Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33972
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_AlteracaoRespostaImune.pdf465,63 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Alteração da resposta imune mediada por células durante o tratamento com benzonidazol
Autor(es): Teiixeira, Antonio Raimundo Lima Cruz
Jabur, Eliane
Córdoba, José Carlos
Souto Maior, Inês C.
Solórzano, Edwin
Assunto: Benzonidazol
Imunossupressão
Linfócitos
Chagas, Doença de
Tripanossoma cruzi
Coelhos
Data de publicação: Mar-1983
Editora: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Referência: TEIXEIRA, Antônio R L et al. Alteração da resposta imune mediada por células durante o tratamento com Benzonidazol. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 16, n. 1, p. 11-22, jan./mar. 1983. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86821983000100003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821983000100003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 05 fev. 2019.
Resumo: Coelhos inoculados com tripomastigotas da cepa Ernestina do Trypanosoma cruzi tiveram parasitemias, demonstradas pelo xenodiagnóstico, até cinco meses e meio após a infecção. O tratamento de alguns desses coelhos com benzonidazol, na dose de 8mg/kg durante sessenta dias, após dois meses de infecção, resultou na negativação dos xenos após 30 dias de uso da medicação. Os coelhos chagásicos crônicos, após seis meses de infecção, já tinham a parasitemia subpatente quando foram submetidos a tratamento idêntico àqueles da fase aguda. Em ambos os casos, os coelhos tratados com benzonidazol tiveram títulos de anticorpos humorais semelhantes àqueles verificados nos coelhos chagásicos não- tratados, inclusive durante a quimioterapia. A não alteração da imunidade humoral em coelhos tratados foi comprovada quando animais chagásicos e não chagásicos submetidos ao tratamento produziram títulos de anticorpos hemolíticos idênticos àqueles verificados nos animais não-tratados. Em acentuado contraste, a função imune timo-dependente foi severamente alterada pelo uso do benzonidazol. As reações de hipersensibilidade tardia contra um antígeno sub- celular do T. cruzi foram suprimidas durante a vigência do tratamento dos coelhos chagásicos. Paralelamente, estas reações eram intensas nos coelhos chagásicos não-tratados e negativas em coelhos controles normais. Todavia, as reações cutâneas tornaram-se novamente positivas 10 dias após o tratamento. Foi interessante notar que as reações de hipersensibilidade tardia in vivo, em coelhos imunizados com BCG e testados com PPD ou em coelhos sensibilizados com DNCB também foram suprimidas durante o tratamento com o benzonidazol. Contudo, as reações de imunidade celular contra estes antígenos também reverteram aos valores normais 7 a 10 dias após a suspensão do benzonidazol. Resultados semelhantes foram relatados em relação ao nifurtimox, outra droga utilizada no tratamento da doença de Chagas. O benzonidazol e o nifurtimox são compostos nitro-aromáticos cuja nitrorredução resulta na formação de metabólitos intermediários potencialmente citotóxicos para o protozoário e para as células do hospedeiro.
Abstract: Rabbits inoculated with trypomastigotes of the Ernestina strain of Trypanosoma cruzi showed parasitemias, which were demonstrated by xenodiagnosis during five and half months of the infection. The administration of 8mg/kg/day for 2 months of benznidazole in rabbits with two months infection resulted in persistently negative xenodiagnoses after 30 days of chemotherapy. Also rabbits with chronic Chagas' disease showing negative parasitemia six months after infection were treated with benznidazole. Both groups of rabbits that received intraperitoneal injections of the drug had titers of serum antibodies to the parasite similar to those shown in untreated T. cruzi-infected rabbits. That the humoral antibody response is not altered by the benznidazole was demonstrated in other experiments, which showed that the animals under chemotherapy can produce hemolytic antibody titers as high as those found in Controls as wellas in T. cruzi-infected untreated rabbits. In marked contrast, the thymus-dependent immune function was severely affected by benznidazole. The delayed-type hypersensitivity reaction against a T. cruzi subcellular antigen was suppressed during chemotherapy, whereas the reaction was consistently present in untreated T. cruzi-infected rabbits. However, delayed-type hypersensitivity against the parasite antigen could be elicited 10 days after cessation of treatment. Also delayed hypersensitivity in rabbits immunised with BCG and tested using PPD or in rabbits sensitised to DNCB were also suppressed by benznidazole treatment. It has been shown therefore that both drugs used for treating Chagas' disease can produce profound alterations in the thymus-dependent immune response. Benznidazole and nifurtimox are nitro-aromatic compounds that undergo enzymatic reduction with production of intermediate metabolites that can be strongly cytotoxic for the T. cruzi and for the mammalian cells.
Licença: Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - (CC BY NC) - All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License. Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821983000100003. Acesso em: 05 fev. 2019.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86821983000100003
Aparece nas coleções:FMD - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.