Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34103
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_CéliaNunesCorrêa.pdf8,61 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O barro, o genipapo e o giz no fazer epistemológico de autoria Xakriabá : reativação da memória por uma educação territorializada
Outros títulos: The clay, the genipapo and the chalk in the epistemological doing of Xakriabá authority : reactivation of the memory by a territorialized education
Autor(es): Correa, Célia Nunes
Xakriabá, Célia
Orientador(es): Portela, Cristiane de Assis
Assunto: Índios - vida e costumes sociais
Índios - educação
Índios Xakriabá
Epistemologia
Data de publicação: 6-Mar-2019
Referência: CORREA, Célia Nunes. O barro, o genipapo e o giz no fazer epistemológico de autoria Xakriabá: reativação da memória por uma educação territorializada. 2018. 218 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, 2018.
Resumo: Esta dissertação de mestrado teve como objetivo refletir sobre os saberes e os fazeres presentes no território, analisando as experiências de educação indígena mesmo antes da presença da escola e depois do amansamento dessa. Deste modo, o título se refere a esse trânsito de ciclos de saberes que envolve as diferentes agências (e agentes) pelas quais se produz o conhecimento, constituindo um fazer epistemológico de autoria Xakriabá. Esta pesquisa foi realizada no território indígena Xakriabá, na aldeia Barreiro Preto, na Escola Estadual Indígena Xukurank. Nos interessa elucidar como a (re)territorialização constitui um eixo troncal na experiência Xakriabá e como a escola se compromete com práticas que propõem um deslocamento do aprender por meio do que é vivido no corpo do território, ou no corpo-território. Buscamos compreender como a escola interage dentro da comunidade e como a mesma tem se comprometido na interlocução com outras narrativas e narradores que tem como matriz formadora o saber fazer pela ciência do território. A essa matriz formadora principiada no território, atribuo o mote para uma educação territorializada, que apresenta como ponto de partida e de chegada a potência da epistemologia nativa, presente na memória e na transmissão oral, além da presença ressonante em melodia na escrita Xakriabá. Metodologicamente, a pesquisa fundamentou-se nas Oficinas Reativadores de Memória: Memória nativa e Memória Ativa. A realização da oficina serviu como base para fortalecimento das transmissões dos conhecimentos tradicionais, por meio da reativa(ação) da memória, que é responsável pela circulação e manutenção da cultura, sobretudo aquela de tradição oral. No decorrer do trabalho busco explicitar o deslocamento de significados da escola na interface com território. Predomina na literatura que trata a experiência do calendário sociocultural nos Xakriabá, uma compreensão de que a cultura vem se firmando como elemento central nas escolas Xakriabá, entretanto, depois de adentrar e analisar esta experiência da escola Xukurank a partir das oficinas, concluímos que o saber corporificado que está ancorado no território é o elemento troncal e que sustenta a escola desde o seu amansamento, sendo o calendário sociocultural parte importante mas não a totalidade desse processo. Nesse sentido, a escola com interface no território tem sido cada vez mais, o lugar de educação territorializada que constitui a todos nós Xakriabá como corpo-território.
Abstract: This master thesis had as objective at reflecting on the knowledge and practices present in the territory, analyzing the experiences of indigenous education even before the presence of the school and after the "taming". In this way, the title refers to this transit of knowledge cycles that involves the different agencies (and agents) through which knowledge is produced, constituting an epistemological work of Xakriabá authorship. This research was carried out in the Xakriabá indigenous territory, in the Barreiro Preto village, at the Xukurank Indigenous State School. We are interested in elucidating how (re)territorialization constitutes a backbone in the Xakriabá experience and how the school commits itself to practices that propose a displacement of learning through what is lived in the body of the territory or in the body-territory. We seek to understand how the school interacts within the community and how it has committed itself in the interlocution with other narratives and narrators whose main matrix is the know-how of the science of the territory. To this formative matrix beginning in the territory, I assign the motto for a territorialized education, which presents as a starting point and of arrival the power of native epistemology, present in memory and oral transmission, besides the resonant presence of melody in the Xakriabá script. Methodologically, the research was based on the Memory Reactivation Workshops: Native Memory and Active Memory. The workshop served as a basis for strengthening the transmission of traditional knowledge, through the reactive (action) of memory, which is responsible for circulation and maintenance of culture, especially that of oral tradition. In the course of the thesis I try to explain the displacement of meanings of the school in the interface with territory. It is predominant in the literature that deals with the experience of the socio-cultural calendar in the Xakriabá, an understanding that culture has been establishing as a central element in Xakriabá schools, however, after entering and analyzing this experience of the Xukurank school from the workshops, we conclude that knowledge embodied that is anchored in the territory is the trunk element and that sustains the school since its taming, being the socio-cultural calendar important part, but not the totality of this process. In this sense, the school with an territorial interface has increasingly been the place of territorialized education that constitutes all of us Xakriabá as body-territory.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, Mestrado Profissional em Sustentabilidade Junto a Povos e Terras Tradicionais, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições:Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:CDS - Mestrado em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.