Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34496
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_MárcioLinodeAlmeida.pdf1,26 MBAdobe PDFView/Open
Title: O que é a economia verde? : mapeando a disputa pelo conceito
Authors: Almeida, Márcio Lino de
Orientador(es):: Nascimento, Elimar Pinheiro do
Assunto:: Desenvolvimento sustentável
Sustentabilidade
Crescimento econômico
Economia verde
Proteção ambiental
Issue Date: 29-Apr-2019
Citation: ALMEIDA, Márcio Lino de. O que é a economia verde?: mapeando a disputa pelo conceito. 2018. 110 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: A persistência da degradação ambiental, o aprofundamento das desigualdades sociais e o deflagrar da crise financeira de 2008 motivaram o United Nations Environment Programme (UNEP) a lançar a economia verde (EV) como uma estratégia de sustentabilidade inovadora, capaz de promover a retomada do crescimento econômico juntamente com a redução dos impactos ambientais e a redução das desigualdades sociais. Contudo, críticos da EV questionam o seu caráter inovador e a acusam de reformular políticas antigas e comuns ao desenvolvimento sustentável (DS). Para compreender a identidade de EV e DS e a relação entre eles, este trabalho parte do princípio de que ambos são conceitos em disputa, cujos significados são múltiplos e concorrentes. Com o objetivo de identificar as diferentes concepções de EV presentes na literatura pertinente e compará-las àquelas de DS, 12 textos sobre EV foram selecionados e submetidos ao método da análise de conteúdo direcionada, que buscou identificar como a EV é descrita dentro de três categorias analíticas: crescimento econômico, proteção ambiental e justiça social. Os resultados mostram a predominância das concepções de EV construídas a partir da perspectiva das categorias de sustentabilidade fraca e forte, as mesmas que informam as concepções concorrentes de DS. Isso indica que ambos os conceitos – e as suas respectivas disputas – se constroem dentro do mesmo contexto teórico-conceitual do campo da sustentabilidade. Contudo, enquanto a disputa pelo DS se dá em torno da substituibilidade do capital natural pelo capital artificial e da dicotomia do espectro antropocentrismo-ecocentrismo, as concepções de EV partem do princípio da substituibilidade restrita do capital natural e de uma postura antropocêntrica. A disputa pelo conceito de EV gira em torno da aceitação ou não de políticas de crescimento econômico como estratégia fundamental para a promoção dos seus objetivos econômicos, ambientais e sociais. Logo, as disputas em torno dos dois conceitos divergem em suas organizações por estarem centradas em temas distintos.
Abstract: The persistence of environmental degradation, the deepening of social inequalities and the outbreak of the financial crisis of 2008 motivated the United Nations Environment Programme (UNEP) to launch the green economy (GE) as an innovative sustainability strategy capable of promoting the resumption of economic growth along with the reduction of environmental impacts and social inequalities. However, critics of the GE question its innovative character and accuse it of reformulating old and common policies to the sustainable development (SD). To understand the identity of GE and SD and the relationship between them, this research assumes that both are disputed concepts, whose meanings are multiple and competing. In order to identify the different conceptions of GE present in the relevant literature and to compare them with those of SD, 12 texts about GE were selected and submitted to the directed content analysis method, which sought to identify how GE is described within three analytical categories: economic growth, environmental protection and social justice. The results show the predominance of GE conceptions constructed from the perspective of weak and strong sustainability categories, the same ones that inform the competing conceptions of SD. This indicates that both concepts - and their respective disputes - are built within the same theoretical-conceptual context of the field of sustainability. However, while the dispute for the SD concept is based on discussions about the substitutability of artificial capital for natural capital and the dichotomy of the anthropocentrism-ecocentrism spectrum, the GE conceptions depart from the principle of restricted natural capital substitutability and from an anthropocentric attitude, and the dispute for the GE concept revolve around the acceptance or not of economic growth policies as a fundamental strategy to the promotion of its economic, environmental and social goals. Therefore, the disputes over the two concepts (GE and SD) diverge in their organizations because they are focused on different themes.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:CDS - Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Sustentável (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34496/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.