Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/34042
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_MariadasDoresdoRosárioAlmeida.pdf11,64 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: (Re)construindo caminhos e histórias de vida de mulheres negras da Vila do Carmo do Macacoari – Amapá
Outros títulos: (Re) building ways and stories of life of black women from Carmo do Macacoari Village
Autor(es): Almeida, Maria das Dores do Rosário
Orientador(es): Saraiva, Regina Coelly Fernandes
Assunto: Mulheres negras
História oral
Comunidades tradicionais
Comunidades ribeirinhas
Data de publicação: 14-Fev-2019
Referência: ALMEIDA, Maria das Dores do Rosário. (Re)construindo caminhos e histórias de vida de mulheres negras da Vila do Carmo do Macacoari – Amapá. 2018. 247 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: O presente trabalho tem como local a Vila do Carmo do Macacoari, que fica situada às margens do rio Macacoari, no município de Itaubal do Piririm, no estado do Amapá, uma comunidade negra ribeirinha, descendente de negros escravizados. Esta pesquisa teve como objetivo (re)construir o papel de mulheres negras na história da Vila do Carmo do Macacoari, visibilizando sua atuação no passado e seu papel no presente. As questões que nortearam a pesquisa foram: como essas mulheres (re)constroem, a partir de sua memória, o processo de construção da Vila do Carmo do Macacoari? Como se deu o processo de pertencimento à Vila do Carmo do Macacoari e como que elas se posicionam hoje? Quais as contribuições dessas mulheres negras para a história e memórias da Vila do Carmo do Macacoari? Tendo como referência a história oral, foram (re)construídas narrativas a partir de entrevistas e rodas de conversa com 14 griôs, entre 63 a 102 anos de idade. Walter Benjamin (1987), Angela Davis (2016), Monica Conrado(2012) e Benedita Pinto (2012) foram autores trazidos para a discussão teórico-metodológica. O estudo revelou que mulheres negras, donas de gado, foram posseiras das terras da comunidade negra ribeirinha da Vila do Carmo do Macacoari por mais de cinquenta anos. No entanto, outras mulheres negras da mesma comunidade, roceiras sem posses, foram o esteio daquele lugar, construindo marcas ao longo do tempo. Essas mulheres se revelaram como guardiãs da memória da Vila do Carmo e seus saberes e fazeres formaram uma rede estratégica para a manutenção e resistência do território, por meio dos usos da mata, do rio, do campo e dos quintais.
Abstract: The present work has as its place the Carmo do Macacoari Village which is situated on the banks of Macacoari river, in the municipality of Itaubal do Piririm, in the state of Amapá, a black people riverside community descendent of black slaved people. This research aimed to (re)build the role of black women in the history of the Carmo do Macacoari Village, making visible their acting in the past and their role in the present. The main issues that guided the research were: how do these women (re)build, from their memories, the process of building of the Carmo do Macacoari Village? How did the process of belonging to the Carmo do Macacoari Village happen and how do they position themselves nowadays? What are the contributions of these black women to the history and memories of the Carmo do Macacoari Village? Having the oral history as reference, narratives were (re)built from interviews and chats in groups with 14 griôs aged between 63 to 102 years old. Walter Benjamin (1987). Angela Davis (2016), Monica Conrado (2012) and Benedita Pinto (2012) were the authors brought up to the theoretical and methodological discussion. The study revealed that black women, cattle owners, had been the owners of the lands of the riverside community of Carmo do Macacoari Village for more than 50 years. However, other black women from the same community, peasant women without possessions, were the mainstay of that place, building marks over time. These women revealed themselves as guardians of the memory of the Carmo Village and their knowledge and actions formed a strategic network for the maintenance and resistance of the territory through the use of the forest, the river, the countryside and the backyards.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições:Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:CDS - Mestrado em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.