Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34350
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2003_MariadeFatimaRibeiro.pdf13,04 MBAdobe PDFView/Open
Title: Biologia reprodutiva e polinizacao de Jacaranda ulei Bureau & K Schum (Bignoniaceae)
Authors: Ribeiro, Maria de Fátima
Orientador(es):: Barros, Mariluza Araújo Granja e
Assunto:: Fitogeografia
Plantas - população
Jacarandá
Issue Date: Apr-2019
Citation: RIBEIRO, Maria de Fátima. Biologia reprodutiva e polinizacao de Jacaranda ulei Bureau & K Schum (Bignoniaceae). 2003. xxviii, 205 f., il. Dissertação (Mestrado em Botânica)-Universidade de Brasília, Brasília, 2003..
Abstract: A Biologia Reprodutiva, a fenologia e a potinização de Jacaranda ulei Bureau & K. Schum, foram investigadas em uma área de cerrado sensu stricto, situada na Fazenda Água Limpa (FAL) da UnB, no período de agosto de 2001 a maio de 2003. A espécie apresentou fenologia de floração durante os meses de agosto a novembro e de frutificação durante os meses de setembro a janeiro, com ocorrência anual. A floração é longa com duração de cerca de 4 meses. O brotamento da inflorescência e a emissão dos primeiros botões florais se deu simultaneamente com o surgimento da nova folhagem. A frutificação é também longa, a deiscência e dispersão de suas sementes ocorrem no ano seguinte. As flores de J. ulei apresentam-se reunidas formando densas inflorescências do tipo panícula-de-panículas; são grandes (cerca 4,8cm), hermafroditas, quase inodoras, cor vinácea-arroxeada, tubulosa-salpingomorfas, com duração de dois dias. São flores protogínicas, cujo estigma bipartido se encontra com cerca de 60% de abertura nos botões em pré-antese e as anteras abrindo cerca de três horas após, quando se inicia a visitação às flores pelos vetores de póien. Neste momento, o estigma se encontra totalmente aberto e os demais verticilos florais distendidos. É uma flor nectarífera, sendo o néctar produzido após a antese, com concentração média de açúcares de 19% a 25%, incrementando ambos, volume e concentração de açúcares no período da tarde do primeiro dia, A glândula nectarífica encontra-se na base do ovário que é súpero. Os estames são didínamos, os grãos de pólen são de cor branca e brilho intenso, sendo estes liberados em massa. A antese é diurna, iniciando-se nas primeiras horas da manhã, à partir das 03h20i com duração de cerca de 01h30, tendo 98% das flores por indivíduo desabrochando, ocorrendo até às 10h30 da manhã, para as demais flores (2%). A síndrome floral de J. ulei é melitofilia, a qual sugere uma adaptação para a polinização por abelhas, sendo estas de médio e grande portes como as pertencentes às famílias Apidae, Haiictidae e Anthophoridae, além de favorecer a atração de outras ordens de pequenos e grandes insetos, como Coleoptera, Lepidoptera e Apodiformes. Com relação à polinização, as abelhas Trigona spinipes Fabricius, Augochloropsis smithiana Schrottky, Apis mellifera Linnaeus, Epicharis schrottkyi e Bombus atratus Franklin, foram consideradas os polinizadores efetivos, e as abelhas Ceratlna sp., Augochloropsis sp., abelhas de médio porte pertencentes à tribo Eucerini e ainda as pequenas abelhas Scaptotrigona postiça Latreilie e Paratrigona lineata Lepeletier, consideradas polinizadores ocasionais. Outros visitantes florais como a mariposa Michaelus thordesa, o beija-flor da família Trochilidae, a borboleta Aguna albistria albistria foram considerados pilhadores. O besouro e as formigas foram considerados apenas visitantes da planta, sem compromisso reprodutivo. Os visitantes de J. ulei iniciavam seu forrageamento por volta das 08h30, com um pico de visitação por volta das 10h30 até 15h30 diminuindo ao entardecer, sendo preferencialmente em dias ensolarados e de temperatura amena a alta. Dos testes manuais de polinização, constatou-se que a frutificação ocorreu somente no processo de polinização cruzada, sendo (n=19/2001) ou 33,3%; e (n=15/2002) ou 31,25% de produção, cuja média (2001/2002) ficou (n=34 frutos ou cerca 32%), tendo sido este superior à produção no processo de polinização natural, sendo (n=152/2001) ou 11,6% e (n=118/2002) ou 10,13% de produção, cuja média (2001/2002) ficou(n=319 frutos ou cerca 10,5%) durante os dois anos de trabalho. O aborto ocorreu durante os primeiros 45 - 50 dias, tanto no processo de polinização cruzada (cerca 68%) como no processo ( die polinização natural (cerca 89 5%), para os dois anos de estudo. De acordo com os resultados dos testes de polinizações manuais realizados, pôde-se sugerir que J. ulei é uma espécie xenogâmica. As observações; do crescimento dos tubos polínicos nos pistilos oriundos dos testes; experimentais manuais de autopolinizações e polinizações cruzadas, , do campo e do laboratório, através da microscopia de fluorescência, verificou-se que estes alcançaram os óvulos 24h00 após a fertilização,Tendo sido observado que tubos px)línicos de autopolinização chegaram a fertilizar os óvulos, ocorrendo saí o bloqueio, sugere-se que a espécie J. a/e/apresenta "autoincompatibilidade de ação tardia".
