Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34706
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_RicardoGuimarãesPaiva.pdf12,16 MBAdobe PDFView/Open
Title: Estratigrafia de sequências aplicada à formação Poti, viseano da Bacia do Parnaíba
Authors: Paiva, Ricardo Guimarães
Orientador(es):: Alvarenga, Carlos José Souza de
Coorientador(es):: Cruz, Carlos Emanoel de Souza
Assunto:: Bacia do Parnaíba
Formação Poti
Afloramento (Geologia)
Issue Date: 4-Jun-2019
Citation: PAIVA, Ricardo Guimarães. Estratigrafia de sequências aplicada à formação Poti, viseano da Bacia do Parnaíba. 2018. xii, 90 f., il. Dissertação (Mestrado em Geologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Utilizando afloramentos e dados de poços para análises de fácies e correlações estratigráficas, foram identificados 6 ciclos de deposição de alta-frequência na borda proximal leste-sudeste e em contexto distal norte-noroeste, próximo aos reservatórios produtores de gás natural pela ENEVA S / A, da Formação viseana Poti, Grupo Canindé, bacia do Parnaíba. Este trabalho conta com o estudo de sete afloramentos (A a G), com mais de 1000m de poços com testemunhos, 1-UN-01-PI, 1-UN-05-PI, 1-UN-06-PI, 1- UN-12-PI, 1-UN-19-PI e 1-UN-21-PI do projeto CPRM / DNPM “Carvão da bacia do Parnaíba” (Leite et al., 1975) de contexto deposicional proximal e quatro perfis de raios gamaespectrométricos de poços da ANP, de contexto deposicional intermediário a distal. A análise sedimentar é subdividida em dez associações de fácies (AF): AF1 – shoreface; AF2 – offshore; AF3 – barras de maré; AF4 – planícies de maré; AF5 – canais fluvio-estuarinos; AF6 – delta dominado pela maré em ambiente protegido; AF7 – lobos sigmoidais aluviais; AF8 – canais fluviais; AF9 – dunas eólicas desérticas e lagos efêmeros; AF10 – wadis. Para a análise das correlações estratigráficas, foram identificados 7 limites de sequências, 6 superfícies transgressivas, 7 superfícies de inundação máxima e 1 superfície regressiva de erosão marinha. Estas superfícies conectam 6 seqüências (I a VI) da Formação Poti mostradas em duas seções estratigráficas esquemáticas ao longo dos limites da borda leste-sudeste (strike-proximal) a norte-noroeste (dip-distal). Essas sequências são principalmente compostas por empilhamentos de tratos de sistemas transgressivos e de mar alto, sendo ausente a deposição do trato de sistemas de mar baixo em contexto proximal. Os depósitos do trato de sistemas de mar baixo ocorrem a aproximadamente 200 km de distância em sentido sul-sudoeste, distante dos tesmunhos do CPRM/DNPM descritos. A transição formacional Longá para a Formaçao Poti consiste em uma sequência (LP), que é marcada ao topo pelo trato do sistema de mar em queda, apenas observado uma vez, de forma análoga ao descrito para os afloramentos (E e F). Para a sequência deposicional da Formação Piauí (PI), não foram reconhecidas superfícies estratigráficas, além do limite de sequência que separa a Formação mais antiga Poti (mississipiano – viseano) da Formação mais jovem Piauí (pensylvaniano - morrowan) (Anelli et al., 2009), equivalente a um intervalo de tempo de não deposição de pelo menos 15Ma.
Abstract: Utilizing outcrops and core data for facies analysis and stratigraphic correlations, 6 high-frequency cycles of deposition have been identified in the east-southeast proximal border to distal north-northwest´s context, near reservoirs bearing in actual production by ENEVA S/A of visean Poti Formation, Canindé Group, Parnaíba basin. This work accounts for the study of seven outcrops and six cores: 1-UN-01-PI, 1-UN-05-PI, 1-UN-06-PI, 1-UN-12-PI, 1-UN-19-PI and 1-UN-21-PI from CPRM/DNPM´s project “Coal of Parnaíba´s basin” (Leite et al., 1975) of proximal depositional setting. four gamaespectrometric rays logs of ANP´s cores of intermediary to distal depositional setting. The sedimentary analysis is subdivided in ten facies associations (AF): AF1 – shoreface; AF2 – offshore; AF3 – tidal bars; AF4 – tidal flats; AF5 – fluvio-estuarine channels; AF6 – tide dominated delta in protected environment; AF7 – alluvial sigmoidal lobes; AF8 – fluvial channels; AF9 – desertic aeolians dunes e ephemeral lakes; AF10 – wadis. For the stratigraphic correlation analysis, 7 sequence boundarys, 6 transgressives surfaces, 7 surfaces of maximum inundation and 1 regressive surface of marine erosion it have been identified. These surfaces connect 6 sequences (I to VI) of the Poti Formation shown in two schematic stratigraphic sections along the east-southeast border (strike-proximal) to the north-northwest (dip-distal) depocenters. These sequences are mainly stacked transgressives and high sytems tracts with the absence of lowstand sytem tract at the proximal context. The lowstand system tract deposits occurs approximately 200km south-southwest distances far from the CPRM/DNPM´s cores descripted. The formational transition from the older Longá to the younger Poti formations consists of one sequence (LP) and it´s marked at the top by the falling stage system tract, only observed once, analogous of the described for the outcrops (E and F). For the formational context of Piauí´s depositional sequence, it has been observed continental´s depositional systems, so it wasn´t possible to do sequence stratigraphy analyses, besides the sequence boundary that separates the oldest Poti Formation (mississipian - visean) to the youngest Piaui Formation (pensylvanian - morrowan) (Anelli et al., 2009), equivalent to a time gap of a least 15Ma.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Geologia, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: ENEVA S/A; Agência Nacional do Petróleo (ANP) e Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (FINATEC).
Appears in Collections:IG - Mestrado em Geologia (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34706/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.