Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34430
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_FilipeAlmeidaCarvalhoGonzaga.pdf2,61 MBAdobe PDFView/Open
Title: Prevalência dos vírus zika e dengue em doadores de sangue do Distrito Federal
Authors: Gonzaga, Filipe Almeida Carvalho
Orientador(es):: Haddad, Rodrigo
Coorientador(es):: Ramos, Doralina do Amaral Rabello
Assunto:: Dengue
Zika vírus
Doadores de sangue - avaliação
Epidemiologia
Issue Date: 25-Apr-2019
Citation: GONZAGA, Filipe Almeida Carvalho. Prevalência dos vírus zika e dengue em doadores de sangue do Distrito Federal. 2018. 57 f., il. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: No início de 2016 houve um aumento no número de casos DENV quando comparado a anos anteriores no Distrito Federal. Geralmente essas infecções apresentam sintomas suaves e até mesmo assintomáticos, porém a transfusão de hemoderivados em pacientes em estado potencialmente crítico, e que muitas vezes estão imunocomprometidos, pode levar a sintomas mais graves. Como diversas evidências apontam para a transmissão de arbovírus por transfusão sanguínea, torna-se importante a avaliação dos doadores da Fundação Hemocentro de Brasília no intuito de se observar a prevalência do vírus da Zika (ZIKAV) e do vírus da Dengue (DENV), especialmente em um período de alto número de casos reportados na população geral. Para tal, 475 amostras de soro obtidas de doadores de sangue entre Dezembro de 2015 a Maio de 2016 foram testadas para NS1 de DENV e IgM anti-DENV por ELISA, e RT – qPCR para ZIKAV. Nas amostras IgM anti-DENV ou NS1 positivas ou inconclusivas foram realizados testes de Elisa para IgG anti-DENV, IgM anti-CHIKV, e Mac-ELISA para YFV. Quando reagente verificou-se a possibilidade de reações cruzadas, por MAC-ELISA para IgM de ZIKAV e DENV. Não foi observada positividade para o antígeno NS1 em nenhuma das amostras testadas. Aproximadamente 6,95% dos doadores apresentavam o anticorpo de fase aguda IgM para DENV. Parte das amostras que apresentaram resultado positivo para IgM de DENV também possuíam a presença do anticorpo IgG para DENV. Algumas amostras que apresentaram resultado reagente para IgM de DENV também apresentaram resultado reagente IgM de outros flavivírus testados (YFV e ZIKAV). Nenhuma amostra positiva para IgM de DENV apresentou resultado reagente para IgM de CHKV. Além disso, para fins de comprovação, aquelas amostras que apresentaram reação cruzada entre DENV e ZIKAV foram retestadas por RT-qPCR e mantiveram o resultado negativo para o ZIKAV. Em relação à DENV, de 29 amostras que foram reagentes para IgM, 19 também foram reagentes para IgG, o que pode indicar apresença do IgM na ausência do vírus. Além disso, não foi observada positividade para o antígeno NS1 no teste de DENV por ELISA. Porém, é necessário ressaltar a importância do RT-PCR para DENV para diagnóstico confiável.
Abstract: In early 2016 there was an increase in the number of DENV cases in Federal District, Brazil, compared to previous years. These infections usually present mild symptoms or even no symptoms, although the transfusion of blood products in potentially critical patients - commonly immunocompromised – can lead to more serious symptoms. As several evidences point to the transmission of arboviruses by blood transfusion, it’s important to evaluate the blood of donors from the Fundação Hemocentro de Brasília in order to observe the prevalence of Zika virus (ZIKAV) and Dengue virus (DENV), specialy in a period of high number of cases in general population. For this purpose, 475 serum samples obtained between December 2015 and may 2016 were tested for NS1 of DENV and anti-DENV IgM by ELISA and RT-qPCR for ZIKAV. In positive or inconclusive anti-DENV IgM NS1 samples, ELISA tests were performed for anti-DENV IgG, anti-CHIKV IgM and MAC-ELISA for YFV. When reagent, was found the possibility of cross-reactions by MAC-ELISA for ZIKAV and DENV IgM. Positive results for antigen NS1 was not observed. Approximately 6.95% of the donors presented the IgM acute phase antibody to DENV. Part of the samples that presented positive results for DENV IgM also presented IgG antibody to DENV. Some samples that showed positive results for IgM DENV also showed positiv results for other flaviviruses tested (YFV and ZIKAV). No positive sample for DENV IgM presented positive result for CHKV. In addition, for verification purposes, those samples that showed cross-reaction between DENV and ZIKAV were tested by RT-qPCR and maintained the negative result for ZIKAV. In relation to DENV, 19 samples IgM positive (from 29 tested) were also positive for IgG, which may indicate the presence of IgM in the virus absence. In addition, no positive samples were observed for the NS1 antigen in the DENV test by ELISA. However, it is necessary to emphasize the importane of RT-PCR for DENV for reliable diagnosis.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Pós-graduação em Medicina Tropical, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Medicina Tropical (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34430/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.