Abstract: Reproductive biology, phenology, and pollination of Jacaranda ulel Bureau & K. Schum (Bignoniaceae) were investigated accomplished in a sensu strlcto cerrado area, at Fazenda Água Limpa (FAL) of the University of Brasília, from August 2001 to May 2003. This species showed flowering phenology from August to November and fructification from September to January, with annual occurrence. Flowerimg is long, lasting for about 4 months. Inflorescence blossom and emissiion of the first flcwer bottoms took place simultaneously with the appearance of the new leaves. Fructification is long too and dehiscence and seed dispersai occur in the foilowing year. J. ulel flowers blossom toge>ther forming a dense panicie. They are c. 4.8cm long, hermaphrodiíe, almost odourless, wine-coloured and last for 2 days. The anthesis is diurnail, occurring between 3:20 and 04h50 AM with 98% of florwers open by 10: 30 in the morning. The flowers are proíogynic and the stigma bilamelate optens c. 60% as a bottom in preanthesis and the anthers open about three hours after that, when visitation by the pollen vectors starts. By this time the stigma is completely open and the flower is completely expanded. It is a mectar flower, and the nectar is produced after anthesis, increasing its quantity on the afternoon first day, of the with sugar concentration averaging 19% to 25%. The ovary is superior, and the stamen are didynamous, and the p)ollen grains are brilliant white and are released massively; the nectahfercous disk is at the base of the ovary. J. ulel flowersare melitofilous attracting médium and long bees from the Apidae, Halictidae and Anthophoridae farmilies, Small and big species of such orders as the Coleoptera, Lepidopte^ra and Apodiformes. Trlgona spinipes Fabricius, Bombus atratus Franklin, Augochloropsis smithiana Schrottky, Epicharls schrottkyi Friese and Apis mellifera Linnaeus, were considered effective pollinators, and the beess Ceratina sp., Augochloropsis sp., Eucerini sp., and the small bees Scaptotrigona postiça Latreille and Paratrigona lineata Lepeletier were consiidered occasional pollinators. Other flower visitors such as the moth Mich.aelus thordesa. a hummingbird of the family Trochilidae, and the butterfly A^guna albistria were considered nectar thieves. Beetles and ants were considered visitors without any reproductive commitment. The visitors of J. ulei started forage around 8:30 with visitation peaks from 10:30 to 15:3i0 decreasing by the sunset, specially on sunny days with miid to high tennperature. Fructification occurred in cross polílinations experimental crosses only (n=34) {c. 32%), which was higher ithan the controlled pollination (n=319) (c. 10.5%). Fruits were produced in both years of the study (2001 and 2002). Abortion occurred during the fiirst 45 to 50 days, both in the cross pollinations (about 68%) and in thei controlled pollinations (about 89.5%), during the two years of study. The results suggest that J. ulei is a xenogamic species. The observations of thie growth of the pollen tubes in the pistils resulting from the experimental self and cross-pollinations, both in the field and in the laboratory, through flluorescence microscopy, it was observed that the pollen tubes reached the ovule in 24 hours after fertilization, showing that J. ulei presents laLe-acting self-incompatibility.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, 2003.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:BOT - Mestrado em Botânica (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34350/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.