Abuso sexual
Família - aspectos psicológicos
Issue Date: 17-Jun-2019
Citation: BORGES, Mariana Miranda. Adolescência e ofensa sexual: [in]visibilidade dos vínculos familiares. 2018. 209 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: A ofensa sexual intrafamiliar praticada por adolescentes é um fenômeno crescente e tem afetado as interações familiares destes grupos. O objetivo desta dissertação é analisar os vínculos familiares do adolescente após o cometimento da ofensa sexual. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de cunho documental. O estudo foi realizado em um serviço de saúde mental infanto-juvenil do Distrito Federal responsável pelo atendimento grupal às famílias de adolescentes encaminhados por suspeita ou cumprimento de medida de proteção, referentes ao cometimento da ofensa sexual. Os dados foram registrados durante o oferecimento de um grupo multifamiliar, durante o segundo semestre de 2017. Os participantes foram 10 famílias, com maior preponderância do tipo monoparental feminina. As informações foram disponibilizadas por meio da consulta aos prontuários das famílias: Dados dos documentos supramencionados, Escultura Familiar, Genograma, Registro das sessões do grupo multifamiliar, e o Diário de Campo da pesquisadora. Os dados foram organizados e interpretados na perspectiva da Análise Temática e a partir do referencial da Terapia Familiar Estrutural Sistêmica. Os resultados possibilitaram a identificação de três eixos: 1) Afeto - Eu quero saber qual o lugar ocupo na sua vida?; 2) Vínculo - Fui... Mas volto já; 3) Comunicação - [In] visibilidade do sofrimento das famílias. O primeiro eixo foi analisado por meio das informações sobre as interações ocorridas nas díades vítima - ofensor, mãe - adolescentes, ofensor - padrasto. A díade vítima – ofensor apresenta interação mediada por sentimentos e comportamentos de ambiguidade e dominação, e uma aparente indiferença. A criança vitimizada parece ter um papel de restabelecimento do vínculo afetivo entre o autor da ofensa e a(s) pessoa(s) que estão responsáveis pelo seu cuidado. A díade mãe - adolescente também apresentou a presença de ambiguidade. A díade ofensor - padrasto foi expressa por um sentimento de ameaça à troca de afetos entre mãe e filho. No segundo eixo, Fui...Mas volto já, foi observada a frágil vinculação afetiva do adolescente com a vítima e, para ambos (ofensor e vítima), a experiência da atividade sexual tinha a intenção de inclusão no papel masculino. O vínculo afetivo entre mãe e o adolescente foi percebido como frágil. O eixo da comunicação revelou os significados não explícitos da prática da ofensa sexual e a negação da família a respeito da violência cometida, em função do sofrimento produzido nessa situação. A partir destes resultados, orienta-se que as políticas públicas de enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes possam reconhecer o sofrimento inerente às famílias e ao adolescente que cometeu a ofensa sexual, compreender a necessidade da promoção do atendimento familiar dos autores de violência a fim de atuar sobre os motivadores e mantenedores do comportamento ofensivo, e incluir a perspectiva da complexidade e instabilidade nestas intervenções.
Abstract: Intrafamilial sexual offense practiced by adolescents has been growing worldwide and affecting the family bonds of these groups. This thesis aims to analyze the family bonds of the adolescent after committing a sexual offense. It is a qualitative research with documentary intent. The study was performed in a service of youth mental health of the Federal District of Brazil responsible for group assistance to the families of adolescents that were referred because of a suspicion or as a protective measure regarding the practice of sexual offense. Data were recorded during the offering of a Multifamily Group in the second semester of 2017. The participants were 10 families, with a higher incidence of the female single-parent type. This information was provided by consulting the families’ records: data from the above-mentioned documents, family sculpture, genogram, record of the Multifamily Group sessions, and the field diary of the researcher. The information was organized and interpreted in the perspective of the Thematic Analysis and from the reference of the Structural Systemic Family Therapy. The results allowed the identification of three axes: 1) Affection – I want to know what place I have in your life; 2) Bond – I’m leaving... but I’ll be right back; 3) Communication – [In]visibility of the family suffering. The first axis was analyzed by means of information on the interactions that occurred in the dyads victim–offender, mother–adolescent, offender– stepfather. The victim–offender dyad was mediated by feelings and behaviors of ambiguity and domination. The relationship offender–victim was marked by a seeming indifference. Actually, the victimized child seems to have the role of maintaining the emotional bond between the offender and the person(s) responsible for their care. The mother–adolescent dyad was characterized by the presence of ambiguity. The offender–stepfather dyad was expressed by a feeling of threat to the affection exchange between mother and child. In the second axis, we observed a lack of emotional bond of the adolescent toward the victim and, for both, the experience of sexual activity, even if experienced with violence, had an intention of inclusion in the male role. The emotional bond between mother and adolescent was perceived as fragile. The communication axis revealed the non-explicit meanings of the practice of sexual offense and the denial of the family regarding the practiced violence due to the suffering caused by the situation. From these results, we advise that the public policies regarding sexual violence against children and adolescents should recognize the suffering inherent to the families and to the adolescent that practiced the sexual offense, understand the need to promote family assistance of the offenders in order to act on what motivates and maintains the offensive behavior, and include the perspective of complexity and instability in these interventions.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34855/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.