Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33986
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_LourivaldodosSantosSouza.pdf3,88 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Transformações do sistema agrícola da Comunidade Quilombola Kalunga do Mimoso (Tocantins) : a agricultura de corte e queima em questão
Autor(es): Souza, Lourivaldo dos Santos
Orientador(es): Pereira, Ludivine Eloy Costa
Assunto: Comunidades quilombolas
Comunidades tradicionais
Sistemas agrícolas
Kalunga (comunidade quilombola brasileira) - Goiás (Estado)
Data de publicação: 12-Fev-2019
Referência: SOUZA, Lourivaldo dos Santos. Transformações do sistema agrícola da Comunidade Quilombola Kalunga do Mimoso (Tocantins): a agricultura de corte e queima em questão. 2018. 90 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Este trabalho apresenta uma reflexão sobre o sistema agrícola praticado na Comunidade Quilombola Kalunga do Mimoso, localizada no município de Arraias (Tocantins), e tem como objetivo descrever a diversidade e a transformação dos sistemas de cultivos de roça de toco praticados na referida comunidade, com um recorte na biodiversidade local e nas transformações da agricultura de corte e queima. Para tanto, a pesquisa de campo envolveu entrevistas, questionários semiestruturados, percurso comentado aos setores de produção agrícola: roças e quintais, com 12 produtore(a)s1 de cinco núcleos familiares. Identificamos uma alta agrobiodiversidade, com 101 espécies e variedades, incluindo 5 variedades de arroz, 6 de feijão, 4 de milho e outras que demonstraremos no decorrer deste trabalho. Esta diversidade garantiu o sustento alimentar de muitas famílias kalungas durante muitos anos, frente ao desafio das invasões das terras por fazendeiros ocorridas há mais de 90 anos. Hoje, diante ao avanço rápido das monoculturas de larga escala no Cerrado, a referida comunidade se destaca pela biodiversidade e pela produção de alimentos em uma lógica de subsistência, com venda dos excedentes (sobretudo farinha de mandioca). No entanto, nos últimos anos, num contexto de reconhecimento e reocupação do território Quilombola, combinado a diversificação das atividades das famílias Kalunga nas cidades e a mudança do regime de chuva, observamos a perda de biodiversidade vegetal e a adoção crescente de novas técnicas de cultivo, como a conversão das roças em pastagens, o uso do trator e agroquímicos, utilizados para aumentar a produtividade do trabalho agrícola. No intuito de contribuir para a gestão territorial Quilombola, realizamos levantamento da biodiversidade cultivada, sementes que foram perdidas, e caracterização dos sistemas agrícolas.
Abstract: This work presents a reflection about the agricultural system practiced in the Quilombola Community Kalunga do Mimoso, located in the municipality of Arraias (Tocantins), and aims to describe the diversity and the transformation of stump crops practiced in this community, with a cut in local biodiversity and in the transformations of cutting and burning agriculture. To do so, the field research involved interviews, semi-structured questionnaires, commented course to the agricultural production sectors: farms and backyards, with 12 producers (ª)2 of five family nuclei. We identified a high agrobiodiversity, with 101 species and varieties, including 5 varieties of rice, 6 of beans, 4 of corn and others that we will demonstrate in the course of this work. This diversity has ensured the food supply of many Kalunga families for many years in the face of the challenge of land invasions by farmers who have been in existence for over 90 years. Today, in the face of the rapid advance of large-scale monoculture plantations in the Cerrado, this community stands out for biodiversity and food production in a subsistence logic, with the sale of surpluses (mainly cassava flour). However, in recent years, in a context of recognition and reoccupation of the Quilombola territory, combined with the diversification of activities of the Kalunga families in the cities and the change of the rain regime, we observe the loss of vegetal biodiversity and the increasing adoption of new cultivation techniques , such as the conversion of grazing lands to pastures, the use of tractors and agrochemicals used to increase the productivity of agricultural work. In order to contribute to the Quilombola territorial management, we carried out a survey of cultivated biodiversity, seeds that were lost, and characterization of agricultural systems.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições:Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:CDS - Mestrado em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.