Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34207
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_PauloHenriqueMartinsdeJesus.pdf1,26 MBAdobe PDFView/Open
Title: Ser no tempo : imagem, tecnologia e subjetividade no mundo contemporâneo
Authors: Jesus, Paulo Henrique Martins de
Orientador(es):: Sanz, Cláudia Linhares
Assunto:: Fotografia
Imagem
Subjetividade
Tempo
Fotografia - aspectos sociais
Issue Date: 14-Mar-2019
Citation: JESUS, Paulo Henrique Martins de. Ser no tempo: imagem, tecnologia e subjetividade no mundo contemporâneo. 2018. 106 f., il. Dissertação (Mestrado em Comunicação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Nesta dissertação estudam-se as formas pelas quais o sujeito contemporâneo, a partir das imagens, se relaciona com o tempo – passado, presente e futuro. Parte-se do pressuposto de que as tecnologias da imagem e os regimes de visibilidade participam de transformações relevantes nos modos como o sujeito se relaciona consigo, com as imagens e com o tempo, instaurando novos sentidos para o tempo vivido e a própria subjetividade. Por meio da perspectiva genealógica, analisam-se as relações estabelecidas para compreender as configurações dos modos de ser e estar, bem como perceber os deslocamentos de valores, os discursos e as disputas de poder. Ser no tempo, e no tempo presente, parece ser o imperativo contemporâneo. O tempo é sempre agora, o instante presente; as memórias, o passado, invadem o presente e o futuro é antecipado ou adiado, de forma que o sujeito se livre do risco e permaneça no presente. Só se é no tempo. No tempo que se faz presente, no tempo que se faz agora.
Abstract: In this dissertation are studied the ways in which the contemporary subject relates itself to the time – past, present and future – from the images. It is assumed that the technologies of image and the regimes of visibility participate in relevant transformations in the ways in which the subject relates to himself, to the images and to the time, instituting new meanings for the lived time and for the subjectivity itself. By the genealogical perspective the relations established are analysed in order to understand the configurations of the ways of being, as well as to perceive the displacements of values, the speeches and the power disputes. Being in time and in the present time seems to be the contemporary imperative. Time is always now, the present instant; the memories and the past invade the present and the future is anticipated or postponed, so that the subject is free of risk and remains in the present. One is only in time. In the time that is present, in the time that is made now.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:FAC - Mestrado em Comunicação (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34207/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.